SERMÃO: O METODO DIVINO DA MANSIDÃO

O método divino da mansidão

Introdução

Todos querem ter amigos. Todos precisam de amigos. A medicina declara que, para viver mais, é preciso ter amigos. O dr. James Lynch fez vastas pesquisas, comprovando que a solidão realmente enfraquece o sistema imunológico humano.

Anos atrás, Dale Carnegie escreveu o segundo best-seller do século XX intitulado Como fazer amigos e influenciar pessoas. Por que o livro vendeu tantos exemplares? Porque todos querem ser amados. Todos querem ter amigos. Um versículo de Provérbios declara: O homem que tem muitos amigos deve congratular-se” (18.24; RC). Em outras palavras, se quiser que os outros gostem de você, terá de ser simpático. E uma das qualidades mais simpáticas é o que a Bíblia chama de “mansidão”.

Mas o que significa ser manso?

Em Gálatas 5.23, lemos que o oitavo fruto do Espírito é a mansidão. E Filipenses 4.5 declara: “A vossa mansidão seja conhecida de todos os homens”.

Bem, o que significa então ser manso? Significa controlar suas reações diante das pessoas. Significa escolher a forma de agir, em vez de simplesmente reagir às pessoas.

Ser manso implica em sermos complacentes

Quando alguém o decepcionar, seja complacente, e não crítico. Em Gálatas 6.1,2 lemos: “se alguém for surpreendido em algum pecado, vocês, que são espirituais, deverão restaurá-lo com mansidão. Cuide-se, porém, cada um para que também não seja tentado. Levem os fardos pesados uns dos outros e, assim, cumpram a lei de Cristo.

A tentação a que Paulo está se referindo nessa passagem pode muito bem ser a de ser crítico, de se achar “mais santo do que o outro”. E essa é a reação errada de um cristão em relação a um irmão ou irmã em Cristo que luta contra o pecado. Romanos 14.1 diz: “Aceitem o que é fraco na fé, sem discutir assuntos controvertidos”. Sujeitamo-nos ao ataque de Satanás em nossas próprias fraquezas no momento em que começamos a condenar os outros.

Há uma pergunta importante a ser feita nesta ocasião: qual é a sua reação diante de pessoas que arruinaram sua própria vida ou que erraram de alguma forma?

Será que desejamos a vingança, ou vê-las destruídas? A reação de Jesus para com a mulher apanhada em adultério foi cheia de sensibilidade. Todos a acusavam e Ele a defendeu. E depois que a multidão partiu, falou-lhe em particular sobre seu pecado. Jesus foi manso, e não critico.

Devemos nos esforçar para não sermos críticos, porque foi assim que Cristo nos tratou. Vejamos o que nos diz Romanos 15.7: “aceitem-se uns aos outros, da mesma forma que Cristo os aceitou”.

Você sabe, Deus tolera muitas coisas que fazemos. E, se Deus tolera as nossas inconstâncias e fraquezas, podemos aprender a tolerar muitas das falhas reveladas por outros. Sempre que nos sentirmos tentados a julgar outra pessoa, faça uma pausa para lembrar o quanto Deus lhe perdoou. Quanto mais reconhecer a graça de Deus para com você, mais tolerante será com os outros.

Você se tornará mais manso quando for compreensivo, e não exigente, com as pessoas que o servem. E, quando as pessoas o decepcionarem, você se tornará mais manso se agir com compreensão, em vez de julgá-las. Não implique, simplifique! Deus é invariavelmente manso com você e quer que você seja manso com os outros.

Em situações críticas temos algumas alternativas: Podemos recuar de medo, reagir com ira ou agir com mansidão. Muitas pessoas preferem recuar ou reagir. Poucas sabem agir com mansidão.

Desistir e recuar de medo diante de pessoas difíceis é o mesmo que dizer: “Está bem, seja como quiser”, melhor fugir de um encontro com tal pessoa. E assim evitamos estas pessoas, mas em algum será necessário uma conversa franca e direta com estas pessoas.

Já, se você reagir com ira, atacará sempre que alguém se opuser a você. A ira é geralmente um sinal de que você se sente inseguro e está ameaçado pela desaprovação de alguém, uma luz vermelha que diz que você perderá alguma coisa, quase sempre, a auto-estima. Quando as pessoas ficam iradas, a reação mais comum é serem sarcásticas e atacarem a dignidade dos outros.

A terceira alternativa, agir com mansidão, é o método que Deus quer que você escolha na hora da oposição. Esse tipo de reação exige um excelente equilíbrio entre a manutenção do seu direito de ter opinião e o respeito do direito do outro de também ter opinião. É necessário ser compassivo sem abrir mão das convicções.

