SERMÃO: PALAVRAS DE DESPEDIDA

PALAVRAS DE DESPEDIDA

Palavra ministrada no culto em ações de graças pela despedida do Casal Moises e Marize na Igreja Betel Brasileiro Geisel

Atos 20:17-24

At 20:17 Em Mileto Paulo mandou chamar os presbíteros da igreja de Éfeso para se encontrarem com ele.

At 20:18 Quando eles chegaram, Paulo disse: —Vocês sabem como foi que passei todo o tempo que estivemos juntos, desde o primeiro dia em que cheguei à província da Ásia.

At 20:19 Fiz o meu trabalho como servo do Senhor, com toda a humildade e com lágrimas. E isso apesar dos tempos difíceis que tive, por causa dos judeus que se juntavam contra mim.

At 20:20 Vocês também sabem que fiz tudo para ajudar vocês, anunciando o evangelho e ensinando publicamente e nas casas.

At 20:21 Eu disse com firmeza aos judeus e aos não-judeus que eles deviam se arrepender dos seus pecados, voltar para Deus e crer no nosso Senhor Jesus.

At 20:22 Agora eu vou para Jerusalém, obedecendo ao Espírito Santo, sem saber o que vai me acontecer lá.

At 20:23 Sei somente que em todas as cidades o Espírito Santo tem me avisado que prisões e sofrimentos estão me esperando.

At 20:24 Mas eu não dou valor à minha própria vida. O importante é que eu complete a minha missão e termine o trabalho que o Senhor Jesus me deu para fazer. E a missão é esta: anunciar a boa notícia da graça de Deus.

 

 Introdução

O texto que lemos fala de despedida. O apóstolo Paulo ia para Roma, e nesse momento crucial ele chama os presbíteros da igreja de Éfeso para se despedir (17).

Paulo fala sobre como havia se portado, isto é, quais haviam sido suas atitudes enquanto estivera no meio deles.

No verso 18, Paulo diz: “Vocês sabem como foi que passei todo o tempo que estivemos juntos,…..”. Paulo se deixou conhecer pelos seus irmãos. Não era um estranho. Seu testemunho e sua vida eram acompanhados. Este casal, é um casal conhecido por nós. Sua vida e seu testemunho são conhecidos.

Nas linhas seguintes Paulo fala aqui sobre as principais marcas e características de seu trabalho junto àqueles irmãos. Meu proposito aqui é compartilhar acerca destas principais características do ministério de Paulo:

1 – Serviço com humildade – vs 19

“Fiz o meu trabalho como servo do Senhor, com toda a humildade e com lágrimas.”

A verdadeira humildade consiste em uma das manifestações do amor, pois o indivíduo arrogante é justamente aquele que deprecia os seus semelhantes, e as vezes chega mesmo a desprezá-los. O homem humilde, por outro lado, dá valor aos seus semelhantes e procura elevá-los, ao invés de procurar diminuí-los e arrastá-los para baixo.

Ora, é claro que a humildade revela um aspecto do amor cristão. Trata-se de uma admirável qualidade, que não se pode descobrir freqüentemente entre pessoas de baixa condição, e muito menos entre aqueles que podem usar de poder e autoridade.

A primeira atitude do apóstolo Paulo naquele contexto foi o serviço. Ele tinha uma disposição exemplar para o serviço cristão. A palavra “servo” significa: escravo, servente, criado. Qual a disposição correta para o serviço? Paulo servia com humildade e lágrimas. E nós, temos essa disposição?

Servir com humildade e com lágrimas é algo vital na vida de quem está envolvido com a obra de Deus.

Paulo menciona as suas lágrimas como demonstração de ansiedade pelo bem-estar espiritual de seus irmãos na fé, que passavam por sofrimentos e tribulações. As lágrimas do apostolo devem nos lembram que sempre  é sacrificial servir a Cristo em todo e qualquer lugar. 

 

2 – Testemunho da Palavra de Deus – vs 20ª

“Vocês também sabem que fiz tudo para ajudar vocês, anunciando o evangelho e ensinando publicamente e nas casas.”

Paulo deixa claro que seu propósito era ensinar. Paulo estava dentro do proposito da grande comissão de Cristo: “ensinando-os a guardar

Anunciar é pregar, proclamar, é falar a Palavra de Deus às pessoas. Paulo sempre aproveitava as oportunidades para falar “coisas proveitosas”, isto é, a Palavra de Deus que sempre tem um fim proveitoso.  Paulo não perdia tempo com conversas tolas, que em nada acrescentariam frutos ao seu ministério.

Paulo aproveitava duas situações para a prática do ensino do evangelho:

Publicamente – isto é, em reuniões públicas, no momento do ajuntamento do povo de Deus. Esse é o momento mais adequado para o ensino coletivo, em que a igreja está reunida, nos cultos, EBDs, e estudos bíblicos semanais.

De casa em casa – são os cultos nos lares e o ministério de visitação. Paulo se preocupava com cada família, cada pessoa da igreja. Cada crente deve sair das quatro paredes e se envolver mais, em comunhão. Isso, em si já nos ensina muito.

Que com a graça de Deus façamos de nossa liderança um instrumento através do qual as pessoas possam aprender o evangelho e desejem a partir disso conhecer melhor a Deus e seu plano. 

 

3- Obediência

v.22,23: Agora eu vou para Jerusalém, obedecendo ao Espírito Santo, sem saber o que vai me acontecer lá,  Sei somente que em todas as cidades o Espírito Santo tem me avisado que prisões e sofrimentos estão me esperando.

David Livingstone conta sobre uma certa vez em que foi perseguido por leões. Ele subiu em uma árvore, tão pequena que sua altura permitia apenas que ficasse fora do alcance dos leões que o cercavam. As feras se mantinham sobre as patas traseiras e balançavam a pequena árvore enquanto fortemente rugiam a ponto de ele sentir o bafo quente de suas bocas.

Mais tarde este missionário disse que sentiu paz naquela situação, mesmo cercado por leões africanos, porque sabia estar ali por obediência a Deus.

Paulo poderia ter ido para Jerusalem simplesmente obedecendo a um impulso de seu coração, mas ao contrário, estava tomando esta decisão por obediência a Deus.

A grande verdade é que só temos paz interior quando estamos em obediência a Deus.

Jonas perdeu a sua paz a partir do momento em que resolveu fugir da obediência a Deus.

Paulo disse a aqueles irmãos que não sabia o que o aguardava em Jerusalem. Jerusalem era um lugar ameaçador a vida do apostolo. Ali estavam alguns de seus grandes opositores.

Mas Paulo mesmo sem saber o que o aguardava ali, por obediência foi com a convicção de que Deus estava com ele.

Que esta convicção esteja sempre em cada um de nós, e especialmente com o casal Moises e Marize em todas as etapas de suas vidas.

Conclusão

Amados irmãos Moises e Marize, vocês farão falta entre nós. Porque em nosso meio foram um casal que procurou servir a Deus com fidelidade.

E Meu desejo nesta ocasião,  é que Deus os acompanhe nesta nova etapa e que possam continuar a produzir frutos e que continuem servindo ao Senhor com Humildade, testemunho da palavra de Deus, e obediência a direção do Senhor.

Que o nosso Deus os abençoe.

Pr Josias Moura de Menezes

 

Em, João Pessoa, 22/11/2014

2 thoughts on “SERMÃO: PALAVRAS DE DESPEDIDA

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s