ESTUDO EBD. TEMA: A VIDA ETERNA. PARA O DIA: 24.11.2013

 

A VIDA ETERNA

Creio “na vida eterna." Apocalipse 22

copiar arquivo: A VIDA ETERNA

Eu sou nuvem passageira, Que com o vento se vai.

Eu sou como um cristal bonito Que se quebra quando cai.

Não adianta escrever meu nome numa pedra, Que esta pedra em pó vai se transformar.

Você não vê que a vida corre contra o tempo? Sou um castelo de areia na beira do mar…

Esta é a letra de uma música por­tuguesa, da década 70. Revela, de maneira nua e crua, a transitoriedade e efemeridade da vida. De fato, a vida é breve. A Bíblia diz que “tudo passa rapidamente, e nós voamos” (SI. No Novo Testamento, Tiago afirma; "… que é a vossa vida? Sois apenas como neblina que aparece por instante e logo se dissipa”.

A vida humana, tão curta, forma um grande contraste com o que a Palavra de Deus chama de vida eterna. Essa expressão aparece várias vezes nas Escrituras. Faz parte da esperança cris­tã. Vale a pena estudar um pouco do que a Bíblia ensina sobre a vida eterna. .

1. A VIDA ETERNA SERA MARCADA PELA SUPERAÇÃO DE CONTRADIÇÕES E CONFLITOS DA PRESENTE ORDEM

A história humana é longa, triste, e, não poucas vezes, monótona sucessão de crises, contradições, conflitos e con­fusões de toda espécie. Já se disse que este mundo é um “vale de lágrimas”. Todo mundo tem, em maior ou menor escala, insatisfação com a vida. Há in­justiça e exploração, violência e opres­são de todos os tipos, em todos os lugares. Sempre foi assim, e sempre será. 0 único fator capaz de mudar isso será a mais radical de todas as intervenções de Deus na História – a segunda vinda de Cristo, quando o Reino de Deus será implantado definitivamente.

A Bíblia ensina que as contradições do nosso tempo são provocadas pelo pecado. Mas ensina, também que, com a vinda de Jesus, acontecerá o “novo céu e nova terra onde habita a justi­ça’’. (2 Pe3.13)

Esta é a gloriosa esperança cristã: após a segunda vinda de Cristo, a terra será restaurada por Deus. E ficará, fi­nalmente, livre de todos os males pro­duzidos pelo pecado. 0 mal estará para sempre ausente dos corações de todos. 0 diabo será banido para a condenação eterna no inferno. 0 pecado e os peca­dores estarão ausentes na vida eterna do povo de Deus.

É curioso que, praticamente todos os povos do mundo, têm algum tipo de esperança em uma vida eterna. Os índi­os guaranis do Brasil, por exemplo, têm a crença na “terra sem males”. Essa ex­pressão tão poética, comunica um pou­co do que a Bíblia ensina sobre a vida eterna dos salvos por Cristo. Por isso, o Apocalipse mostra como a vida eterna não terá lágrimas de tristeza, morte, dor, pecado de qualquer tipo, impureza de qualquer natureza (Ap 21.1 -8).

Bendita é a esperança de vida eter­na que os salvos pela graça têm: a vida eterna, marcada pela superação das con­tradições e conflitos da presente ordem. Benditos são os que vivem e morrem animados por esta esperança.

2. A VIDA ETERNA SERÁ DE SERVIÇO RESPONSAVEL

É muito comum definir-se a vida eterna pelo negativo. Isto significa falar sobre o que não terá ou não existirá na vida eterna. É o que foi apresentado no ponto anterior deste estudo.

Mas a Bíblia apresenta, também, o outro lado da moeda – o aspecto positi­vo da vida eterna, l\lão se pode falar do que a vida eterna não terá, sem desta­car 0 que ela terá e trará para os salvos de Cristo.

A reflexão sobre este aspecto do ensino bíblico sobre a vida eterna é de todo interessante, e por demais impor­tante. Pois é muito comum uma concep­ção que apresenta a vida eterna como uma existência ociosa, na qual ninguém tem o que fazer. Esta concepção popu­lar imagina pessoas vestidas de branco em um ambiente enevoado. Nada mais distante do ensino bíblico.

A teologia cristã ensina que há ele­mentos de descontinuidade e de conti­nuidade entre a vida atual e a vida eter­na. Elementos de descontinuidade são os que não continuarão na vida eterna. Alguns já foram vistos no tópico anteri­or. Elementos de continuidade são os que, de algum modo, continuarão na vida eterna.

A vida eterna dos salvos por Cristo terá serviço responsável. Terá adoração alegre, viva e dinâmica ao Senhor (Ap 22.3), mesmo sem templo (Ap 21.22). Será uma vida de celebração e festa (Lc 14.15,24). Será uma vida na qual os sal­vos pela graça de Deus em Cristo desfrutarão de todas as recompensas de sua fidelidade (Mt 25.21,23,34; Lc 14.14 etc.). Este assunto da recompensa para os filhos de Deus na vida eterna foi ex­plorado por C. S. Lewis em seu peque­no, mas excelente livro Peso de Glória.

Pensando sobre este ponto da vida cristã, teólogos da tradição reformada têm sugerido que, ainda que a Bíblia não apresente muitos detalhes, é razoável supor que diversos elementos da nossa cultura terão continuidade na vida eter­na, na nova terra. Hendrikus Berkhof, por exemplo, disse que tudo que tiver con­tribuído para a “libertação da experiên­cia humana” terá continuidade na vida eterna na nova terra. E em todas estas coisas, Deus será glorificado por seu povo.

3. A VIDA ETERNA TEM IMPLICAÇÕES ÉTICAS PARA 0 NOSSO TEMPO

É bom pensar na vida eterna que Deus tem preparado para seu povo, pois, “nem olhos viram, nem ouvidos ouvi­ram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam”( Co 2.9). Mas, não se deve pensar que este é um as­sunto que só tem a ver com o futuro, com o “amanhã”. A vida eterna tem im­plicações éticas para o nosso tempo.

Biblicamente falando, a vida eterna começa já, no mesmo instante em que a pessoa se submete ao senhorio de Cristo. Não se deve dizer que o crente “terá” a vida eterna. De fato, o crente “tem” a vida eterna. Esta vida influencia 0 modo de vida que se tem hoje.

A vida eterna terá, como já se viu neste estudo, entre outras característi­cas, a restauração completa da nature­za, a erradicação definitiva da injustiça, 0 domínio absoluto de Deus em todas as áreas da atividade humana etc. Sen­do assim, os salvos por Cristo devem, desde hoje, lutar pela natureza, comba­ter pela justiça, e batalhar pela aceita­ção do domínio de Deus em tudo na His­tória. Quanto a isso, é bom ler II Pedro 3.13,14.

Todo esforço em prol do Reino de Deus terá, como foi visto, de algum modo, continuidade na vida futura. Por­tanto, não se deve optar pelo comodis­mo, e, simplesmente, ficar de braços cruzados “esperando” a segunda vinda de Jesus. Todas as vezes que a Bíblia fala sobre esperar a vinda do Senhor, fala que esta espera deve ser em serviço ati­vo (cf. Mt 24.45,46). Quem crê na vida eterna que se instalará de modo defini­tivo e total amanhã, começa a trabalhar hoje pelo Reino de Deus.

4. DISCUSSÃO

· Em que sentido a certeza da vida eterna influencia as ações dos crentes?

· Como o cristão deve se preparar para a vida eterna?

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s