Estudo: CONDIÇÕES PARA A ADORAÇÃO. (Estudo Bíblico para o culto de doutrina da Igreja do Betel Geisel)

Condições para a Adoração

TEXTO BÍBLICO: Filipenses 2:5-11

Segundo o costume judaico, quando uma moça estava prestes a casar-se, deveria adquirir um vaso de alabastro cheio de perfume. Se levasse o vaso de alabastro cheio de perfume, ela seria bem sucedida na casa de seu marido. Mas se levasse apenas um pequeno vaso, com pequena porção do perfume, a recepção não seria tão calorosa. Por isso, o vaso de alabastro cheio de perfume significava muito para a moça desejosa de casar-se. Maria tinha preparado esse vaso havia muito tempo: ano após ano viera ela economizando aqui e ali, para adquiri-lo. Todavia, quando ela se encontrou com Cristo, seu coração abriu-se em adoração ao Senhor. Ela O amava tanto que quando Jesus foi a Betânia, ela trouxe seu tesouro mais precioso, o vaso de alabastro cheio de perfume. Removendo a tampa, ela derramou o ungüento sobre a cabeça do Senhor e em Seus pés, enxugando-os com seus cabelos. Muitas pessoas vão à Igreja pelo caminho do ritualismo e pensam ter cultuado a Deus. Mas Deus não aceita esse tipo de culto. Deus quer seu tesouro, seu coração; Deus quer você inteirinho, inclusive seu vaso de alabastro cheio de perfume. (Mateus 26.6-13).

Assim sendo, resolvemos verificar alguns dos “requisitos básicos”, para que aprenda­mos a examinar bem o que estamos fazendo, visando aproveitarmos o melhor possível nos­sos momentos de Adoração.

1. Amar a Deus de todo coração.

O Senhor deixou registrado na Bíblia, a necessidade de O buscarmos de todo o cora­ção. Aliás, são muitas as passagens onde Ele in­siste neste ensino. Através das Escrituras, temos as palavras tudo e todo, sendo utilizadas freqüentemente, para enfatizar o Seu desejo de que O busquemos de forma integral e exclusiva (Fl 2:9-1 I; Rm I 1:36; Jr 29:13; Mt 22:37; SI 150:6).

A passagem de Rm. 11:36, mostra que tudo vem de Deus e tudo deverá ser para a Sua gló­ria. O Pai exaltou Cristo acima de todo o nome (Fl. 2:9-1 I) e assim sendo, o Filho revela que o maior mandamento do Pai, é que O amemos com tudo o que temos de melhor (Mt 22:37).

Uma adoração que se realiza sem obje­tivo de expressar o nosso amor a Deus, falha completamente. Deixa de ser culto a Deus, pois carece da essência, que é o amor. Seu mandamento requer de nós que O amemos de todo coração e alma.

A adoração da igreja cumprirá seu objeti­vo se o louvor, a oração, a mensagem e a música atraírem o coração dos adoradores para a bele­za de Deus revelada na criação, na redenção e na regeneração, através de Cristo. Quando ado­ramos, só devemos ficar satisfeitos se expres­sarmos amor ou se nosso culto revelar toda a preciosidade do Senhor.

2. Aproximar-se do Senhor

Uma das passagens mais conhecidas so­bre “FÉ”, está registrada em Hb. 11:6: “Sem fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima precisa crer que ele existe e que recom­pensa aqueles que o buscam”. A palavra “apro­ximar” no texto é um termo técnico para Ado­ração, isto é, “aproximar-se de Deus em adora­ção, na certeza de que Ele existe e não falhará comigo”, seguindo o princípio de Hb 11:1: “Ora, a fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos”.

Adorar com fé é fazê-lo confiando em suas promessas. Quando adoramos a Deus com fé, agradamos ao Seu coração. Esta alegria não é estática, aumenta à medida que O adoramos. Quando prestamos culto a Deus devemos per­guntar : “Deus está satisfeito com o culto que estou oferecendo a Ele ?”.

3. Investir todas as nossas forças

Mc. 12:30 diz: “Ame o Senhor, o seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma, de todo o seu entendimento e de todas as suas forças”.

