Vivendo num mundo secularizado, mas preservando a nossa identidade

Vivendo num mundo secularizado, mas preservando a nossa identidade

Texto base: Romanos 12: 1,2

1 Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. 2 E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.

1)  Introdução

Quando falamos em viver em um mundo secularizado, qual é a primeira coisa que vem à sua cabeça? Você pensa em alguma coisa? Em quê?

Será que você pensa em superficialidade nos relacionamentos, ausência de absolutos e princípios éticos, ausência de referências, busca do prazer a qualquer custo, consumismo, liberdade de escolha, tecnologia, mídia de massa, rápidas transformações culturais, entre outras coisas?

Bem secularização não é isso. A secularização pode ser definida como um processo por meio do qual o espiritual deixa de ter valor para as pessoas e Deus é retirado do centro da existência humana.

 

2)  Quais são os perigos de vivermos em um mundo secularizado?

Portanto, logo de começo é preciso entender que estar secularizado é o mesmo que dizer que você, na linguagem bíblica, está conformado com o mundo, ou seja, que você assimilou de tal modo o pensamento atual que trouxe para o seu dia a dia padrões de vida que o estão levando para longe de Deus.

Um exemplo disso é a vida de Salomão. No primeiro livro de Reis, capítulo 11, vemos os efeitos que a secularização pode fazer em um servo do Senhor. Deus havia ordenado que Seu povo não tomasse mulheres de outras tribos pagãs e se casasse com elas. Mas Salomão desobedeceu a Deus. A Bíblia nos fala que ele “amou muitas mulheres estrangeiras… e suas mulheres lhe perverteram o coração. Sendo já velho… o seu coração não era de todo fiel para com o Senhor, seu Deus… Salomão seguiu a Astarote, deusa dos sidônios, e a Milcom, abominação dos amonitas. Assim, fez Salomão o que era mau perante o Senhor e… Nesse tempo, edificou Salomão um santuário a Quemos, abominação de Moabe… e a Moloque, abominação dos filhos de Amom. Assim fez para com todas as suas mulheres estrangeiras, as quais queimavam incenso e sacrificavam a seus deuses. ” (lRs 11.1-8). Salomão retirou Deus do centro de sua existência; sua mente e seu coração estavam secularizados.

Paulo, conhecedor da História como era, sabia que o povo de Deus sempre foi tentado a comprometer sua fé entregando-se à cultura dominante e o perigo que isso significava. Por isso ele faz o alerta: “não vos conformeis com este mundo” (Rm 12.2). Em outra versão o texto diz: “Não copiem os costumes e comportamentos do mundo” (Life Aplication Bible) e outra “não se amoldem ao padrão deste mundo” (NVI). Por que devemos tomar cuidados especiais para que isso não aconteça em nossa geração? Como isso afetaria a sua vida, seus pensamentos, seus relacionamentos e sua fé cristã?

a)  Tornar a pessoa alienada

A alienação da juventude tem sido uma das características de nossa geração. A alienação é perigosa porque tira nossa sensibilidade e nosso senso crítico. Separa-nos de Deus, tornando–nos uma geração sem sonhos, sem compromisso e sem relevância.

Podemos ver um exemplo de alienação na vida de Salomão. Enquanto ele permanecia fiel ao Senhor e sua mente estava centrada na Palavra, seus atos e sua sabedoria evidenciavam a grandeza e a bondade de Deus. Mas a partir do momento em que seu coração não era de todo fiel ao Senhor” (lRs 11.4) ele fez o que era mau perante o Senhor” (lRs 11.6). Sua busca pelo prazer e pelo sentido da vida o levou para longe de Deus e o conduziu à crise existencial.

O sistema secular trabalha assim em nossa mente. Primeiro, não somos totalmente fiéis ao Senhor, depois procedemos mal perante Ele e, por fim, não achamos sentido na vida. Enfim o cristão não se importa mais com nada.

Será que algumas dessas coisas estão acontecendo com você?

  • Não tenho opinião e não sei o que a Bíblia diz quanto à pena de morte, greve, aborto, clonagem e muitos outros assuntos. Isso não me importa muito!

  • Só estudo para conseguir meu diploma.

  • Liderança na igreja? Não quero nem saber. Tenho mais em que pensar!

  • Não estou preocupado em Crescer na vida espiritual ou na profissional. Vou só vivendo a vida.

Se alguns dos pensamentos que expomos agora estão em sua mente, então este é um momento para ter uma nova atitude. É tempo de transformação, de mudança radical.

b)  Tornar a pessoa insensível

Um dos resultados diretos da alienação é não nos incomodarmos mais com a injustiça social, com o sofrimento das pessoas, com o aumento da prostituição, da criminalidade e tantas outras tragédias que afligem a sociedade. Ficamos insensíveis, amortecidos, indiferentes e nada que não seja nós mesmos e não traga nosso bem-estar, nos incomoda.

