Estudo para a EBD dia 27.04.2014- Tema: vencendo o desanimo

clique aqui para copiar este estudo: VENCENDO O DESÂNIMO.docx

VENCENDO O DESÂNIMO

 Texto da lição: 1 Reis 19:1-9; 19

Leitura devocional: O crente, fonte de ânimo – Actos 27:21-25

Texto áureo: “…A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza” (2 Coríntios 12:9).

INTRODUÇÃO: Quem não se lembra do desenho do Popeye? Quando o molestavam, bastava-lhe ingerir uma simples lata de espinafres para derrotar tudo e todos! Só que a vida real pouco ou nada tem a ver com o desenho animado. O fato é que não há solução mágica para o sofrimento humano. Estamos rodeados de desespero, de ansiedade, de depressão! Situações para fugir das quais muitos caem nas armadilhas do alcoolismo, das drogas, do suicídio!

A descrição bíblica e a experiência cristã mostram que os crentes não estão livres de sofrimento no corpo e no espírito. Quando Elias iniciou o seu ministério profético, Israel vivia um dos períodos mais negros da sua história, muito pela execrável ação do rei Acabe e de sua mulher Jezabel, que se dedicaram à idolatria, à opressão e ao assassínio dos profetas de Jeová. Como soe dizer-se, espiritualmente a nação tinha batido no fundo! Iria Elias, o farol de Deus em trevas tão espessas, desanimar, fraquejar, desistir? A lição de hoje vai mostrar-nos como o amor de Deus se manifesta no socorro aos Seus filhos em dificuldade, ou mesmo em desespero. Foi esta a admirável experiência de Elias!

I – NOS LIMITES DO SUPORTÁVEL

Elias não aguentava mais: “Basta; toma agora, ó Senhor, a minha alma, pois não sou melhor do que meus pais” (v. 4). Como pôde a notável vitória do Monte Carmelo (cap. 18) dar lugar, tão rapidamente, a um estado de espírito tão negativo?

A luta entre o bem e o mal, entre Deus e Satanás, é uma realidade sempre presente na experiência cristã. Quantas vezes assistimos a crescimentos notáveis no trabalho do Senhor, fruto abundante, almas salvas e, repentinamente, sem se saber bem porquê, tudo desaba! As forças do mal sempre resistirão ao progresso do povo de Deus. Leia os capítulos 9 e 10 do livro de Daniel! O apóstolo Paulo também identifica, de forma clara, a ação deletéria de Satanás no seu ministério (1 Tes. 2:18).

Ataque à liderança. Elias era a mais poderosa voz em prol de um reavivamento e o regresso ao culto do Deus Verdadeiro em Israel. Corajosamente, enfrentou sozinho e venceu os 850 falsos profetas de Baal e do poste-ídolo (18:19), provocando a ira vingativa de Jezabel: “Façam-me os deuses como lhes aprouver se amanhã a estas horas não fizer eu à tua vida como fizeste a cada um deles” (19:2).

Jezabel não visava apenas a vida de Elias. Ela pretendia, acima de tudo, decapitar o movimento de restauração espiritual iniciado no Monte Carmelo, silenciando o seu líder! No vers. 3, vemos como Elias sentiu a pressão da ameaça e fugiu para salvar a vida!

Observando como o profeta cedeu ao medo, precisamos de ter consciência de que um líder cristão não é infalível. Tal como Elias, pode fraquejar: “Elias era um homem semelhante a nós, sujeito aos mesmos sentimentos…” (Tiago 5:17). Como necessitam da nossa compreensão, do nosso apoio e das nossas orações os pastores das igrejas e outros líderes do trabalho de Deus! Do que não precisam, de certeza, é de crítica maldosa e de maledicência…
Expectativas falhadas. Porque reagiu Jezabel de forma tão violenta aos acontecimentos do Monte Carmelo? O certo é que ela representava os interesses ligados à adoração de Baal em Israel (16:29-32). E mesmo com os falsos profetas mortos e a sua religião exposta ao ridículo, ela, Jezabel, mantinha intacto todo o seu poder! Ninguém se atrevia a enfrentá-la…
Possivelmente, Elias estaria perguntando a si mesmo: “Onde está todo o povo que, no Carmelo, reconheceu que só “o Senhor é Deus”? Para onde foram os executores dos profetas de Baal (18:39-40)? Talvez Elias esperasse que a vitória do Monte Carmelo desencadeasse, imediatamente, o reavivamento pelo qual lutava. Mas isso, de facto, não aconteceu…
Sucede também conosco, angustiarmo-nos e perdermos a esperança quando a solução dos nossos problemas demora um pouco mais… Lembremo-nos de que o nosso tempo não é, necessariamente, o tempo de Deus! Confiemos Nele e saibamos esperar o momento certo da operação da Sua mão poderosa (2 Cor. 12:7-10; Rom. 8:28).

II – IDENTIFICANDO OS SINAIS DO DESESPERO

Precisamos de estar atentos aos sinais denunciadores de queda iminente em estado de depressão, de desespero. Elias tinha alguns destes sinais:

Medo. A ameaça de Jezabel atemorizou o profeta, levando-o a fugir do perigo (19:2-3). Sem dúvida, qualquer ameaça de morte deve ser levada a sério e obriga à tomada de precauções; mas não podemos permitir que o medo nos domine e controle (1 João 4:18; Rom. 8:15). “…maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo” (1 João 4:4).
Cedência, rendição. Elias caminhou até Berseba, onde “deixou o seu moço” , o seu criado (19:3). Com este gesto, mostrava que desistia de tudo: do seu ministério profético, da luta contra a idolatria, da própria vida (19:4)! É como se dissesse: “Basta! Já fiz tudo o que podia! Não faço mais nada! Quero morrer!”

