SERMÃO: UMA FAMÍLIA QUE TINHA UMA PROMESSA MAS NÃO SOUBE ESPERAR

UMA FAMÍLIA QUE TINHA UMA PROMESSA

 

MAS NÃO SOUBE ESPERAR

Texto: Gn. 16: 1-16

 

Gn 16

1. Sarai, a mulher de Abrão, não lhe tinha dado filhos. Ela possuía uma escrava egípcia, que se chamava Agar.

 

2. “Um dia Sarai disse a Abrão: —Já que o SENHOR Deus não me deixa ter filhos, tenha relações com a minha escrava; talvez assim, por meio dela, eu possa ter filhos. Abrão concordou com o plano de Sarai,”

 

3. e assim ela lhe deu Agar para ser sua concubina. Isso aconteceu quando já fazia dez anos que Abrão estava morando em Canaã.

 

4. Abrão teve relações com Agar, e ela ficou grávida. Quando descobriu que estava grávida, Agar começou a olhar com desprezo para Sarai, a sua dona.

 

5. “Aí Sarai disse a Abrão: —Por sua culpa Agar está me desprezando. Eu mesma a entreguei nos seus braços; e, agora que sabe que está grávida, ela fica me tratando com desprezo. Que o SENHOR Deus julgue quem é culpado, se é você ou se sou eu!”

 

6. Abrão respondeu: —Está bem. Agar é sua escrava, você manda nela. Faça com ela o que quiser. Aí Sarai começou a maltratá-la tanto, que ela fugiu.

 

7. Mas o Anjo do SENHOR a encontrou no deserto, perto de uma fonte que fica no caminho de Sur,

 

8. e perguntou: —Agar, escrava de Sarai, de onde você vem e para onde está indo? —Estou fugindo da minha dona—respondeu ela.

 

9. Então o Anjo do SENHOR deu a seguinte ordem: —Volte para a sua dona e seja obediente a ela em tudo.

 

10. “E o Anjo do SENHOR disse também: “Eu farei com que o número dos seus descendentes seja grande; eles serão tantos, que ninguém poderá contá-los.”

 

11. Você está grávida, e terá um filho, e porá nele o nome de Ismael, pois o SENHOR Deus ouviu o seu grito de aflição.

 

12. “Esse filho será como um jumento selvagem; ele lutará contra todos, e todos lutarão contra ele. E ele viverá longe de todos os seus parentes. ””

 

13. Então Agar deu ao SENHOR este nome: “O Deus que Vê. ” Isso porque ele havia falado com ela, e ela havia perguntado a si mesma: “Será verdade que eu vi Aquele que Me Vê? ”

 

14. É por isso que esse poço, que fica entre Cades e Berede, é chamado de “Poço Daquele que Vive e Me Vê”.

 

15. Agar deu um filho a Abrão, e ele pôs no menino o nome de Ismael.

 

16. Abrão tinha oitenta e seis anos quando Ismael nasceu.

 

Introdução

 

Gênesis 16 mostra um doloroso desvio que Abraão e Sara tomaram em sua peregrinação, o qual trouxe conflitos não apenas ao lar dos dois, mas também ao mundo todo.

Aquilo que os jornalistas chamam, hoje em dia, de “conflito árabe-israelita” começou com esse desvio.

No entanto, o relato é muito mais do que uma parte da história antiga com suas conseqüências contemporâneas. Trata-se de uma ótima lição para o povo de Deus sobre andar pela fé e esperar que Deus cumpra suas promessas do jeito dele e no tempo dele. Ao estudar as etapas dessa experiência, você verá como é perigoso depender de sua própria sabedoria.

 

EM GENESES 16, APRENDEMOS SOBRE A IMPORTANCIA DE SABER ESPERAR

Abraão estava com oitenta e cinco anos de idade. Sua caminhada com o Senhor havia começado dez anos antes, e ele havia aprendido algumas lições preciosas sobre a fé.

Deus havia prometido um filho a Abraão e Sara, mas não disse quando essa criança iria nascer.

Era um período de espera, e a maioria das pessoas não gosta de esperar. Contudo, é “pela fé e pela longanimidade que nós herdamos as promessas” (Hb. 6 :12).

Deus tem um tempo perfeito para todas as coisas que deseja fazer. Afinal, esse acontecimento não era só o nascimento de mais um bebê: era parte do grande plano de Deus para a salvação do mundo todo. Porém, Sara ficou impaciente enquanto esperava que alguma coisa acontecesse.

Alguns certamente perguntam porque as vezes Deus demora tanto. Ou por que Deus demorou tanto para cumprir a sua promessa na vida de Sara? Deus demorou, porque queria agir de uma maneira tal na vida deles a fim de que a glória fosse dada somente ao Senhor. Aos oitenta e cinco anos de idade, Abraão ainda se mostrou viril o suficiente para ter um filho com Agar, de modo que não era chegado o momento de o bebê que resultaria de um milagre nascer. Aquilo que é verdadeiramente feito pela fé é realizado para a glória de Deus (Rm 4:20), não para a exaltação do homem.

Mas porque esperar no Senhor?

·   Disposição para esperar no Senhor é outra prova de que você está andando pela fé. “Aquele que crer não foge” (Is 28:16). Paulo citou esse versículo em Romanos 10:11 e ampliou seu significado: “Todo aquele que nele crê não será confundido”. Sempre que deixamos de confiar em Deus, começamos a “fugir” para a direção errada e acabamos sendo confundidos.

