Estudo para EBD dia 13.06.2014 Tema: APELO À TRANSFORMAÇÃO

CLIQUE AQUI PARA COPIAR LIÇÃO: APELO À TRANSFORMAÇÃO.docx

APELO À TRANSFORMAÇÃO

Texto da lição: 1 Coríntios 1:1-2, 21-31
Leitura devocional: Transformação genuína – Romanos 12:1-2
Texto áureo: “Por isso não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor.” (Efésios 5:17)

INTRODUÇÃO: Ao longo das últimas refletimos sobre a conduta daqueles que o Senhor chamou para serem apóstolos. Notámos que, ao chamá-los, Jesus confirmou essa chamada transformando as suas vidas de modo a realizarem o projeto que Deus lhes tinha determinado. Na obra do Senhor, a validação de uma chamada divina é sempre confirmada pela frutificação. O Próprio Senhor Jesus disse de Si mesmo: ”… As obras que o Pai me deu para realizar, as mesmas obras que eu faço, testificam de mim, que o Pai me enviou” (João 5:36).

Deus continua fazendo a cada um de nós, seus discípulos uma chamada que exige uma correspondente transformação em nossas vidas para que os resultados que o Senhor espera de nós possam ser atingidos.

Para além de algumas vocações específicas de certas pessoas – por exemplo, para serem pastores ou missionários – todos os crentes são salvos para servir ao Senhor. Ou seja: na obra de Deus ninguém é um “peso morto”. Todos são importantes e cada um deve ser sensível à específica orientação de Deus para uma determinada área de serviço. O apóstolo Paulo exorta-nos: “…Vede, irmãos, a vossa vocação…” (v. 26).

I – CHAMADA PARA A SANTIFICAÇÃO (1:1-2, 21)

Paulo foi “chamado pela vontade de Deus para ser apóstolo de Jesus Cristo”. O sentido da palavra apóstolo designa uma pessoa que é “enviada” por alguém. Após a ressurreição, Jesus apareceu aos discípulos e disse-lhes: “Paz seja convosco; assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós” (João 20:21). O mesmo termo é usado na Bíblia para referir a vinda do Senhor Jesus: “Por isso, irmãos santos, participantes da vocação celestial, considerai a Jesus Cristo, apóstolo e sumo-sacerdote da nossa confissão” (Hebreus 3:1).

Mas a principal utilização da palavra “apóstolo” refere-se aos doze discípulos a quem Jesus enviou para que fossem testemunhas de Sua vida, mensagem e ressurreição. Cedo apareceram também os “falsos apóstolos” (2 Coríntios 11:13-14), que procuravam reivindicar a mesma autoridade espiritual dos Doze mas que eram, na verdade, “obreiros fraudulentos” que promoviam doutrina falsa.

Embora a chamada para ser apóstolo fosse limitada a alguns homens que Jesus escolheu, o apóstolo Paulo afirma que todos os crentes da igreja em Corinto foram “santificados em Cristo Jesus” e “chamados para ser santos, com todos os que em todo o lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo…” (v. 2). “Santificado” e “santo” são palavras que têm a mesma raiz e cujo sentido é “separação”, ou seja: pessoas que pertencem a Deus e foram separadas e dedicadas para a obra do Senhor. Todos os que somos salvos fomos “comprados por bom preço” e, agora, pertencemos ao Senhor. Ele conta conosco para a realização da Sua obra.

O conceito de santificação envolve também a ideia de ser diferente, embora o facto de termos sido “separados” para a obra do Senhor não signifique que somos alheios às questões próprias de uma vida humana normal. O importante é que, na conjuntura social em que o nosso dia-a-dia acontece, as pessoas vejam, pelo nosso comportamento que, de facto, pertencemos a Deus.

Paulo refere que a nossa chamada para sermos crentes em Jesus nos identifica com “todos os que em todo o lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo” (v. 2). Somos parte da família de Deus. Não estamos “isolados”, mas pertencemos a uma família espiritual de âmbito mundial e, onde quer que estejamos, sempre devemos agir como filhos e filhas de Deus.

