Sermão: O QUE JESUS FEZ NA CRUZ POR MIM?

31-santa-ceia

Palavra ministrada na santa ceia do Betel Brasileiro pelo Pastor Josias Moura.

O QUE JESUS FEZ NA CRUZ POR MIM?

“Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o Reino do filho do seu amor, no qual temos a redenção, a remissão de pecados.” (Colossenses 1.13-14)

Introdução

Um fato inquestionável – a obra realizada por Cristo na cruz é a maior expressão do amor de Deus por nós. O mesmo Apóstolo Paulo escrevendo aos romanos declara que Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores.

Somos tão especiais para Deus, que Ele nos amou de tal maneira que deu tudo, deu a si mesmo, deu o seu único filho. Por nos amar, Jesus deixou a sua glória, o seu trono, esvaziou-se, tornou-se homem, servo, foi perseguido, preso, humilhado, açoitado, cuspido, envergonhado e pregado numa cruz.

Sendo Deus se fez homem; sendo Senhor, se fez servo, sendo santo, se fez pecado; sendo bendito se fez maldição; sendo autor da vida, deu a sua própria vida por nós.

Olhando para texto que Paulo escreveu aos Colossenses podemos enxergar a obra de amor que Cristo realizou por nos na cruz do calvário.

Foi na cruz que…

1. Ele nos LIBERTOU

Paulo diz: “Ele nos libertou do império das trevas…”

As recompensas que haveremos de receber vão além das realizações individuais, ou dos méritos pessoais. Paulo aqui mostra que nos realizamos verdadeiramente apenas em Cristo. Cristo é o instrumento da graça de Deus dada aos homens. Era Cristo que fazia os crentes colossenses lembrarem que foram tirados das trevas do paganismo, dos engodos das falsas especulações intelectuais e do gnosticismo.

O verbo “libertar” significa “Salvar, libertar de algum tipo de servidão ou escravidão”. O verbo “libertar” também significa “livrar do perigo”. Já a palavra império significa autoridade ou poder. Império aqui, significa uma referência ao governo maligno de Satanás, um reino perverso, o qual cega os homens, de tal forma que a luz gloriosa do evangelho não possa penetrar em suas mentes.

Paulo está afirmando que Deus nos libertou do poder, da autoridade e do domínio que Satanás tinha sobre a nossa vida. Essa expressão libertou confirma que a obra de libertação foi absolutamente consumada por aquilo que Jesus fez na cruz.

Por causa do que Cristo fez na cruz não corremos mais o perigo de passar a vida e a eternidade separados de Deus. Antes da obra de Cristo na cruz, por causa do pecado estávamos no império das trevas, na casa do valente, presos e acorrentados, cegos e oprimidos. Porém, por nos amar Jesus invadiu a casa do valente, saqueou o seu império e nos libertou da escravidão que vivíamos.

Deus por meio de Cristo abriu nossos olhos, tirou as correntes que nos prendiam, abriu os portões que nos trancavam nesse reino de escravidão e nos fez sair para viver a liberdade de uma nova vida Nele. Por isso, o mesmo Paulo afirmou o seguinte: “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.” (2ª Coríntios 5.17). A obra da cruz é uma obra de libertação. Ele nos libertou do império das trevas para vivermos em novidade de vida.

Agora lembre- se de uma coisa: Jesus Cristo não libertou você da escravidão para lhe deixar vagando sem rumo. Ele te libertou para dar a você um novo propósito. Mas que proposito é este? O de viver para a glória de Deus, com plena liberdade.

Foi na cruz que…

2. Ele nos TRANSPORTOU

Paulo diz: “… e nos transportou para o reino do Filho do seu amor…”

Deus não apenas nos tirou da região da morte, como também nos transportou para dentro do reino da luz, o reino do Filho do seu amor. Houve um traslado, uma transferência, uma mudança imediata de local. Deus nos tirou do império das trevas para o reino da luz. Deus mudou nossa posição.

A palavra grega, traduzida pelo verbo “transportou” significa “remover de um lugar para o outro, transferir”. Essa expressão era muito comum nos dias de Paulo. Era usada para indicar o transporte de tropas ou de grandes grupos de pessoas de um lugar para outro. Era usada também para descrever o costume de trasladar a população vencida por um reino a outro país. OS GOVERNANTES TRANSPORTAVAM OS DERROTADOS DE UM PAIS PARA OUTRO, MAS CRISTO TRANSPORTA  OS VENCEDORES.

Entretanto, em termos espirituais esse traslado tem quatro características:

  • É um traslado do poder de Satanás para o Senhorio de Cristo;

  • É um traslado do império das trevas para o reino da luz;

  • É um traslado da escravidão para liberdade;

  • É um traslado da condenação para a remissão dos pecados.

Vemos muitos exemplos dessa experiência de translado nas narrativas dos evangelhos. Quem não se lembra de Zaqueu, que recebe a visita de Cristo em sua casa. Ele oferece um jantar a Jesus, e ali diante de sua família, amigos e convidados resolve tomar uma decisão em sua vida de aceitar a Cristo. Na vida de Zaqueu estabele

cia-se naquele instante um antes e um depois. Antes Zaqueu explorava e tirava desonestamente de outros. Agora devolvia, restituía. Antes estava perdido, agora foi achado pela luz de Deus.