·   Quem espera no Senhor esta dando uma indicação de que deseja é agir de acordo com a autoridade da Palavra de Deus. Se você está obedecendo ao que Deus diz em sua Palavra, pode agir pela fé e saber que Deus o abençoará. Hebreus 11 registra os atos poderosos de homens e de mulheres comuns, que ousaram crer nas promessas de Deus e obedecer a seus mandamentos. As pressões são grandes as vezes, mas é melhor esperar pelo Senhor. Talvez você sofra a pressão do tempo que passou, das opiniões das pessoas, etc… mas é melhor esperar em Deus.

·        E por fim, a quem espera no Senhor Deus lhe dará alegria e paz. “E o Deus da esperança vos encha de todo o gozo e paz no vosso crer” (Rm 1 5:1 3). Você pode estar cercado de conflitos, mas terá a paz e a alegria de Deus.

 

EM GENESIS 16, APRENDEMOS QUE PLANOS PRECIPITADOS, PODEM GERAR CONSEQUENCIAS DESAGRADAVEIS

Sara sabia que não podia ter filhos, mas que seu marido ainda era capaz de gerar uma criança. Então Sara, dar um passo antes do agir milagroso de Deus em sua família, confiando em sua própria inteligência.

Lembremos de que a verdadeira fé baseia-se na Palavra de Deus (Rm 1 0:1 7) e não na sabedoria humana (Pv 3:5, 6), pois “crer é viver sem tramar por si mesmo”. Em momento algum, Deus aceitou Agar como esposa de Abraão; o anjo do Senhor chamou-a de “serva de Sarai” (Gn 16:8). Mais tarde, ela foi referida como “essa escrava e seu filho” (Gn 21:10) e não “a esposa e o filho de Abraão”, isso porque “tudo o que não provém de fé é pecado” (Rm 14:23). Deus rejeitou o plano de Sara, pois tinha algo muito melhor em mente para eles.

Ao fazer um plano precipitado e envolver seu próprio marido nisso, Sara não estava preocupada com a revelação da glória de Deus sobre sua vida. Seu único objetivo fica claro quando ela diz: “assim me edificarei com filhos por meio dela” (Gn 16:2). Talvez houvesse uma pontinha de decepção com Deus e até mesmo a intenção de culpar Deus em suas palavras: “O Senhor me tem impedido de dar à luz” (v. 2). Diz-se com freqüência que, para Deus, adiar não é o mesmo que negar. Contudo, Satanás sussurra: “Deus está retendo aquilo que lhe é de direito! Se amasse você, as coisas seriam diferentes! Ponha a culpa nele!” (Ver Gn 3:1-6.)

Mas quais foram as consequências da precipitação de Sara:

Quando  alguém  age conforme a sabedoria do mundo,  acaba  lutando  como  o  mundo luta. Mas que age com a sabedoria de Deus, luta com as armas de Deus.

Vejamos então as consequências da precipitação de Sara:

  • Conflitos de convivência.  Sara começa a ter raiva, culpando o  marido  e  maltratando  sua  serva. Parecia  ter  se esquecido  de  que  a  idéia  daquela  união  havia  partido  dela. 
  • Perda da liderança espiritual. Abraão  abdica da  liderança  espiritual de  seu  lar.  Deveria ter se  compadecido de  uma  serva desamparada  e  grávida que não teve culpa ao ser obrigada a ter um filho,  e permitiu  que  Sara  a  maltratasse.  Deveria  ter chamado todos  para o altar,  mas  não  o fez.
  • Fuga dos problemas. A  solução  de  Agar  foi  fugir  do  problema, uma tática  que  todos  nós  aprendemos com Adão e  Eva (Gn  3:8).  No  entanto,  logo se descobre  que  não  é  possível  resolver os problemas fugindo deles. Abraão aprendeu essa  lição  quando  fugiu  para  o  Egito  (Gn I2:10ss).  Houve  paz  no  lar  durante  algum tempo,  mas  não  era  a  “paz  de  Deus”.  Era apenas uma trégua, frágil  e temporária, que logo  acabaria.

 

 

Conclusão

Abraão e Sara enfrentaram grandes conflitos porque não souberam esperar em Deus. Do mesmo modo, certamente há pessoas aqui, que não souberam esperar e hoje colhem consequências.

Para os que em algum momento não souberam esperar em Deus, ainda há esperança. Deus em sua misericórdia ainda quer nos dar uma nova oportunidade. Abraão e Sara, mais tarde aprenderam com seus erros e tiveram um recomeço.

Não é possível voltar atrás e fazer um novo recomeço. A história de nossas vidas que já foi escrita, não mais ser mudada. As escolhas que já foram feitas, não podem mais ser modificadas. Mas, podemos criar um novo início. Podemos sonhar com um novo tempo, com uma nova história. Isto aconteceu mais tarde com Abraão, com Sara e também com a serva Hagar.

Sempre é possível se levantar uma vez a mais do que quantidade de vezes em que caímos, se nos humilharmos, nos arrependermos e nos colocarmos debaixo da legalidade da obediência a palavra de Deus.  

Esta é a promessa em 2 Cronicas 7:14: “… e se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face, e se desviar dos seus maus caminhos, então eu ouvirei do céu, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.”

Que Deus em sua misericórdia nos ajude a caminhar.

Pr. Josias Moura de Menezes.

João Pessoa, 01.06.2014

 

 

 

 

 

2 thoughts on “SERMÃO: UMA FAMÍLIA QUE TINHA UMA PROMESSA MAS NÃO SOUBE ESPERAR

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s