Em Provérbios 15.1 encontramos: “A resposta calma desvia a fúria, mas a palavra ríspida desperta a ira”. Tenho certeza de que você já descobriu isso em sua experiência. Quando alguém faz uma pergunta, se você responder com arrogância, a pessoa provavelmente vai desafiá-lo. Mas, se responder com mansidão, a pessoa provavelmente ficará receptiva. Quando você grita com os outros, eles se colocam na defensiva.

 

Atente para o que Tiago 3.16,17 diz: “Pois onde há inveja e ambição egoísta, aí há confusão e toda espécie de males. Mas a sabedoria que vem do alto é antes de tudo pura, depois, pacífica, amável, compreensiva, cheia de misericórdia e de bons frutos, imparcial e sincera”.

A mansidão deve gerar em nós  a capacidade de discordar amigavelmente. Podemos viver em paz com alguém sem pensar igual. Afinal, se duas pessoas concordassem em tudo, uma delas não seria necessária. A mansidão é a capacidade de discordar amigavelmente.

Escrevendo a Timóteo, Paulo disse: “Ao servo do Senhor não convém brigar mas, sim, ser amável para com todos, apto para ensinar, paciente. Deve corrigir com mansidão aos que se lhe opõem na esperança de que Deus lhes conceda o arrependimento, levando-os ao conhecimento da verdade” (2Tm 2.24,25).

Alguém já disse que nunca devemos entrar numa batalha em que você não tem nada a ganhar. Não deixemos que o nosso orgulho e ego nos controlem. Sejamos sábios. Sejamos mansos e humildes. Os mansos herdarão a terra.

Jesus disse: “Bem-aventurados os mansos”.

A palavra grega traduzida aqui como “manso” também significa gentil: Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra (Mt. 5.5). O que você pensa quando vê a palavra manso? Provavelmente imagine uma pessoa antiquada, sossegada e sem coragem, como um gatinho encolhido num canto.

No entanto, Jesus se considerava “manso” (Mt. 11.29) e certamente não tinha medo de ninguém. Os mansos, os gentis, vão herdar a terra porque são pessoas do tipo divino, são como Jesus Cristo.

As pessoas mais sábias que conheço são as que mais querem aprender com as outras. Estão sempre aprendendo. Admiro isso nas pessoas. Admiro pessoas que assumem uma atitude como se dissessem: “Ensine-me”. Descobri que posso aprender com qualquer pessoa. Você também pode. Podemos aprender com qualquer um se tão-somente soubermos fazer as perguntas certas. É importante nunca parar de fazer perguntas, porque, no momento que pararmos de aprender na vida, fracassaremos! Seja receptivo, e não -inacessível.

Vou fazer uma pergunta: com quem você gosta de aprender? Você consegue aprender com seu marido ou ele a assusta? Você consegue aprender com sua esposa ou ela o assusta? Consegue aprender com seus filhos? Tenho aprendido muito com os meus filhos.

 

Quer uma boa receita pra acabar sozinho na vida? Nunca admita um erro, nunca aprenda nada com ninguém, nunca permita que alguém lhe ensine algo. Garanto que acabará se tornando uma pessoa muito solitária. Ninguém tem todas as respostas. Eu não tenho. Você não tem. Ninguém tem. Pessoas cheias de mansidão estão abertas para aprender com outros.

Conclusão

Quero finalizar esta palavra destacando que a força de uma pessoa mansa está em Sua capacidade de lidar com pessoas difíceis sem retaliar, ou se vingar. Ou em oferecer muitas vezes a outra face.

Talvez você diga: “Isso não é fácil”. Concordo com você, pois realmente, não é. É quase impossível. Muitos dirão que “Reagir desse jeito não é natural. Eles tem razão.  Mas desconhecem que isso é sobrenatural, é fruto do Espírito. É preciso o poder de Deus para viver dessa maneira.

A força de uma pessoa mansa está no fato de que Deus lhe capacita a ter controle sobre as emoções. Deus nos concede domínio próprio sobre o nosso ser e agir.

Provérbios 16.32 nos lembra que: “Melhor é o homem paciente do que o guerreiro, mais vale controlar o seu espírito do que conquistar uma cidade”. Esse versículo está dizendo que a pessoa que pode controlar seu estado de espírito é mais forte do que um exército em uma cidade cercada por uma muralha. Contudo, a pessoa que não consegue controlar o próprio espírito é indefesa, como uma cidade desprotegida

A Palavra de Deus diz: Não retribuam a ninguém mal por mal. Não se deixem vencer pelo mal, mas vençam o mal com o bem” (Rm 12.17,21). O poder do bem sempre será superior aos efeitos do mal.

Que Deus nos abençoe!

 

 

One thought on “SERMÃO: O METODO DIVINO DA MANSIDÃO

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s