II – CHAMADA PARA TESTEMUNHAR (1:22-28)

Deus continua chamando pessoas para a salvação. Cristo mostrar-se-á poderoso “para os que são chamados”, sempre que o povo de Deus lhes anunciar “Cristo crucificado”.

Tendo sido chamados para a salvação, todos fomos igualmente chamados para testemunhar de Jesus. Tal chamada não se baseia nos nossos méritos ou capacidades, mas, antes, na graça, poder e soberania de Deus.
Testemunhar de Jesus é, de fato, uma responsabilidade comum a todos os crentes e não uma tarefa só para alguns escolhidos; trata-se de uma ordem, ou “comissão”, vinda de Jesus para toda a igreja.

III – CHAMADA PARA GLORIFICAR (1:29-31)

Visto que toda a chamada para a salvação vem de Deus e d’Ele vem igualmente o poder de testemunhar, para o Senhor deve ser também dirigida a glória resultante do nosso testemunho cristão. “Nenhuma carne se glorie perante Ele…Aquele que se gloria glorie-se no Senhor” (vs. 29, 31).

É fácil concentrarmo-nos nas nossas fraquezas e limitações, em vez de dar o devido valor à chamada que Deus nos fez. Por incrível que pareça, todos os apóstolos, cujas vidas estudámos neste trimestre, tinham os seus pontos fracos, mas o Senhor transformou-os em homens de grande estatura espiritual. Notemos alguns detalhes dessa transformação.
1. Pedro – Na sua timidez chegou a negar o Senhor; mas Jesus transformou tal acanhamento em impressionante coragem.
2. André – Foi um dos primeiros discípulos. Convidou Pedro, seu irmão, para se encontrar com Jesus. Depois, aceitou que o seu ministério se desenvolvesse como que em “segundo plano”, permanecendo fiel até ao fim.

3. Tiago – Demonstrou, a princípio, alguma ambição exagerada, mas o seu coração foi transformado de tal maneira que terá sido o primeiro dos apóstolos a dar a sua vida em martírio por amor a Jesus.

4. João – Iniciou a sua caminhada com Jesus revelando um temperamento algo impróprio, mas, depois, foi transformado a ponto de ficar conhecido como “o apóstolo do amor”.

5. Filipe – A princípio, o enfoque do seu pensamento parecia estar nos valores materiais, mas o Senhor transformou-o num homem de grande introspecção espiritual.

6. Natanael – Um homem de coração puro mas com uma compreensão algo inadequada. O Senhor transformou-o em alguém capaz de receber grandes revelações espirituais.

7. Mateus – O dinheiro era a grande prioridade da sua vida, mas o Senhor transformou este homem em alguém capaz de servir desinteressadamente a Deus.

8. Tomé – De céptico e atormentado por muitas dúvidas, o Senhor transformou-o a ponto de vir a enunciar uma das mais belas declarações de fé feita após a ressurreição de Jesus – “Senhor meu, e Deus meu!” (João 20:28).

9. Judas – O seu relacionamento com Jesus foi sempre superficial. Nunca se converteu. Recusou ser transformado e acabou sendo um traidor, que se destruiu a si próprio.

10. Tiago, o menor; Simão, o zelote; Judas, o irmão de Tiago. Estes três homens laboraram para o Senhor como apóstolos fiéis, sem receberem grande reconhecimento humano. O Senhor transformou-os em servos humildes, prontos para servir a Jesus e indiferentes para com a glória humana.

11. Matias e Paulo – Foram escolhidos para serem apóstolos, depois do grupo inicial. Matias não recusou ser o substituto de Judas Iscariotes, e Paulo aceitou o desafio de ser o apóstolo dos gentios, tornando-se um dos maiores missionários em toda a história do cristianismo.

Talvez você, caro leitor, sinta que é também um daqueles a quem o Senhor está chamando a fim de transformar a sua vida para o desempenho de uma determinada tarefa no Seu reino. Se assim for, lembre-se: não há em nós qualquer fraqueza humana que Deus, pela Sua graça e poder, não possa transformar para nosso bem e para Sua honra e glória.

2 thoughts on “Estudo para EBD dia 13.06.2014 Tema: APELO À TRANSFORMAÇÃO

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s