Estudo para a EBD. Tema: O caráter e a conduta do verdadeiro cristão

O caráter e a conduta do verdadeiro cristão

Filipenses 4.8,9

INTRODUÇÃO

A mente é a área mais vulnerável do nosso ser. Vitória na mente é bênção para todas as demais áreas da vida. É na mente que tem início qualquer atividade, e podemos afirmar que o caráter se forma a partir daquilo que aceitamos na mente: “Porque, como (o homem) imagina (pensa) em sua alma (mente), assim ele é” (Pv 23.7). Em face dessa verdade, devemos trabalhar ou “filtrar” o que vem à nossa cabeça. Na seqüência, Paulo oferece uma lista de virtudes que devem ocupar o nosso pensamento, para que no decorrer da vida venhamos reproduzir atos que glorifiquem a Deus.

PROPOSIÇÃO: A mente é como uma chocadeira e devemos ser cuidadosos com o que toleramos nela.

I- SEIS VIRTUDES PARA PENSAR:

  1. Tudo o que é verdadeiro

Devemos conservar em nossa “chocadeira” somente sementes genuínas. O “joio” da falsidade, mentira, hipocrisia ou da maldade maquiada (rumores infundados, falsos) devem ser rejeitados. O termo grego alethe, traduzido por verdade, também pode ser: oposição àquilo que é irreal, insubstancial, errado. As Escrituras afirmam que Jesus Cristo é a verdade encarnada (veja João 14.6) e, por conseguinte o contrário exato do que é ilusório, utópico.

  1. Tudo o que é respeitável

Estamos cercados de coisas imorais e indecentes, como programas de TV, novelas, conversas não edificantes, livros, jornais e revistas seculares que não edificam, mas não podemos permitir que elas nos dominem ou influenciem nosso procedimento, daí a necessidade de pensar em coisas sérias, dignas, elevadas (veja Colossenses 3.1), nobres. A palavra grega original é semna e também pode ser traduzida por honroso.

  1. Tudo o que é justo

Cristo é a nossa justiça, e por meio Dele obtemos regeneração, mudança de mente, e podemos ter uma mente boa, sadia, certa, reta, honesta. A mente renovada pela Palavra (veja Romanos 12.2) rejeita a forma mundana de pensar (levar vantagem em tudo), que não respeita o direito do próximo, que é egocêntrica. O termo grego dikaia também pode ser traduzido por: imparcial, reto, honesto.

  1. Tudo o que é puro

Esta deve ser a principal motivação que norteia o nosso agir, mesmo em um mundo tão malicioso. A palavra hagna no original dá idéia de uma mente limpa, não contaminada. Mais uma vez, devemos ter cuidado com o que vemos e ouvimos (veja Mateus 5.28-30). Je-~ que a esperança da vinda de Cristo é capaz de produzir purificação (l João 3.3);

Jesus nos manda “limpar” os pés (conduta) sempre que sujarem (veja João 13.5-11), mas podemos nos antecipar, não poluindo a mente. O pensar puro produz palavras e ações puras.

  1. Tudo o que é amável (ou longânimo, tolerante)

A palavra amável aqui é prosphile, e dá idéia de tudo que leva à amizade, comunhão, companheirismo. Devemos “lubrificar” nossos relacionamentos com o amor de Deus, não permitir que pequenas diferenças desgastem a comunhão. O cristão espiritual pensa uma coisa boa (positiva) do seu irmão, antes de uma má, esforça-se por rejeitar o espírito de dissensão na igreja (veja I Coríntios 1.10) próprio dos crentes carnais, adeptos do PCC (“partido das contendas e ciúmes” – I Coríntios 3.3), a mente carnal gosta mais de pensamentos hostis do que amáveis (Gálatas 5.20,21).

  1. Tudo o que é de boa fama

Paulo usa o termo grego euphema, que significa “o que soa bem, de boa reputação”. Não devemos permitir que se estabeleça em nossa mente tudo aquilo que não tem valor. De outro lado, precisamos conservar, alimentar pensamentos que soerguem nossa vida cristã, familiar, profissional, ministerial, intelectual etc.

II – MENTE SÃ É IGUAL À CONDUTA EXEMPLAR.

-Aquilo que ocupa o nosso pensamento é o que praticamos, o vivemos. Paulo fala no versículo 9 de aprender, receber, ouvir e ver, como o conjunto das verdades e experiências que já tivemos oportunidade de acumular e elas devem contribuir para encarnarmos a doutrina apostólica que sem dúvida vai influenciar decisivamente todas as nossas ações.

CONCLUSÃO

Tudo o que fazemos é reflexo do que pensamos, é verdade que os pensamentos maus (tentação, desânimo, inutilidade etc.) podem nos surpreender ou assaltar, mas isto não representa pecado de imediato, só se o aceitarmos.

Precisamos ser disciplinados mentalmente, preenchendo o tempo vago com a leitura da Bíblia e ou edificante, oração etc. Não estamos desguarnecidos nessa luta, temos o capacete da salvação, o sangue de Cristo e o Espírito Santo.

Fonte: https://pastorjosiasmoura.com/

 

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s