Estudo para o encontro de homens, mulheres e jovens. Tema: Construindo a nossa prosperidade

Construindo a nossa prosperidade

Salmo 1.1-3

INTRODUÇÃO

Em toda a Bíblia, está claro que é vontade de Deus a nossa felicidade. No livro de Gênesis, por exemplo, está escrito que Deus plantou um jardim com toda espécie de árvores agradáveis à vista e boas para o consumo (2.8,9) a fim de proporcionar ao homem a condição ideal para viver e desenvolver a sua descendência. Ainda, para garantir a manutenção do paraíso, o Criador advertiu Adão com relação ao fruto proibido (2.17). Em outras palavras, se o homem seguisse  as instruções, se confiasse realmente em Deus a Queda seria uma possibilidade remota. Entretanto, com o pecado, Deus – por absoluta misericórdia – enviou Jesus Cristo para resgatar o homem e lhe comunicar a Sua própria vida (zoé-veja João 10.10b), ou seja, a vida na sua plenitude (paz, saúde, alegria, abundância de bens etc.).

Tomamos posse dessa maravilhosa vida, nos submetendo à Palavra de Deus (veja Isaías 1.19), ou seja, fazendo a nossa parte. Isto significa dizer que, no que depender de Deus, tudo já está pronto e a nossa vitória sobre as lutas do cotidiano é uma questão de obediência àquilo que Ele já estabeleceu. No Salmo base para este contexto, por exemplo, percebemos que a “frutificação” ou o sucesso na vida advém da observação de quatro importantes princípios.

PROPOSIÇÃO: A manutenção da bênção de Deus sobre o homem depende da sua obediência à Palavra.

 

I- “BEM-AVENTURADO O HOMEM QUE”:

       1. “…não anda no conselho dos ímpios” (grifo do autor). O verbo andar, neste caso, está ligado ao comportamento, e a palavra conselho faz referência à recomendação, à opinião, ao pensamento, à orientação, à forma particular de encarar a vida etc. O homem de Deus nunca será conivente com as idéias dos que desprezam a Jesus ou os valores morais contidos nas Escrituras e, jamais aceitará negociar a sua consciência por conta do “jeitinho brasileiro”, mentira, roubo, injustiça, jogos de azar etc., para conseguir prosperar.

       2. “…não se detém no caminho dos pecadores” (grifo do autor). O verbo deter aqui empregado também significa parar, demorar-se, reter em seu poder. De forma geral, quem se detém no caminho dos pecadores acaba por absorver a cultura, costumes ou o comportamento dos ímpios a tal ponto de afetar significativamente seu modo de pensar e agir sobre as coisas de Deus. A palavra “caminho” faz referência a qualquer atividade, crendice, modo de vida (falar, vestir, comportar) etc. O justo não aprova nem participa (freqüenta o mesmo ambiente) daquilo que vilipendia a sua consciência ou está em desacordo com as Escrituras.

       3. “…nem se assenta na roda dos escamecedores” (grifo do autor). Escarnecer é o mesmo que zombar, ridicularizar, desprezar tudo aquilo que é importante para Deus. Nossas companhias devem contribuir para nos achegar mais a Deus e não para nos afastar Dele (veja Provérbios 1.10-19). Estar na “roda” dos zombadores é o mesmo que assumir a posição deles ou aprovar suas palavras e atitudes. O crente que se acomoda (“se assenta”) no erro, como se fosse um ímpio será duramente disciplinado pelo Senhor, para não correr o risco de ser condenado com o mundo (I Coríntios 11.32; Hebreus 12.6).

       4. “…o seu prazer está na lei do Senhor” (grifos do autor). A lei do Senhor (do hebraico torah) ou a revelação completa de Deus (Escritura Sagrada) é oposta ao “conselho dos ímpios”. Quem tem prazer ou ama a Bíblia, regula a sua vida em conformidade com ela, e como resultado disso, nunca estará perdido ou desesperado. Com os ímpios não é assim, Paulo diz que eles “…perecem, porque não acolheram o amor da verdade para serem salvos” (2Ts 2.10). Meditamos na Palavra, quando refletimos, ponderamos cuidadosamente, após lermos por um tempo. Desse modo, é possível perceber cada princípio, mandamento, preceito, promessa e aviso nela contidos. Saturar a mente e o coração com a Palavra é o caminho para a praticarmos, pois tudo aquilo que forma o nosso pensamento, bom ou ruim, determina a nossa ação ou maneira de viver (Veja Provérbios 23.7; Josué 1.8).

       Como observamos, qualquer pessoa pode ser feliz, desde que o seu estilo de vida esteja de acordo com o padrão das Escrituras, e não conforme o modelo preconizado pelo mundo (veja Romanos 12.2), pois o mundo faz oposição aberta a Deus (Tiago 4.4; I João 5.19). E sábio, portanto, todo aquele que evita “andar, deter e assentar-se” com os descrentes, pois isso seria o mesmo que virar progressivamente as costas para Deus, ou para a vida propriamente dita.

