Estudo EBD: OS PREJUÍZOS DA AUTO IMAGEM NEGATIVA. (Escola Bíblica dominical da Igreja do Betel Brasileiro Geisel)

OS PREJUÍZOS DA

AUTO IMAGEM NEGATIVA

INTRODUÇÃO

Se você pensa em ser diferente do que é, ou mesmo ser alguma outra pes­soa, possivelmente tem algum proble­ma relativo à sua própria auto-imagem . Você se sente feliz e realizado em ser o que é? A resposta a esta indagação pode ser a chave para determinar como você vive e a maneira como você se relaciona com Deus e com o próximo. A sua vida será determinada por aquilo que você pensa ser.

Auto-imagem, auto-conceito, auto-valorização, auto-estima são freqüen­temente usadas com o mesmo sentido. Através delas estamos nos referindo à avaliação que o indivíduo faz, e costumeiramente mantém acerca de si mesmo. Portanto, a auto-estima de al­guém pode ser tanto alta como baixa, positiva ou negativa. Normalmente, o senso de valorização influenciará no tipo de vida que a pessoa vai levar. No con­texto racista americano, uma criança ne­gra pendurou um cartaz no seu quarto que dizia: "Eu sou eu e sou bom, porque Deus não faz porcaria."

A lição de hoje enfocará este empol­gante assunto.

1. O conceito bíblico de auto-imagem

Será que podemos encontrar o con­ceito de auto-imagem na Bíblia? Claro que sim. Auto-imagem é um conceito da psicologia para um antigo conceito bí­blico. Se entendemos a auto-imagem como a idéia que fazemos de nós mes­mos, encontraremos várias ilustrações bíblicas.

Porque, como imagina seu coração, assim ele é (Pv 23.7). Há muito tempo Salomão observou a relação existente entre o que o homem pensa e o modo como age.

Também vimos ali gigantes, e éra­mos, aos nossos próprios olhos, como gafanhotos e assim também o éramos aos seus olhos " (Nm 13.33). O texto mos­tra que a impressão que os espias ti­nham de si mesmos afetou até o modo pelo qual os inimigos os viam – foram considerados apenas como um punhado de gafanhotos. A idéia que os espias fi­zeram de si mesmos influenciou em sua própria ação.

Porque, pela graça que me foi dada, digo a cada um dentre vós que não pen­se de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, segundo a medida da fé que Deus repartiu a cada um " (Rm 12.3). O ponto importante para Paulo é que cada crente deve formar um auto-conceito em resultado de uma ava­liação realista de si mesmo.

Encontramos em outros personagens bíblicos descrições objetivas de auto-con­ceito: Caim (Gn 4.5-7), Davi, (2 Sm 12 e SI.51), Pedro (Lc 22.33-34, 54.62) e Pau­lo (1 Co 4.16, 11.1 e 15.9-10; 1 Tm 1.15).

Para uma definição verdadeiramen­te bíblica citamos Josh McDowell: "Uma auto-imagem saudável é ver a si mes­mo como Deus o vê, nem mais nem menos. Em outras palavras, uma auto-imagem saudável significa uma visão realista de nós mesmos dentro da pers­pectiva de Deus, como somos retrata­dos em sua Palavra ".

2. A necessidade de auto-imagem

É indescritível a necessidade que as pessoas têm, hoje em dia, de se senti­rem amadas e valorizadas. Infelizmen­te, a sociedade em que vivemos nos transmite uma mensagem de desvalori­zação e de degradação do indivíduo, como pessoa humana. Assim, em vez de se sentirem amadas e valorizadas, as pessoas são levadas a se sentirem iso­ladas, emocionalmente rejeitadas pelos demais ou por eles usadas, sendo, cada uma, apenas mais um dente em uma grande engrenagem.

A auto-imagem é necessária, pois, ela se tornará a chave para o sucesso e a felicidade em sua vida. "A sua visão, acer­ca de você mesmo, é muito mais impor­tante do que tudo o que a maioria das pessoas possa pensar a seu respeito " (John Devines). Quem se considera in­ferior aos outros produzirá trabalho de qualidade inferior, enquanto quem se considera mais capaz produzirá melhor.

3. O caminho para uma auto-imagem positiva

Algumas pessoas têm uma visão vai­dosa de si mesmas (orgulho), enquanto outras se auto-despreciam (falsa humil­dade). Precisamos de uma visão equili­brada e realista, conforme a Bíblia. Ve­jamos alguns passos que precisamos dar na caminhada para uma auto-imagem positiva.

3.1. A Auto-Estima é uma Experi­ência Natural

A expressão "amar o próximo como a si mesmo " é encontrada cinco vezes na Bíblia (Lv 19.18; Mt 19.19; Mc 12.31; Lc 10.27; Rm 13.9). De acordo com Je­sus, é o segundo grande mandamento. Devemos notar, entretanto, que amar a si mesmo não constitui um mandamen­to, pois, a auto-estima é subentendida como uma experiência normal.

3.2. Uma Auto-imagem Positiva é Ver a si mesmo como Deus o Vê, nem mais nem menos

Precisamos ter uma visão realista do que somos. A Bíblia mostra, de várias maneiras, que os seres humanos são especiais para Deus. São o ápice da criação de Deus (Gn 1), criados à imagem de Deus (Gn 1.26-27), com a possibilidade de virem a ser filhos de Deus (Jo 1.12-13). Você pode dizer, como Francis Schaeffer "O homem é pecador e maravilhoso." No Velho Testamento o salmista se maravi­lhava de que tivéssemos sido criados "um pouco só menor que os anjos" e com um propósito específico (Gn 1.28). Os escritores do Novo Testamento também reconheciam os seres humanos como uma criação especial de Deus. Somos o objeto do propósito redentor de Deus neste mundo (Jo 3.16).

4. Sugestões para uma auto-imagem melhor:

1. Não se rotule de forma negativa (Sou desajeitado, e assim por diante). A tendência é conformarmo-nos com ró­tulo que nos damos.

2. Comporte-se de maneira firme (mas não agressiva) mesmo em situa­ções ameaçadoras, especialmente quan­do não se sinta tão firme.

3. Quando falhar, admita ou con­fesse a Deus, seu Pai, e então se recuse a auto-condenar-se. "Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que es­tão em Cristo Jesus" (Rm 8.1). Lembre-se de que você está no processo de se tornar como Cristo. Crescer leva tempo. Seja bondoso consigo mesmo da mes­ma forma que seria, ou esperaria ser, para uma outra pessoa qualquer.

4. Não se compare aos outros. Você é uma pessoa singular. Deus aprecia sua singularidade, tenha uma atitude seme­lhante em relação a si mesmo.

5. Concentre-se e medite na graça, no amor e na aceitação de Deus – não nas críticas dos outros.

6. Relacione-se com amigos confi­antes, que gostem de você e que apre­ciem a vida.

7. Comece a ajudar os outros a verem-se, a si mesmos, como Deus os vê, aceitando-os, amando-os e encorajando-os. Dê-lhes a dignidade que mere­cem como seres ímpares diante de Deus.

8. Aprenda a rir; atente para o lado humorístico da vida e prove-o.

9. Tenha expectativas realistas em relação aos outros, levando em conta os talentos, dons, capacidade e potencial específicos de cada pessoa.

10. Tenha calma e vá devagar. Se Je­sus, que não tinha pecados, esperou por trinta e três anos em preparativos para um ministério de três anos, talvez Deus não tenha tanta pressa a seu respeito quanto você supõe.

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s