Estudo para Escola Dominical. Tema: Andando com temperança–Data: 16.2.2014

CLIQUE AQUI PARA COPIAR: ANDANDO COM TEMPERANÇA.docx

ANDANDO COM TEMPERANÇA

Texto da lição: Provérbios 20:1; 23:20-21, 29-35; 31:4-7

Leituras diárias:

Segunda: Números 6:1-8 Quinta: Efésios 5:15-21

Terça: Génesis 9:18-27 Sexta: Isaías 5:11-16

Quarta: Génesis 19:27-38 Sábado: Tito 1:6-7; 2:1-3

Leitura devocional: Propósito no coração – Daniel 1:8-16

Texto áureo: “O vinho é escarnecedor, e a bebida forte, alvoroçadora; todo aquele que por eles é vencido não é sábio.” (Provérbios 20:1)

INTRODUÇÃO: Quando um pescador vai pescar, qual é o seu objetivo último? Na maior parte dos casos, podemos dizer que é a possibilidade de vir a saborear uma refeição com peixe fresco à mesa.

Para pescar, porém, o pescador não usa nem a panela nem a frigideira. Em vez disso, ele utiliza a isca mais atraente e lança-a para tão próximo quanto possível do “habitat” onde o peixe se encontra. Ao atacar a sedutora isca, o peixe estará, implicitamente, encaminhando-se para a frigideira, churrasco ou panela, conforme o caso…

No mundo existem muitas formas de “isca” para atrair as pessoas incautas ou extraviadas. Em alguns casos, os anúncios e apelos publicitários ao consumo de bebidas alcoólicas são semelhantes à estratégia do pescador. Utilizam-se as imagens mais sedutoras – inclusive de desportistas famosos! -, para persuadir as pessoas a comprar e beber. As possíveis consequências negativas não são, regra geral, apresentadas.

Mas, ao contrário do que acontece com o peixe, é possível estarmos informados sobre as consequências desastrosas que inevitavelmente teremos de enfrentar se aceitarmos determinadas propostas enganadoras.

O perigo do consumo de bebidas alcoólicas e outras drogas como experiência “recreativa” deve ser tido em devida conta. Não raro, tomamos conhecimento de casos de pessoas que foram “apanhadas” e, em vez de um futuro brilhante e bem sucedido, terminam prematuramente os seus dias de forma miserável e amargurada.

O livro de Provérbios aborda de maneira muito frontal o perigo imanente do consumo de vinho e outras bebidas alcoólicas. Importa que atentemos para os sábios avisos com que a Palavra de Deus nos exorta.

I – PERIGOS DA EMBRIAGUÊS – (Pv. 31:4-7)

A Bíblia alerta, com clareza e enfaticamente, contra o perigo de todo o tipo de desregramento, nomeadamente aquele motivado por mulheres de má reputação e consumo de bebidas alcoólicas (vv. 3, 4) que, ao ofuscarem a mente humana impedem os homens de cumprirem os seus deveres, quaisquer que sejam as suas responsabilidades sociais (v.5).

II – INTEMPERANÇA LEVA À DESTRUIÇÃO – (Pv 23:20)

O escritor de Provérbios exorta os seus leitores a recusarem a participação com “os bebedores de vinho e os comilões de carne.” Em ambientes dissolutos e de valor ilusório, é de esperar sempre uma certa “pressão de grupo” à qual se torna difícil resistir. Daí, o conselho bíblico: “Não te juntes com bebedores de vinho, ou com aqueles que devoram carne” (v. 20).

O caminho do bêbado e o do homem glutão serão sempre caminhos de vida desperdiçada. Fazer amizade com tais pessoas, acompanhando-as aos seus locais de divertimento, é sempre um risco muito sério. A melhor forma para lidarmos com a inevitável “pressão de grupo” é sermos criteriosos na escolha das nossas amizades e das pessoas às quais nos associamos. Já o profeta Amós formulava a pergunta: “Andarão dois juntos, se não houver entre eles acordo?” (Amós 3:3).

III – INTEMPERANÇA LEVA À LAMENTAÇÃO – (Pv. 23:29-35)

Estes versículos apresentam-nos seis perguntas pertinentes, procurando assim despertar a nossa atenção para a enormidade dos problemas resultantes da embriaguez.

Problemas emocionais: “ais e pesares”; problemas sociais: “pelejas e queixas” e problemas físicos: “feridas sem causa e olhos vermelhos” (v. 29). É relativamente fácil os homens deixarem-se “apanhar”, ou viciar, porque o domínio da bebida alcoólica é progressivo e subtil. Torna-se agradável ao paladar mas, no fim, os seus efeitos podem chegar a ser devastadores e dolorosos como a picada da serpente venenosa. “Não repares muito no vinho, como é vermelho, como brilha no copo e escorre suavemente! No fim, morde como uma serpente e pica como uma víbora” (vv.31-32).

A embriagues conduzirá também a problemas mentais (vv. 33-35), levando as pessoas a falar “perversidades”. Na verdade, é profundamente triste a figura de uma pessoa embriagada, pois, em tais momentos, toda a dignidade humana é posta completamente em causa. Não admira, pois, que a Bíblia ensine que os bêbados não entrarão no reino dos céus (1 Coríntios 6:9), a não ser que se arrependam do seu pecado e arrepiem caminho, sendo, então, “lavados, santificados e justificados no nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus” (1 Coríntios 6:11).

IV – INTEMPERANÇA LEVA Á POBREZA – (Pv. 23:21)

Não é preciso ser muito inteligente para descobrir que quem procura prazer nas bebidas alcoólicas, ou em quaisquer outras drogas, nunca viverá satisfeito. Na busca de prazer, o consumo irá aumentando cada vez mais e, para além de todo o tipo de problemas daí resultantes, também o equilíbrio financeiro do orçamento familiar será inevitavelmente afetado. “Porque o beberrão e o comilão caem em pobreza; e a sonolência os vestirá de trapos” (v.21).

V – DEUS CONDENA A INTEMPERANÇA

A Palavra do Senhor descreve algumas histórias bem tristes de personagens bíblicas que, apesar da sua comunhão com Deus, se envolveram em bebidas alcoólicas de forma desregrada, acarretando, assim, contra si mesmos, e não só, consequências absolutamente desastrosas. A Bíblia regista tais exemplos como um aviso solene.

Noé, o grande herói do Antigo Testamento, não obstante o seu relacionamento com Deus e fidelidade ao Senhor, chegou a embriagar-se, tornando-se, assim, um péssimo exemplo de imodéstia e, inclusive, trazendo maldição e tragédia contra a sua própria família (Génesis 9:20-27).

Também Ló, nos tempos de Abraão, talvez ainda influenciado pela grande corrupção moral de Sodoma, cidade onde vivera, se deixou embriagar, permitindo, assim, com a sua mente entorpecida pelo vinho, que as suas duas filhas praticassem com ele o incesto. Ló, afinal, fugira de Sodoma, mas não se desprendeu, levando Sodoma dentre de si mesmo (Génesis 19:31-38).

Que o Senhor sempre nos ajude a sermos sábios, dando a devida atenção aos bons conselhos e advertências da Palavra de Deus. Acolhamos, pois, e pratiquemos o conselho do apóstolo Paulo: “Não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito” (Efésios 5:18).

Site: www.josiasmoura.wordpress.com

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s