Igualmente, na vida do cristão, a obra da cruz tem um antes e um depois. Antes estávamos no império das trevas, sob o domínio cruel e opressor de Satanás. Antes andávamos no cativeiro do diabo, acorrentados pelo pecado. Agora, estamos livres, libertos e salvos pela obra da cruz. Fomos não apenas libertados do império das trevas, mas também transportados para o reino da luz.

No Antigo império estávamos debaixo de escravidão. No reino da luz somos livres. No reino das trevas, Satanás queria a nossa morte. No reino da luz, Cristo morreu a nossa morte para que pudéssemos viver a sua vida. A obra da cruz é uma obra de transferência. Ele nos transportou das trevas para sua maravilhosa luz.

Foi na cruz que…

3. Ele nos REDIMIU

Paulo diz: “No qual temos a redenção…”

Aqui o verbo “redimir” significa “libertar um prisioneiro mediante o pagamento de um resgate”.  Redenção significa comprar de volta.

Mas, o que era a redenção? Era a libertação do local em que um escravo estava preso, mediante o pagamento de uma quantia (valor) combinado. Era o valor pago por essa libertação. Era a ação de livrar ou de libertar alguém de um determinado lugar.

A redenção, portanto, implicava em um preço pago, e este preço era o sangue de Cristo.

Para que pudéssemos ser resgatados do pecado alguém deveria pagar por ele. Vivemos em um tempo onde poucas pessoas estão dispostas a fazer algum sacrifício por outras. Mas é por nos amar que Deus faz exatamente isso! Por intermédio de Cristo, Deus pagou um altíssimo preço pela nossa redenção. Deus nos comprou não com prata e ouro, mas com o sangue precioso do seu Filho amado.

Deus nos comprou de volta e agora somos dele. Somos propriedade particular. Somos de Deus por direito de criação, porque Ele nos criou a sua imagem e semelhança e também somos Dele por direito de redenção, pois Ele nos comprou com o sangue precioso de seu Filho amado.

A obra da cruz é uma obra de redenção. Ele nos comprou de volta com o seu precioso sangue.

Foi na cruz que…

4. Ele nos PERDOOU

Paulo diz: “No qual temos a redenção, a remissão de pecados.”

A obra da cruz removeu a barreira entre o Deus santo e o homem pecador. Na cruz por intermédio de Cristo, Deus nos perdoou de todos os nossos pecados. Nossa dívida foi paga, nossa culpa cancelada e nossa justificação, declarada.

A palavra “perdão” significa “mandar embora” ou “cancelar uma dívida”. Desta forma, o perdão de pecado é o cancelamento de uma dívida. Foi por isso que Paulo afirmou: “Tendo cancelado o escrito de dívida que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz.” (Colossenses 2.14)

Satanás não encontra mais nada nos nossos arquivos para nos acusar. Paulo confirma essa verdade quando diz: “Quem fará alguma acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica… Quem os condenará? Foi Cristo Jesus que morreu; e mais, que ressuscitou e está à direita de Deus, e também intercede por nós.” (Romanos 8.33-34)

Por meio da remissão dos nossos pecados, somos transferidos de réus condenados, para status de filhos amados. Continuamos pecadores, mas agora pecadores redimidos. Por meio de Cristo, através da confissão, podemos receber constantemente o perdão e a restauração de nossa vida. O perdão pavimenta o caminho para um novo relacionamento com Deus. A obra da cruz é uma obra de perdão. Ele perdoou os nossos pecados.

Conclusão:

Por meio de Cristo, Deus nos Libertou, Transportou, Redimiu e Perdoou. Tudo isso envolveu um alto preço. Ele fez tudo isso porque nos ama, mas Ele espera que nos retribuamos.

Lembra-se da parábola da vinha contada em Isáias no Capitulo 5. Gostaria de relembra-la para você: “O meu Amado teve uma vinha num morro de terra muito boa. Ele afofou a terra, arrancou todas as pedras e plantou na sua vinha as melhores uvas. No meio da vinha, Ele construiu uma torre para o vigia e cavou um tanque para espremer as uvas e fazer vinho. Ele esperava que a vinha desse uvas doces…”.

O Deus que nos libertou, transportou, redimiu e perdoou espera algo de nós. Ele espera que correspondamos ao seu amor, ao seu investimento em nós.

O que Jesus fez na cruz nunca poderá ser apagado da história, mas o efeito de sua obra pode ser apagado dentro de nossos corações se não correspondermos ao seu amor, a sua chamada. Pense nisso.

Que Deus te abençoe.

QUER FAZER UM CURSO DE TEOLOGIA GRATUITAMENTE?

Faça um curso de teologia com acesso gratuito a todo o conteúdo.

Para obter mais informações acesse nosso site: http://setebras.com/cursoteologicoead.html

Veja também o nosso vídeo divulgativo:

 

Anúncios

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s