08.02.2015. Estudo EBD. Tema: A razão das divergências – Tiago 4:1-3

CLIQUE AQUI PARA VER ARQUIVO PARA IMPRESSÃO

 

A razão das divergências – Tiago 4:1-3

Por que os conflitos se iniciam? Poderiamos achar várias respostas a esta pergunta, mas creio que Tiago acertou em cheio. O problema está em nós mesmos, naquilo que sentimos em relação aos outros. Nos versos 1 e 2 Tiago começou dizendo: “De onde vêm as guerras e contendas que há entre vocês? Não vêm das paixões que guerreiam dentro de vocês? Vocês cobiçam coisas, e não as têm; matam e invejam, mas não conseguem obter o que desejam. Vocês vivem a lutar e afazer guerras. Não têm, porque não pedem”.

 

As lulas e contendas se iniciam por causa das paixões, da cobiça e da inveja que as pessoas sentem. É interessante notar que Tiago usa duas palavras para descrever uma situação caótica:  (polemos), guerra, no sentido de um estado crônico de campanhas de guerra, e (machê), batalha, contenda, uma palavra que apresenta os conflitos separados ou as batalhas da guerra. Muitas igrejas vivem em “pé-de-guerra” porque os seus membros estão sendo guiados pelas paixões, (hêdonê) que no grego significa também desejo, prazer. Embora esta palavra tenha um forte tom filosófico, ela deve ser entendida como um sentido prático e pejorativo.

 

É certo que os cristãos estavam envolvidos em batalhas verbais, e que tudo isso estaria gerando partidos e facções, movidos pelos desejos. Ao invés de submeterem-se a Deus, eles estavam sendo dominados pelos desejos incontroláveis da natureza pecaminosa. Isso realmente mancha o bom nome do Evangelho de Jesus Cristo. É certo que nenhuma divisão, contenda ou briga vem de Deus. Infelizmente muitos cristãos dão lugar aos seus desejos e não ao Espírito Santo. Como observou o filósofo judeu Spinoza no século XVII: “Muitas vezes tenho ficado pasmado diante do fato de pessoas que se vangloriam de professar a religião cristã – a saber, amor, alegria, paz, temperança e caridade diante de todos os homens – brigarem com uma animosidade tão rancorosa e, diariamente, demonstrarem umas às outras um ódio tão amargo, a ponto de tudo isto, em lugar de virtudes que professam, ser o principal critério de sua fé.”

 

Outras fontes das contendas entre os cristãos, e as pessoas de modo geral, são a cobiça, do grego epithymeite, que significa desejar, ansiar por, tendo esta palavra um bom ou mau sentido; e a inveja, do grego zêloute, ou seja, ser zeloso, aspirar, cobiçar. Estes dois elementos juntos estavam levando alguns cristãos a destruírem a outros cristãos. Por isso Tiago diz: “Vocês cobiçam coisas, e não as têm; matam e invejam…”. Este matar aqui vem do gregophoneuete que significa assassinar. É claro que Tiago não está falando em termos literais, mas no aspecto de matar o irmão interiormente, com palavras e gestos, destruindo o bem-estar espiritual individual e da igreja como um todo.

 

Como é triste perceber que as lutas internas pelo ‘”poder eclesiástico” afastam os cristãos e a igreja da vontade de Deus. Nunca devemos nos esquecer que Cristo é o Cabeça da Igreja. É Ele quem manda e tem real poder sobre tudo. Nós somos servos e jamais devemos nos esquecer da nossa posição. A igreja sofre quando alguns cristãos querem ser “donos” do rebanho. Todas as lutas entre os homens advêm de sentimentos obscuros e tenebrosos. Se você acha isso impossível de acontecer, basta olhar para a história da igreja e verá que nem sempre os sentimentos eram nobres e espirituais. Se há algo que envolve o homem desde o Éden é a sede de poder.

 

As lutas e as divisões geram um impasse espiritual: “Não têm, porque não pedem. Quando pedem, não recebem, pois pedem por motivos errados, para gastar em seus prazeres.” (v.2b.3). Por que ocorre isso? Porque há uma falha na oração e nas suas reais motivações. Muitos cristãos acusam Deus de negligência e falta de sensibilidade. Ouço alguns cristãos acusarem Deus de injusto por não responder as orações feitas a Ele. A grande pergunta a ser feita aqui é: Toda oração feita em nome de Jesus está de acordo com a vontade divina?

 

Para muitos basta orar em nome de Jesus e a coisa vai ocorrer. Não é bem assim! O nome de Jesus não é um amuleto, um “abre-te Césamo” ou coisa parecida. Apesar de Jesus ter dito que poderiamos pedir em Seu nome ao Pai (Jo. 14:13,14; 15:16; 16:23,24,26), e cremos ser a mais pura verdade este fato, devemos entretanto encontrar o contexto correto. Deus não é um pai que mima seus filhos. Ele não dá o queremos e sim o que precisamos. Jesus quando orou disse: “Dá-nos hoje o nosso pão de cada dia” (Mt. 6:11), mostrando a necessidade diária e a provisão necessária de Deus. Muitas orações não são respondidas por causa da ganância das pessoas. O pedido é feito de modo incorreto: “pois pedem por motivos errados”.

 

Enquanto sua oração estiver sendo dirigida aos seus próprios prazeres, não espere favores de Deus. A oração respondida é aquela que está de acordo com a vontade do Senhor. Tiago diz que esta oração feita de modo errado tem um único objetivo: “para gastar em seus prazeres”. A idéia central é que eles desejam abundância financeira. Paulo advertindo Timóteo, disse: “…Esse tal mostra um interesse doentio por controvérsias e contendas acerca de palavras, que resultam em inveja, brigas, difamações, suspeitas malignas e atritos constantes entre aqueles que têm a mente corrompida e que são privados da verdade, os quais pensam que a piedade é fonte de lucro…pois o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males. Algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé e se atormentaram com muitos sofrimentos ” (l Tm. 6:4,5,10). Quando vemos lutas internas na igreja há urna certeza: o “eu” e não Cristo está sendo satisfeito.

 

As dissensões produzem somente dor no meio da igreja. Elas são motivadas pelas obras da carne, e fazem com que cristãos, que levam o nome de Cristo Jesus sobre si, ajam como se fossem bárbaros. A orientação bíblica é que devemos nos afastar das discussões e de toda gritaria (Ef. 4:31; 1 Tm. 1:4-7; Tt. 3:9-11). Isso não convém a pessoas que são conhecidas como seguidoras do Mestre do Amor.

 

Fonte: www.josiasmoura.wordpress.com

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s