Encontro do Departamento de homens, mulheres e Jovens. Tema: Quando Deus nos exalta

Quando Deus nos exalta

I Pedro 5.6

INTRODUÇÃO

O ser humano, com frequência, busca ser reconhecido. A mulher se esforça no papel de esposa para ser valorizada e amada pelo marido (veja Gênesis 3.16; I Coríntios 7.34); o empregado se esmera na sua função a fim de ser notado pelo patrão e ter a oportunidade de crescer na empresa; o artista almeja notoriedade e reconhecimento do público e da mídia; mas em todos os casos há sempre um preço a ser pago, e às vezes alto demais. Entretanto, quando Deus interfere a favor daquele que Nele espera, a vitória é garantida, mesmo nas piores crises.

PROPOSIÇÃO: As Escrituras nos apontam o caminho da exaltação: a humildade voluntária e sincera!

I- PRIMEIRO DEVEMOS SER HUMILDES AOS OLHOS DE DEUS.

A humildade é uma virtude empregada no trato, tanto com nossos semelhantes (v. 5), quanto também com Deus, pois a ordem apostólica diz: “Humilhai-vos (…) sob a poderosa mão de Deus”. Aliás, ninguém deveria se dirigir a Ele de forma soberba ou presunçosa. De outro lado, quem é sinceramente humilde em seu relacionamento com Deus (por exemplo: o publicano no templo: “O publicano, estando em pé, longe, não ousava nem ainda levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: O Deus, sê propício a mim, pecador!”; Lc 18.13), também o será com o próximo.

“Humilhai-vos” é o segredo que garante o agir de Deus a nosso favor (nota: o publicano foi justificado, porque confiou na graça e misericórdia de Deus e não em seus méritos). No grego, o termo “humilhai-vos” é tapeinothete, palavra essa que deriva de tapeinoo, rebaixar, tomar baixo; literalmente aplanar, humilhar; e traz a idéia de alguém que se volta para Deus totalmente “desarmado”, que se rende a Ele voluntariamente e sem evocar para si direitos ou privilégios de qualquer natureza.

São humildes aquelas pessoas conscientes de suas debilidades, e por conta disso, se apresentam diante de Deus quebrantadas e que depositam em Suas mãos toda tristeza, indignação e injustiça que tenham sofrido, esperando dessa maneira o justo juízo e o conforto de Deus.

A expressão tipicamente hebraica, “a poderosa mão de Deus”, se refere à onipotência de Deus, e simboliza a Sua autoridade e poder. Quando Pedro emprega essa expressão, ele está na verdade lembrando os grandes feitos do Senhor a favor de Israel, por exemplo, a libertação do povo de Israel do Egito (veja Deuteronômio 3.24).

Estar debaixo da mão de Deus é o mesmo que Lhe ser submisso, obediente, dependente do Seu divino auxílio, proteção e justiça. Jabes, por exemplo, pediu que a mão do Senhor fosse com ele (veja 1 Crônicas 4.10). O Espírito Santo é a mão de Deus em operação na terra (Êxodo 8.19; Mateus 12.28; Lucas 11.20), viver debaixo da mão de Deus é garantia de vida abençoada e totalmente suprida (Eclesiastes 2.24).

II- NA OCASIÃO PRÓPRIA, DEUS HÁ DE EXALTAR QUEM SE HUMILHA E NELE CONFIA.

Quem se humilha – por obediência à Palavra de Deus – tem a garantia de ser alvo da bênção de Deus, o apóstolo declarou: “…para que ele, em tempo oportuno, vos exalte” (v. 6). A expressão: “tempo oportuno”, é kairós no grego, e significa um ponto no tempo, o tempo certo, próprio, favorável. A oportunidade de Deus. O uso do termo indica que precisamos ter paciência, calma pela resposta de Deus.

Devemos ter consciência de que Deus está no controle do tempo. Davi trata, no Salmo 37. da transitoriedade da felicidade dos ímpios, e usa expressões que revelam o controle que Deus tem do tempo, veja: “Pois, eles dentro em breve” (v. 2); “Mais um pouco de tempo” (v. 10); “…pois vê estar-se aproximando o seu dia” (v. 13).

A promessa de ser exaltado por Deus alcança apenas quem obedece a exortação de buscá- lo com total dependência. Esperar, confiar, descansar no Senhor (v. 7) é o segredo descrito no Salmo 37.34, para desfrutarmos Sua ação que exalta. Abem da verdade, Deus nunca tarda nem falha.

A afirmação: “vos exalte”, empregada por Pedro é humas hupsose no grego, e deriva de hupsóo, levantar; alçar; tomar grande, alto; engrandecer. Em Tiago 4.10, o mesmo verbo foi conjugado no futuro do indicativo ativo, e aponta para uma ação concreta de Deus, mas em ocasião que se apresentará favorável. O desafio do crente consiste em não se antecipar, de ter paciência.

Na verdade, qualquer coisa que fizermos fora do tempo é feita na came ou de acordo com o velho homem (veja Gálatas 6.8), e não tem a mínima chance de lograr bom êxito. Ser exaltado por Deus significa crescer, alcançar valor, ser honrado, exatamente onde éramos desprezados ou ignorados; mas em todos os casos, isso deve ser obra de Deus. Por exemplo, José, filho de Jacó, foi exaltado por Deus quando se tomou governador do Egito (Gênesis 41.45), mas, antes se humilhou e foi humilhado (por seus irmãos, Potifar e sua mulher, o carcereiro etc.).

É duro sofrer a injustiça, o agravo, o dano sem fazer nada (veja ICoríntios 6.7), mas esse é o caminho das Escrituras, do discipulado cristão. Jesus Cristo foi a pessoa mais injustiçada que já passou por este mundo, pagou pelo que não devia, no entanto, está escrito que Deus o exaltou sobremaneira (Filipenses 2.9). Paulo diz aos crentes de Tessalônica que Deus é o vingador daqueles que quando sofrem qualquer tipo de ofensa ou prejuízo (moral, físico, financeiro etc.) confiam Nele para a reparação (ITessalonicenses 4.6). Devemos crer que no tempo adequado o Senhor nos levará a bom termo, mas isto somente acontecerá se fizermos as coisas do Seu modo.

CONCLUSÃO

O texto em estudo tomou-se um verdadeiro provérbio entre os primeiros cristãos (veja 2Coríntios 11.7; Tiago 4.10) e está em absoluta concordância com a primeira beatitude do Sermão do Monte (Mateus 5.3), e assevera, entre outras coisas, nossa aguda dependência da graça e amor de Deus. Além disso, o texto traz a idéia de que não devemos nunca confiar em nada que represente vantagem em relação aos outros (cultura, posição, títulos, dons, dinheiro), pois isso soa como soberba, e resulta apenas na condenação divina. Antes, devemos estar convictos de que tudo vem de Deus e Dele somos devedores. Precisamos esperar que o Senhor crie as circunstâncias e a ocasião apropriada para galgarmos aquilo que Ele tem em mente para nós.

Fonte: https://pastorjosiasmoura.com/

Para Mais informações acesse: http://setebras.hospedanet.org/

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s