ESTUDO BÍBLICO PARA O CULTO DE DOUTRINA DA IGREJA BETEL BRASILEIRO GEISEL. TEMA: Parte 04: Objetivos espirituais dos grupos de crescimento

Parte 04: Objetivos espirituais

dos grupos de crescimento

Efésios 4:15 Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo,..

Introdução

Em nosso estudo anterior tratamos de dois objetivos espirituais para os grupos de crescimento: Evangelização, e comunhão.

Hoje trataremos de mais três objetivos espirituais, que são: 1)Vivenciar a pratica do amor entre os irmãos, 2)Vivenciar experiências de restauração, e 3)Vivenciar experiências de crescimento espiritual.

1) Vivenciar a prática do amor entre os irmãos

Jesus atraía as multidões amando os perdidos. Jesus amava as pessoas perdidas e gostava de passar tempo com elas. Nos evangelhos fica bem claro que Jesus gostava mais de estar com o povo do que com os lideres religiosos. Ele estava sempre procurando ter contato com os não cristãos e era chamado de "amigo dos pecadores" (Lc. 7:34).

As pessoas sentiam que Jesus amava estar com elas. Até mesmo as crianças pequenas queriam ficar ao redor dele, o que já diz muito sobre que tipo de pessoa que era. As crianças instintivamente buscam pessoas que as aceitam e as amam.

O mandamento de amar é o mais repetido no Novo Testamento. Ele aparece pelo menos 25 vezes. Se não amamos as pessoas, nada disso importa. “Aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor” (IJo. 4:8)

O Senhor Jesus havia predito o esfriamento do amor: “E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor se esfriará de quase todos” (Mt.24.12). No entanto, a igreja não deve se acomodar com o mundo e nem aceitar sua forma. O esfriamento do mundo não deve levar a igreja a se esfriar também: “E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” (Rm.12.2). A igreja deve reagir ao mundo, lutando contra o sistema maligno e buscando a graça de Deus. Enquanto o mundo te odeia, “não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem” (Rm.12.21). Enquanto o mundo quase todo esfria ao seu redor, a igreja deve permanecer ardendo em amor, pois “nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros” (Jo.13.35).

Lembremos do que nos ensina Paulo, aos Coríntios: “Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa, ou como o sino que tine". (I Co. 13:1). A essência do cristianismo esta na vivencia prática do amor de Deus. O amor de Deus, destrói todos os obstáculos que estão no coração das pessoas, impedindo-as de receberem a graça de Deus em suas vidas. O amor é o sentimento que aproxima pessoas, quebrando barreiras e distâncias. E o amor de Deus que faz com que toda boa obra tenha realmente resultado.

2) Vivenciar experiências de restauração

Vamos definir o que é restauração? No dicionário de Aurélio restauração é “o ato ou efeito de restaurar”, “recuperação” e “restabelecimento”. Também no grego “apokatastasis”, “pôr em ordem”, é usado em At 3:21.

Há momentos na vida do cristão em que esta restauração também é indispensável. Muitas pessoas necessitam experimentar restauração interior nos grupos de crescimento.

Porém alguns requisitos são importantes para este processo: o arrependimento, a confissão e o abandono do pecado. Davi expressou este processo em sua vida. Ao arrepender-se diz: “Tem misericórdia de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga as minhas transgressões, segundo a multidão das tuas misericórdias.” (Sl 51:1)

Davi estava verdadeiramente arrependido por ter cometido adultério com Bate Seba e por mandar assassinar o marido dela para encobrir o fato. Porém quando ele confessa, encontra misericórdia de Deus. Davi declara: “…Confessarei ao Senhor as minhas transgressões; e tu perdoaste a maldade do meu pecado.” (Sl 32:2-5).

Nos grupos de crescimento ocorrem grandes oportunidades para que as pessoas possam experimentar em suas vidas a restauração gerada por Deus.

Encontramos na própria natureza alguns exemplos de renovação. A águia é a ave que possui a maior longevidade da espécie. Chega a viver 70 anos. Mas, para chegar a essa idade, aos 40 anos ela tem que tomar uma séria e difícil decisão. Aos 40 anos está com as unhas compridas e flexíveis, não consegue mais agarrar as suas presas das quais se alimenta. O bico alongado e pontiagudo se curva. Apontando contra o peito estão as asas, envelhecidas e pesadas em função da grossura das penas, e voar já é tão difícil! Então, a águia só tem duas alternativas: morrer… ou …enfrentar um dolorido processo de renovação que irá durar 150 dias. Esse processo consiste em voar para o alto de uma montanha e se recolher em um ninho próximo a um paredão onde ela não necessite voar. Então, após encontrar esse lugar, a águia começa a bater com o bico em uma parede até conseguir arrancá-lo, sem contar a dor que irá ter que suportar. Após arrancá-lo, espera nascer um novo bico, com o qual vai depois arrancar as suas velhas unhas. Quando as novas unhas começam a nascer, ela passa a arrancar as velhas penas. E só após cinco meses sai para o famoso vôo de renovação e para viver então mais 30 anos.