Mas não é esse o exemplo que temos do Senhor Jesus, que nos mostra Sua sensibilidade: “Vendo Ele as multidões, compadeceu-se delas” (Mt 9.36). Jesus veio por causa das pessoas e quer que nós também estejamos atentos a elas.

Será que você se preocupa com as pessoas? Será que estes fatos te incomodam:

Todo ano, no Brasil, acontece: 1 milhão de partos de adolescentes, 1 em cada 4 abortos realizados no Brasil são em adolescentes, 1 em cada 13 adolescentes engravida, 19% da população brasileira está abaixo da linha de pobreza, ou seja, vive em situação de miséria extrema.

Jesus não era insensível aos problemas das pessoas. Ele chorou com a família de Lázaro. Deus quer tratar com nossa sensibilidade.

c)  Impulsionar a pessoa à busca do prazer acima de qualquer coisa

A mentalidade secular prega que a vida deve ser orientada pelo princípio do prazer, ou seja, tudo que possa proporcionar prazer deve ser buscado e provado.

Duas consequências diretas desse pensamento são o consumismo e o processo de estimulação de uma sexualidade precoce pelo qual passa a nossa sociedade. Até mesmo Salomão caiu nesse erro: “Tudo quanto desejaram os meus olhos não lhes neguei!”(Ec 2.10). Mas ele confessou que, apesar de possuir todas as coisas, isso não lhe dava satisfação — “eis que tudo era vaidade e correr atrás do vento” (Ec 2.11).

Será que é a busca pelo prazer que está orientando os nossos atos?

d)  Conduzindo-o a relacionamentos rápidos e superficiais

Como a ênfase maior está na busca do prazer, os relacionamentos, em quaisquer níveis, são desenvolvidos de forma superficial, sem envolvimento real.

Muitas pessoas se tornam egoístas e só pensam em si mesmas, tornando-se narcisistas nos relacionamentos. De acordo com as Escrituras, devemos estar dispostos a renunciar a nós mesmos em benefício dos outros, conforme Paulo escreveu aos filipenses: “Não tenha cada um em vista o que é propriamente seu, senão também cada qual o que é dos outros” (Fp 2.4).

A juventude precisa entender que a verdadeira igreja é reconhecida pela unidade. Os relacionamentos sólidos e maduros são testemunho poderoso do amor do Senhor por nós – “a fim de que todos sejam um; e como és tu, ó Pai, em mim e eu em ti, também sejam eles em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste.” (Jo 17.21). É também uma das maiores evidências de que somos discípulos de Jesus, pois Ele mesmo disse: “Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros” (Jo 13.35).

3)  Como viver em um mundo secularizado

Para andarmos de “modo digno da vocação a que fomos chamados” (Ef 4.1) e cumprirmos o ide de Jesus (Mc 16.15), não podemos ter mentalidade secular.

Vejamos as orientações de Paulo, conforme Romanos 12.1-2.

  1. a) Não nos conformar com o mundo. O primeiro passo para isso é entender que devemos oferecer nosso corpo como “sacrifício vivo, santo e agradável a Deus” (Rm 12.1) e fazer isso como gratidão por nossos pecados terem sido perdoados através do sacrifício de Jesus.

O apelo de Deus a você é que “não vos demovais da vossa mente com facilidade” (2Ts 2.2), ou seja, lute com todas as forças para não se descuidar e se deixar levar por pensamentos, comportamentos e costumes contrários às Escrituras.

  1. b) Transformar-nos pela renovação da mente. É na mente que o pensamento secular transmitido pela mídia acha um lugar. Por isso Deus Se preocupa com o que vai dentro de sua cabeça! Leia Filipenses 4.8.

Uma vez que nossa mente esteja comprometida e endurecida com os padrões do mundo, somente a Bíblia poderá resolver o problema, pois é ela que transforma e renova a mente das pessoas. Mas como isso acontece?

Por meio da leitura e meditação da Palavra — A leitura e a meditação da palavra de Deus quebram os conceitos seculares e colocam princípios eternos.

A juventude precisa ter tempo para meditar na Palavra, apesar do corre-corre diário, e deixá-la criar raízes em sua mente e coração (SI 1.2).

4)  Conclusão

O texto de Tito 2.6 orienta o jovem que “seja criterioso em todas as coisas”. É importante que você, meu jovem, ao final palavra, faça uma avaliação sincera de como tem vivido. O que tem feito à sua cabeça? Quem você tem seguido? Onde isso o está levando?

Enquanto você está lendo esta fazendo esta analise interior, se sua vida não estiver firmada e fundamentada na Palavra e na oração, a possibilidade de estar à deriva no mundo é muito grande e, provavelmente, você corre o risco de estar vivendo os perigos de um mundo secularizado.

Mas Deus não quer isso para sua vida. Ele quer que você experimente Sua “boa, perfeita e agradável vontade”. Aceite o desafio! Transforme-se pela renovação de sua mente.

Que Deus nos abençoe!

2 comentários sobre “Vivendo num mundo secularizado, mas preservando a nossa identidade

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s