Estudo para a EBD 17.07.2016. Tema: Inimigos do crente – Parte 02

Inimigos do crente – Parte 02

I João 2.15-17

INTRODUÇÃO

Vivemos em um mundo contaminado, hostil, que faz oposição aberta a Deus e ao Seu povo. Jesus já havia advertido os seus discípulos acerca das aflições que o mundo haveria de lhes impor por causa da opção que fizeram pela verdade, justiça, e compromisso com o evangelho (veja João 16.33).

Satanás influencia e manipula o mundo no comportamento e nos costumes de uma forma geral {veja 1 João 5.19), e tenta contaminar a pureza da Igreja de Cristo por meio da infiltração de conceitos e valores mundanos completamente antagônicos à fé e à moral e essa entrada é facilitada por líderes não regenerados (2Coríntios 11.13). Além disso, ele usa os formadores de opinião (mídia, professores), e as ciências (que procura ignorar Deus e até mesmo substituí-lo) para afastar o crente da esperança bíblica. O cristão que se deixa “moldar” de acordo com o paradigma do mundo (Romanos 12.2) irá reproduzir atitudes condenáveis (tolerância com o pecado) como as que Jesus denuncia na carta que enviou à igreja de Laodicéia (Apocalipse 3.14-19).

 

PROPOSIÇÃO: O mundo deve exercer uma influência apenas efêmera e circunstancial sobre o crente.

I – “NÃO AMEIS O MUNDO NEM AS COUSAS QUE HÁ NO MUNDO”.

O mundo é inimigo do verdadeiro crente, pois o espírito do anticristo (rebelião contra Deus) reina nele (4.3). O mundo não nos reconhece, porque é o domínio de Satanás (5.19) onde jaz uma multidão de seres humanos perdidos que são orientados e manipulados por ele.

O crente renascido foi tirado do mundo e não lhe pertence mais {veja João 17.6). Seu amor e lealdade agora são devidos somente a Deus. Como podemos amar algo que nos odeia? (3.13). Devemos amar as pessoas que há no mundo e não as coisas (valores, hábitos, idéias) mundanas.

Tiago declara que “… Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus” (4.4). O que significa ser “amigo do mundo?” Concordância, simpatia, afeição, atração pelas idéias e valores do mundo. Está em vista uma espécie de “adultério espiritual”, pois esse apego ou relacionamento do crente com as coisas condenáveis do mundo além de dividir a sua lealdade a Deus, termina por comprometer o seu testemunho {veja Tiago 3.15) e santificação. -Ter Deus como amigo é maravilhoso, mas isso só se consegue se lhe formos fiéis, obedientes (veja João 15.14), se o amarmos de verdade. O verdadeiro amigo é como um irmão na adversidade (Provérbios 17.17), ou seja, está sempre ao nosso lado, é fiel o tempo todo, e realmente pensa em nosso bem-estar.

Paulo reitera que o crente compromissado com Deus deve viver nesse presente século negando, abjurando, rejeitando “…a impiedade e as paixões mundanas” (Tt 2.12), e isso por meio de uma vida piedosa, casta e dedicada à causa do evangelho.

 

II- “…PORQUE TUDO QUE HÁ NO MUNDO (…) NÃO PROCEDE DO PAI”.

O apóstolo João enfatiza a tríade da maldade que opera livremente no mundo que são:

1.     “a concupiscência da carne”; o termo epithumia também significa anseio, anelo, desejo, paixão e associado com a carne (sarkós) tem a ver com o desejo pelas coisas erradas, proibidas pela Palavra de Deus, como a sensualidade ou o prazer sexual sem critério.

2.    “a concupiscência dos olhos”; aqui figura o anseio pela ostentação, é a valorização do exterior, ou a extrema preocupação com a aparência, é a cobiça por ter sempre mais, mesmo que seja supérfluo.

3.     “e a soberba da vida”; o termo cilazonéia também significa arrogância, orgulho e ligada à vida (bios – diferente de zoe) ou seja bens, posses terrenas, denota a busca louca por reconhecimento e glória dos homens, fala de alguém que quer impressionar os outros por meio de coisas materiais, é o egocentrismo humano buscando reconhecimento ou honrarias.

João afirma que esses anseios por fama, dinheiro, status social, prazeres carnais ou toda luxúria não vem de Deus, mas da natureza humana depravada, caída, adâmica, e também do próprio mundo (kósmos), ou seja, da sociedade que dirige seus cidadãos por critérios próprios, independentes e em oposição a Deus e a sua Palavra.

 

III- “ORA, O MUNDO PASSA, BEM COMO A SUA CONCUPISCÊNCIA”.

João enfatiza aqui a transitoriedade desse sistema ou organização secular. Portanto é mau negócio arriscar nossa posição no Reino de Deus por “vantagens” efêmeras e que no final se revelarão destruidoras.

Sobre a brevidade do presente mundo Paulo enfatiza o seguinte: “…e os que se utilizam do mundo, (kósmou) como se dele não usassem; porque a aparência deste mundo passa” (ICo 7.31). Em outras palavras, o mundo não pode ficar com o melhor do nosso tempo, esforço e talentos, pois nele não há nada permanente ou que nos garanta uma recompensa eterna. Jim Elliott disse o seguinte: “Não é insensato aquele que desiste daquilo que não pode conservar, a fim de conservar aquilo que não pode perder”.

Quem, porém, faz ou cumpre a vontade de Deus permanece, não desaparece, vai viver etemamente, e nunca será destruído (veja 2 Coríntios 4.18). Priorizar a Deus e as coisas relacionadas com o Seu reino é bom negócio (Mateus 6.33).

 

CONCLUSÃO

Deus aborrece todo procedimento mundano (veja Zacarias 8.17), nossas atitudes, portanto, devem espelhar, reproduzir o caráter de Jesus Cristo. Quando somos dominados gelo mundo? Quando comprometemos nosso testemunho para sermos aceitos pela “maioria” (Exodo 23.2); quando buscamos satisfazer nossos “sonhos” em detrimento da vontade de Deus (Mateus 6.33); quando empregamos todo o nosso tempo com atividades estéreis e sem valor espiritual (ICoríntios 3.13); quando nos identificamos com idéias e conceitos que maculam a pureza bíblica (por exemplo: sexo livre, divórcio por qualquer motivo, aborto, uso de álcool, negócios ilícitos, jogos de azar etc.). O consumismo está diretamente ligado ao materialismo, e ao desejo pelo poder (ser e ter), o prestígio e a ostentação se tomam uma sutil armadilha que pode levar o cristão a se afastar da simplicidade e do contentamento, e o que é pior, a perder a sua alma (Marcos 8.37).

  

 

ATENÇÃO: Na próxima semana iniciaremos um novo estudo bíblico em um livro da Bíblia. O estudo de hoje faz parte de um tema livre. 

3 thoughts on “Estudo para a EBD 17.07.2016. Tema: Inimigos do crente – Parte 02

  1. Paz Graça Bondade é misericórdia seja sobre tua vida servo do Deus vivo, que o senhor continue te usando com sabedoria para a edificação de outras vida concernente ao reino de Jeová e do seu Cristo que reina. Obrigada meu Pastor em nome de Jesus seja sempre abençoada sua vida.

    Curtir

  2. pastor moura tenho um aplicativo ante viros o seu estudo guando ele e aberto o numero e emprecionante de viros porque pastor? paz do senhor

    Curtir

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s