 

II      – “ELE É COMO ÁRVORE PLANTADA JUNTO A CORRENTE DE ÁGUAS”.

       O homem que ama e pratica a Palavra de Deus é comparado a uma árvore viçosa, frondosa. Nas Escrituras, a árvore é com frequência usada como símbolo de vitalidade ou longevidade, estabilidade e produtividade. A graça de Deus no homem é capaz de fortalecê-lo para resistir às tempestades circunstanciais, além de prolongar seus dias de vida com saúde.

       Deus é como uma “fonte de água”, de onde jorra toda sorte de bênçãos. E o homem que lhe obedece, tem suas “raízes” aprofundadas ou seguras nas suas maravilhosas e ricas promessas (veja Filipenses 4.19). Viver junto às águas vivas também significa estar permanentemente cheio ou controlado pelo Espírito Santo (João 7.38,39; Efésios 5.19).

       Essa árvore possui folhas sempre verdes e vistosas, nunca murcha, isso nos lembra a constância do crente fiel, e o seu ritmo de vida sempre em ordem, a sua felicidade existencial por consequência de sua comunhão com Cristo, que por sinal o socorre nos períodos de “seca” ou estiagem circunstancial. Como a árvore frondosa é uma bênção para homens e animais (sombra, abrigo, frutos etc.) assim o é também o crente próspero, pois ele compartilha com os outros o que recebe de Deus.

       O “crente árvore” não teme as intempéries ou provações da vida, pois elas nunca poderão desestabilizá-lo, exatamente porque está plantado sobre Cristo a rocha eterna (veja I Coríntios 3.10), além disso, sua produtividade está garantida pelo acesso que tem a “água da vida”, a vida abundante que vem da “Videira verdadeira” (Jo 15.1). Desse modo, os “frutos silenciosos” da paz, alegria, justiça, boas obras, ou qualquer outro tipo de boa influência (sal e luz) têm livre curso em sua vida.

 

III      – “…E TUDO QUANTO ELE FAZ SERÁ BEM SUCEDIDO”.

       Este é o resultado natural de quem escolhe “andar com Deus” (Am 3.3), ou de se submeter voluntariamente à Sua vontade (veja l João 5.14). Ser bem-sucedido é o mesmo que próspero, abençoado, feliz. O alcance dessa felicidade é geral, pois o versículo 3 diz que é em tudo, ou seja, nos negócios, na falia (educação dos filhos e relacionamento conjugal), no ministério etc.

– A prosperidade econômica do justo ocorre porque ele dizima e oferta fielmente (veja 2Coríntios 9.6-12); o sucesso social acontece naturalmente, porque quem espalha amor, amizade, compreensão, respeito, justiça, paz é isso mesmo que vai colher; a bênção familiar é uma realidade em decorrência da obediência ao papel de marido, esposa, pais e filhos determinados por Deus nas Escrituras etc.

-Apesar dessa promessa ter aplicação real e automática na vida de qualquer servo fiel a Deus, ela não oferece imunidade ou isenção dos problemas ou dificuldades de toda natureza, antes a vida abundante em Jesus nos capacita com sabedoria (veja Eclesiastes 2.24) para enfrentá-los, além de podermos contar sempre com a maravilhosa aprovação de Deus em tudo que Ele nos permitir fazer ou participar (Deuteronômio 14.29; 28.12; Salmo 37.22-24).

 

CONCLUSÃO

 

Neste salmo, encontramos a “receita do sucesso”. Quem deseja ser um autêntico vencedor em todas as áreas do viver humano deve estar consciente de que precisa amar e cumprir a Palavra de Deus acima de tudo e de todos (veja Mateus 6.33). E verdade que na vida tudo é uma questão de escolha, e o homem “bem-aventurado” é aquele que escolhe conhecer (meditar dia e noite) e seguir os preceitos bíblicos, e como resultado disso, Deus o coroará de bens e longevidade.

3 thoughts on “Estudo para o encontro de homens, mulheres e jovens. Tema: Construindo a nossa prosperidade

  1. Sou a Berta , Estou muito Feliz por achar o vosso sait e me alimentar so mesmo peço que orem por favor por mim pois meu casamento esta a desmoronar e como creio no nosso senhor jesus cristo que me uniu no casamento gostaria que me esclarecessem acerca de genesis 48 nos seus capitulos 10 a 14 acerca da adoçao espiritualmente falando acerca dos nossos dias Amém ________________________________

    Curtir

  2. Exelente estudo,agradeço ao homem de Deus pastor josias moura por ter compartilhado comigo essa benção.que Deus continue te abençoando

    Curtir

  3. Acho que to ficando velho… kkkk Eu lembro de coisas antigas mas esqueço o que acabei de ler… kkkkkk Orando sempre para ter boa memória. Eu preciso para concluir minha tese… kkkkk Abrações,

    Eliseu

    Curtir

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s