25.10.2015. EXPONDO O EVANGELHO DE MARCOS – CAPITULO 13

EXPONDO O EVANGELHO DE MARCOS – CAPITULO 13

Os primeiros crentes que leram o evangelho de Marcos eram persegui­dos e tinham a tentação de desistir e, assim, comprometer seu teste­munho. Essa versão do sermão das Oliveiras (Mt 24—25) era o encora­jamento exato que precisavam para permanecer fiéis ao Senhor. O ser­mão foca os últimos dias e descreve a primeira parte (13:5-13), o meio (13:14-18) e a última parte do perío­do da tribulação e leva ao retorno do Senhor à terra (13:19-27). Mas o ser­mão também fornece princípios que se aplicam aos santos sofredores de todas as eras. Jesus apresenta quatro advertências às quais seu povo deve prestar atenção em tempos de perse­guição e oposição.

1)  Não seja enganado (13:1-8)

O templo estava deserto (Mt 23:38) e seria destruído (v. 2). Quatro dis­cípulos perguntaram quando seria destruído e que sinais anunciariam esse desastre. Eles pensavam que a destruição do templo, o fim da era e a vinda do reino aconteceriam ao mesmo tempo, por isso Jesus deu-lhes um panorama geral dos últimos dias. Todavia, a preocupação maior dele é que seu povo não seja enga­nado por falsos cristos que aparece­rão e prometerão trazer-lhes vitória e glória. Ele também menciona os falsos sinais que podem desviá-los da verdade (vv. 7-8). Essa admoestação refere-se principalmente aos ju­deus, pois a igreja deve estar atenta a falsos mestres, não a falsos cristos (2 Pe 2), e devemos aguardar o Sal­vador, não sinais (Fp 3:20-21).

2)  Não tenha medo (13:9-13)

As épocas de perseguição são de proclamação, e não devemos ter medo de proclamar o evangelho e reconhecer Jesus Cristo como nosso Salvador e Senhor. O Espírito Santo ajuda os que caminham com o Se­nhor e querem, com sinceridade, glorificá-lo. Atos dos Apóstolos apre­senta essa realidade muitas vezes.

O versículo 10 não é uma exi­gência para a vinda do Senhor. Jesus assegura a determinação e a garantia divinas: apesar de tudo que Satanás fará durante o “tempo de angústia para Jacó”, a Palavra de Deus será proclamada e sua vontade, realizada. O versículo 11 também não é uma desculpa para o ministro descuidado! Os pregadores e professores devem estudar, meditar e orar, não apenas “confiar” em que o Espírito lhes dê suas mensagens no último minuto. Jesus encoraja-nos para os momentos difíceis em que enfrentamos perigo e não sabemos o que dizer.

O versículo 13 apresenta uma afirmação que não é exigência para a salvação, pois se aplica principal­mente aos crentes do período da tribulação. Nos versículos 7 e 13, o termo “o fim” refere-se ao térmi­no da era, não ao fim da vida de alguém. Em todas as eras da igre­ja, prova-se a verdadeira fé sempre pela fidelidade.

3)  Não seja ignorante (13:14-27)

A ênfase aqui é sobre o conheci­mento que adquirimos por inter­médio das Escrituras (vv. 14,23). O “abominável da desolação” refere-se à imagem sua que o anticristo (a “besta” de Ap 13) porá no templo judeu (Dn 9:27; 2 Ts 2:3-10) e for­çará que o mundo ímpio a adore. Isso acontecerá no meio do perío­do de sete anos da tribulação e será um aviso especial para os judeus da Judéia de que é hora de fugir! Esse aviso não diz respeito ao retorno de Cristo para sua igreja (1 Ts 4:13- 18, pois não sabemos quando isso ocorrerá. É importante que estude­mos e conheçamos as profecias es­criturais para que não fiquemos em “lugar tenebroso” e sejamos desvia­dos (2 Pe 1:12-21).

Os versículos 24-27 descrevem o fim do período da tribulação e a vinda de Cristo à terra para derrotar seus inimigos e estabelecer seu rei­no (Ap 19:11—20:5). Mais uma vez, a ênfase está nos sinais, pois “os ju­deus pedem sinais” (1 Co 1:22). Veja Isaías 13:10; e 34:4 ejoel 2:10,31 e 3:15. A nação judaica que está es­palhada será reunida de novo (Dt 30:3-6; Is 43:6) e restaurada.

4)  Não seja descuidado (13:28-37)

A ênfase é no conhecimento (vv. 28-29) e na atenção (vv. 33-35,37). A parábola da figueira enfatiza o que sabemos (seu retorno está pró­ximo), e a dos servos realça o que não sabemos (quando ele virá). “Ao começarem estas coisas a su­ceder”, assim, quando virmos al­guns dos sinais da tribulação sur­girem em nosso horizonte, sabere­mos que o tempo se aproxima (Lc 21:28). Todavia, o importante não é vigiar o calendário, mas edificar nosso caráter. Devemos estar aler­tas (“vigiai”) e fazendo o trabalho dele quando ele vier. Veja 1 Tessalonicenses 5:1-11.

No versículo 30, é provável que a expressão “esta geração” refira-se às pessoas vivas na época em que tudo isso acontecer. Em 8:12,38; 9:19; 13:30, observe como Jesus usou a palavra “geração”. A nação de Israel não será destruída, apesar da perversidade do homem e do programa anti-semita de Satanás.

 

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s