A passagem acima, mostra Jesus comen­tando sobre “o maior mandamento”. O evangelista Marcos expõe, entre as palavras do Mestre, o termo “força” (do grego “ischuos”). A idéia é a de que, amar a Deus com tudo o que temos, requer toda a força do adorador. Isto implica no esforço físico de desenvolver sua ca­pacidade, talento e força de ação. Significa “gas­tar suas energias físicas em atos de amor a Deus”.

Quantas vezes estamos trabalhando na Obra do Senhor e nos cansamos fisicamente, não é mesmo? As vezes são noites gastas em planeja­mentos, ou na compra de materiais que vão ser empregados em um acampamento, ou na organização de algum evento! Não é incrível que ficamos cansa­dos, mas até dizemos que foi “Um cansaço bom! Valeu a pena !”. Sabe por que? Foi um esforço físico dedicado em adoração e louvor ao Se­nhor!

JOHN COMENIUS, no passado, escreveu: “Porque aquele que ama a Deus com todo o seu coração, não necessita de prescrições para sa­ber quando, onde e quanto deve servi-lo, adora-lo e cultua-lo. Porque a união sincera com Deus, em si mesma, juntamente com a prontidão de obedecer e adorar a Deus de modo mais aceitá­vel, o conduz a louva-lo através do seu ser e a glorifica-lo por meio de todos os seus atos” (Shedd, op. cit., p. 29).

4. Buscar ansiosamente a Deus

Há um sentido muito positivo em buscar­mos a Deus “ansiosamente”. Não nos referi­mos àquele tipo negativo de ansiedade que pro­duz “desespero” e até falta de confiança. Ao contrário, é uma ansiedade boa, saudável e cheia de expectativa pelo que o Senhor irá fazer, con­fiante de que Ele está atento às nossas súplicas e ao que estamos passando. Ler: SI 42:1 -2; 84:2;116:1-2; 119:20; 130:1-2,5.

A adoração que é fruto de uma “busca an­siosa”, requer que procuremos a Deus volunta­riamente e sintamos uma crescente necessidade de estar perto dEle. Nossa alma deve sentir um anseio de comunhão com Deus, assim como nosso físico manifesta o apetite por alimentos. Quando nos falta este desejo de estar com Deus, a adoração que prestamos se parece muito mais com uma “fachada espiritual”, de uma fria religi­osidade externa.

5. Dispor-se a ser mudado por Deus

Quantas pessoas acham que “Louvor e Adoração”, é apenas um momento para “can­tarmos algumas músicas”, antes de estudarmos a Bíblia! E muito mais que isso: Deus pode mudar a sua vida enquanto você louva e adora a Ele! Na presença do Senhor, muitas vezes so­mos confrontados por Ele nas atitudes que pre­cisamos mudar. Como verdadeiros adoradores devemos nos arrepender e abandonar a prática do que está errado.

Este é mais um dos requisitos básicos, quan­do aprendemos sobre Adoração: estarmos dis­postos a sermos mudados por Deus! Adoração sem a disposição de arrepender-se, não agrada ao Senhor.

Ele Se agrada do culto que Lhe é prestado por um espírito quebrantado e um coração contrito (SI. 51:15-17).

Arrependimento não é apenas “sentir pe­sar” por termos errado. Trata-se de uma mu­dança de atitude (“metanoia”-transformação de mente). O Espírito de Deus nos ajuda a des­cobrir os pecados mais secretos, para que de­pois de confessados sejam perdoados, pois as­sim abriremos caminhos para a verdadeira adoração. (SI 32:3,5; I Jo 1:9).

 

Conclusão

Tenho certeza de que após este estudo, você irá avaliar melhor suas atitudes quando par­ticipar dos momentos de “Louvor e Adoração” de sua comunidade. Isso é muito bom!

Mas lem­bre-se que estes “Requisitos para a Adora­ção”, são para toda a sua vida e não apenas para o tempo que temos com os irmãos na Igre­ja. Faça destes princípios aqui estudados, a base para uma comunhão mais profunda com o Se­nhor!

2 thoughts on “Estudo: CONDIÇÕES PARA A ADORAÇÃO. (Estudo Bíblico para o culto de doutrina da Igreja do Betel Geisel)

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s