Recordemos a exortação e a promessa da Palavra de Deus: “E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos” (Gál. 6:9).

Isolamento. Elias isolou-se, procurou ficar sozinho. Internou-se no deserto, “caminho de um dia”, e só parou num local onde presumiu que não seria encontrado (19:4). Depois de alimentado pelo anjo do Senhor, voltou à sua caminhada solitária (mais quarenta dias inteiros) até ao Monte Horebe, que é o Monte Sinai (19:5-8).

Se alguém se auto-isola, deve ser observado com cuidado: pode estar à beira de uma depressão!
Pensamentos mórbidos, negativos, estão ligados, quase sempre, a uma crise de auto-estima! Era esse o estado de Elias quando fez uma oração que o Senhor não iria atender (19:4)!

Cuidado com o que ocupa a nossa mente! Pensamentos negativos são uma ameaça para a saúde física e espiritual! Em Filip. 4:8, o apóstolo Paulo diz-nos o que devemos ter no pensamento: tudo o que é verdadeiro, respeitável, justo, puro, digno de ser amado, agradável de se ouvir (de boa reputação), tudo o que é digno de louvor!

Exaustão. Desde o Monte Carmelo, passando por Jezreel e Berseba, Elias deve ter caminhado mais de 250 quilómetros! Estava física e emocionalmente esgotado, e ainda lhe faltava andar outro tanto para chegar ao Monte Horebe, destino que a si mesmo tinha imposto!

O cansaço é mau conselheiro! Temos a responsabilidade de preservar o nosso corpo nas melhores condições para o serviço do Senhor!

Desobediência. Notemos a pergunta de Deus a Elias quando ele, finalmente chegou a Horebe: “Que fazes aqui, Elias?” (19:9). O Senhor tinha-o enviado para junto do ribeiro de Querite (17:3), para Sarepta (17:9), para Samaria (18:1-2) e para Jezreel (18:46), mas não para Berseba, para o deserto, nem para Horebe! Afinal, Elias tinha cometido o pecado tão comum em nós mesmos: o da desobediência!

III – ÂNIMO RESTAURADO!

Apesar de não o ter enviado, o Senhor permitiu que Elias alcançasse o lugar onde estavam as raízes espirituais de Israel: o Monte Sinai! Quando o Seu servo mais precisou, Ele estava lá para o amparar e restaurar!
Deus intervém! No momento em que o ânimo de Elias bateu no fundo, o Senhor o socorreu através do Seu anjo (19:5-7). Uma das mais valiosas promessas da Escritura, é a da assistência dos anjos de Deus a nosso favor (Heb. 1:13-14; Dan. 3:24-28; Mat. 4:11). Depois, foi o próprio Deus quem confortou e orientou Elias (19:9-18). Ele não se manifesta sempre da mesma maneira (compare 1 Reis 19:11-13 com Ex. 19:16-19), mas o Trono da Graça está pronto para socorrer os Seus “em ocasião oportuna” (Heb. 4:16).

Recuperação física. Quando Elias estava exausto e faminto, Deus lhe providenciou descanso e alimento (19:4-8), sem os quais não estaria em condições de ouvir “a palavra do Senhor” (19.9). O repouso é muito importante!
Há crentes que não vão à igreja, com a desculpa de que não conseguem tirar proveito da Escola Dominical e do Culto, porque os acham cansativos, sempre a mesma coisa, enfim… uma maçada! Seria interessante perguntar-lhes o que andam a fazer durante a semana e particularmente na noite de sábado, para não estarem em condições de adorar o Senhor juntamente com os seus irmãos na fé! Somos fiéis na mordomia do nosso tempo e do nosso corpo?
Confirmação do ministério profético. Depois de um ministério passado tão rico, Elias estava como que desligado, inoperante… Precisava de renovação e de um novo impulso, porque a sua missão ainda não terminara! Pela mão de Deus, ele voltou em pleno, ungindo os novos reis da Síria e de Israel, e o seu sucessor Eliseu (19:15-21). É bom podermos dizer, como Paulo, “combati o bom combate”, mas não que “completei a carreira” antes do tempo determinado pelo Senhor!

Em conclusão: nunca nos sintamos sozinhos no serviço de Deus! Elias também nunca esteve (18:3-4; 19:18)! Sejamos gratos por todos quantos conosco comungam da fé em Cristo, “inteiramente unidos, na mesma disposição mental e no mesmo parecer” (1 Cor. 1:10), porque “os dias são maus” (Ef. 5:16) e o ânimo de uns ajudará outros a ultrapassar horas de dificuldade e desânimo!

2 thoughts on “Estudo para a EBD dia 27.04.2014- Tema: vencendo o desanimo

  1. Que palavra maravilhosa pastor jósias e também adorei a mensagem sobre a pascoa,Que o senhor Jesus continue sempre te abençoando e te iluminando sua vida.

    Curtir

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s