Em nossa vida, muitas vezes, temos de nos resguardar por algum tempo e começar um processo de renovação. Para que continuemos a voar um vôo de vitória, devemos nos desprender de lembranças, costumes, e, outras tradições que nos causam dor. Somente livres do peso do passado, poderemos aproveitar o resultado valioso que uma renovação sempre traz. DEIXE O SENHOR RENOVAR TUA VIDA. DEIXE O SENHOR RENOVAR OS RUMOS. DEIXE O SENHOR RENOVAR TUAS FORÇAS!!!

3) Vivenciar experiências de crescimento espiritual

Grupos de crescimento devem ser um ambiente onde todos tem como objetivo adquirir crescimento e maturidade espiritual.

Conta-se que um membro de igreja chegou todo vaidoso ao pastor e disse: “Tenho 23 anos de vida cristã”. O pastor, corrigiu logo: “Não, o irmão de 1 ano de crente. O resto é repetição”. De fato, há crentes que conhecemos que não apresentam nenhum sinal de melhora ou crescimento, são sempre os mesmos de anos atrás.

Na vida cristã temos que ter como meta crescer no conhecimento de Cristo. Paulo nos ensina como obter este crescimento: em 1 Pedro 2:2: “…desejai ardentemente, como crianças recém-nascidas, o genuíno leite espiritual, para que, por ele, vos seja dado crescimento para salvação…”.

Pedro está se referindo aqui, ao leite proveniente da palavra, e esta palavra é espiritual, pois foi produzida pelo Espírito Santo (2 Pd 1.21). A palavra de Deus é o leite que produz crescimento. Em nossos dias este leite é a Bíblia. Os cristãos que não mantêm contato com a Bíblia ficam fracos por falta de alimento. Um dos propósitos dos grupos de crescimento é proporcionar aos participantes a oportunidade de se alimentarem com este leite.

Este leite tem que ser genuíno, isto é puro, não adulterado, não misturado. Há alguns meses os meios de comunicação noticiaram como algumas empresas estavam adulterando o leite, misturando-o com outros ingredientes, e assim anulando seu poder para dar crescimento saudável. Na área espiritual também há leite adulterado, que não produz verdadeiro crescimento. Alguns cristãos definham na nova vida porque se alimentam de leite adulterado, ensinos de homens misturados com a Palavra de Deus.

Pedro nos diz que devemos desejar ardentemente este leite. Ele deve ser buscado com intensidade. É interessante como os bebês com fome buscam seu alimento; choram, gritam, buscam avidamente o seio da mãe, etc. Enquanto não se alimentam, não cessam de clamar. Alguns cristãos sofrem de inanição por preguiça de buscar. Ficam satisfeitos com as coisas do mundo. Sentem-se fartos com as coisas mundanas. São como crianças que preferem comidas que enchem, mas não nutrem. Gastam mais tempo alimentando-se da TV, diversões, conversas não edificantes, etc., e a Bíblia fica empoeirada num canto! Será que suas almas não sentem fome de Deus? Se assim é, é preciso verificar se há de fato nova vida.

O povo de Israel, quando estava no deserto valorizou muito mais o alimento do corpo, do que o alimento da alma. Mas Deus queria lhes ensinar que nem só de pão vive o homem, mas de toda Palavra que sai da boca de Deus (Deut 8.3). O Senhor Jesus Cristo recitou estas palavras, quando estava com fome e foi tentado (Mat 4.4). Ele preferia a fome física à desobediência a Deus. Quão diferentes são muitos cristãos hoje! Preferem se empanturrar do alimento físico, e sofrem de desnutrição espiritual!

Conclusão.

Vivenciar amor, experimentar restauração e crescimento espiritual são três metas a serem alcançadas por aqueles que fazem parte de grupos de crescimento. Na próxima semana realizaremos o último estudo sobre este tema. Não perca!

Pr Josias Moura

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s