Sermão: Transformados pela graça que não cedem as pressões

Transformados pela graça que não
cedem as pressões

Texto: (Dn 1:8 [ARA]) Resolveu Daniel, firmemente, não contaminar-se com as finas iguarias do rei, nem com o vinho que ele bebia; então, pediu ao chefe dos eunucos que lhe permitisse não contaminar-se.
Dn. 3:5-7: ”…no momento em que ouvirdes o som da trombeta, do pífaro, da harpa, da cítara, do saltério, da gaita de foles e de toda sorte de música, vos prostrareis e adorareis a imagem de ouro que o rei Nabucodonosor levantou. 6 Qualquer que se não prostrar e não a adorar será, no mesmo instante, lançado na fornalha de fogo ardente. 7 Portanto, quando todos os povos ouviram o som da trombeta, do pífaro, da harpa, da cítara, do saltério e de toda sorte de música, se prostraram os povos, nações e homens de todas as línguas e adoraram a imagem de ouro que o rei Nabucodonosor tinha levantado”.

INTRODUÇÃO
O grande desafio de alguém que é transformado pela graça é o de não ceder as más influencias e as pressões.
Morei numa cidade do interior onde muitos jovens se afastavam da igreja no período do carnaval. Ao pensar sobre isso, cheguei a seguinte à conclusão que apesar destes jovens estarem dentro de uma igreja, o evangelho ensinado na igreja não estava dentro de seus corações. Estar em uma igreja, frequentar cultos, etc… não é garantia de que o evangelho estará enraizado dentro de nós.
Quando um jovem cristão se posiciona contra a cultura secular ou contra os valores morais e espirituais que os afastam de Deus, imediatamente as pressões de “amigos” não cristãos começam a existir.
Muitos jovens cedem, deixando a igreja porque estão preocupados em ser aceitos pelos outros, pois ir contra um comportamento errado do grupo traz insegurança e medo. Muitas vezes o jovem crente é pressionado a agir e pensar como eles. Assim esse jovem pode ficar num beco sem saída.

 

Eles eram jovens, mas não cediam as pressões

Pare pra pensar um pouco no texto que lemos.
Daniel, Sadraque, Mesaque e Abdenego eram jovens transformados pela graça, mas não cediam as pressões. Ao chegarem na Babilônia contemplaram as riquezas daquele lugar, mas propuseram em seus corações não se contaminar.
Ao serem deportados, perceberam que estavam diante de um rei egocêntrico e em um reino idolatra. Apesar de todas as dificuldades, ao serem pressionados a adorar a imagem do Rei Nabucodonozor, não abriram mão de suas convicções, não abandonaram sua fé, não cederam. E ao agirem assim, colocaram em risco a própria vida. Eles escolheram manter pura sua fé em Deus e não levar em consideração as circunstâncias.
Lutar contra padrões estabelecidos por uma sociedade corrompida não é fácil e exige coragem, ousadia, determinação, confiança e fé.

Quando somos pressionados por amigos e situações temos que lidar com pelo menos 03 tipos de situações:

 

1) Precisamos aprender a lidar com o medo da rejeição

Certamente Daniel enfrentaria a rejeição, por tomar a decisão de não ceder as pressões.
Uma das dificuldades que a juventude tem na hora de marcar posição de luz é o medo da rejeição. Nestas horas surge a questão: Será que vou ficar sozinho e isolado do grupo por nadar contra a corrente, por querer ser fiel a Deus? Será que eu vou me tornar aquele tipo de pessoa, que quando chega, a rodinha de desfaz?
Melhor é ser rejeitado pelo mundo e aceito por Deus. Se chegamos numa rodinha de escarnecedores e participamos dela, corremos o risco de sermos reprovados por Deus.
Lembremos do que diz Isaías 59:2: “Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça”. Nossa primeira preocupação deve ser não nos separarmos de Deus.

 

2) Precisamos aprender a lidar com o medo do ridículo

Outra dificuldade que o jovem tem é o medo de “pagar o mico”.
Será que em alguma situação você já abriu mão de suas convicções porque quer parecer legal aos olhos da turma?
Vivemos num mundo onde imagem é tudo. Então o jovem pensa: O que vão dizer de mim se souberem que sou virgem, ou que não sou o tipo de pessoa não vive ficando por aí com todo mundo?
O que será que vão dizer a meu respeito se souberem que sou cristão, que estou ao lado de Jesus, que sou uma testemunha de Cristo?
Daniel serviu por setenta anos em um país estrangeiro que era hostil a Deus e sua fé, e não estava preocupado se era ridículo ou não, pois sua prioridade era não comprometer a sua fé. Daniel era persistente na oração, fervoroso e totalmente desinteressado no que iam pensar dele. Sua prioridade era agradar a Deus.
Daniel não deixava que suas características únicas ser tornarem obscuras por causa da possibilidade de parecer ridículo.
O exemplo de Daniel deve nos inspirar a mantermos a nossa identidade, a não abandonarmos a nossa essência em toda e qualquer situação.

 

3) Precisamos aprender a lidar com o medo da decepção

No capítulo 3:15 Nabucodonozor pergunta para os amigos de Daniel: “quem é o deus que poderá livrar vocês de minhas mãos?” Nabucodonozor acreditava que seria impossível algum Deus fazer alguma coisa por eles. Ele apostava que os amigos de Daniel iriam ficar decepcionados com Deus. Mas, isso não aconteceu.
Sabe o que foi que eles disseram. Veja comigo Daniel 3:16-18: “16 Responderam Sadraque, Mesaque e Abede-Nego ao rei: Ó Nabucodonosor, quanto a isto não necessitamos de te responder. 17 Se o nosso Deus, a quem servimos, quer livrar-nos, ele nos livrará da fornalha de fogo ardente e das tuas mãos, ó rei. 18 Se não, fica sabendo, ó rei, que não serviremos a teus deuses, nem adoraremos a imagem de ouro que levantaste.”
Talvez você já tenha pensado em algum momento o seguinte: E se eu ficar do lado de Deus, será que Ele me deixará na mão? Deus nunca te decepcionará. Ele nunca te abandonará.
Assim como Ele foi ficou na vida de Daniel e seus amigos, será com Você também. Ele livrou Daniel da cova dos leões, livrou seus amigos da fornalha ardente, prometeu que cuidaria de Seus filhos. Portanto, podemos confiar que Ele estará com a gente durante qualquer problema que atravessarmos. Por causa de sua promessa, devemos nos conservar fiéis a Ele durante todo o tempo.

Conclusão

Quero terminar esta reflexão lembrando a todos que ter amigos é algo bom. Mas, os verdadeiros amigos nos aceitam da maneira que somos, não fazendo exigências de nenhum tipo para que possamos participar de algum grupo.
Se você tem amigos do tipo que te pressionam a deixar sua fé, cuidado. Estes não amigos verdadeiros. São meios para te conduzir a perdição.
Outro fato importante que quero frisar é que toda as vezes que você manifestar uma opinião sobre qualquer assunto, sua posição deverá ser assumida com segurança, sabedoria e ousadia, pois estas são qualidades próprias de quem tem convicção do que está falando e firmeza de fé em Deus.
Peça essa ousadia e coragem a Deus, para não andar conforme os padrões do mundo, mas em um tipo de vida que te faça ser aprovado por Deus.
Que Deus nos abençoe e nos ajude.
Pr Josias Moura

 

Anúncios

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s