Estudo bíblico para o culto de doutrina da Igreja Betel Geisel. Tema: Parte 03: Objetivos Espirituais dos grupos de crescimento.

Parte 03: Objetivos Espirituais

dos grupos de crescimento

Grupos de crescimento tem objetivos espirituais. Hoje estudaremos sobre pelo menos dois destes objetivos.

1. Evangelismo e integração na Igreja

No Evangelho de Marcos 4.14 a 20, disse Jesus aos seus discípulos: O semeador semeia a palavra. E os que estão junto do caminho são aqueles em quem a palavra é semeada; mas, tendo-a eles ouvido, vem logo Satanás e tira a palavra que neles foi semeada. Do mesmo modo, aqueles que foram semeados nos lugares pedregosos são os que, ouvindo a palavra, imediatamente com alegria a recebem. Mas não têm raiz em si mesmos, antes são de pouca duração; depois, sobrevindo tribulação ou perseguição por causa da palavra, logo se escandalizam.

Outros ainda são aqueles que foram semeados entre os espinhos; estes são os que ouvem a palavra. Mas os cuidados do mundo, a sedução das riquezas e a cobiça doutras coisas, entrando, sufocam a palavra, e ela fica infrutífera. Aqueles outros que foram semeados em boa terra são os que ouvem a palavra e a recebem, e dão fruto, a trinta, a sessenta, e a cem, por um.

O Senhor ordena para que semeamos a sua palavra, e alerta para que não desanimamos. Ele evidencia que as sementes cairão às margens do caminho onde os pássaro por elas se alimentarão, outras em lugares secos e áridos, ou entre os espinhos e também entre as pedras, e ainda que algumas nasçam, serão sufocadas e não vingarão, mas o Senhor nos conforta que haverá também aquelas que serão semeadas em boa terra, e produzirão muitos frutos, para honra e glória do su nome, essa é a nossa recompensa, ganhar almas para o Reino de Deus.Cremos que o evangelismo ideal funciona naturalmente através da vida de cada cristão verdadeiramente cheio do Espírito Santo. Quem está cheio de Jesus vai atrair outros ao Senhor Jesus.

No Evangelho de Mateus 10.6 a 10, disse Jesus: Ide antes as ovelhas perdidas da casa de Israel; e indo, pregai dizendo: É chegado o reino de céus. Curai os enfermos, limpai os leprosos ressuscitai os mortos, expulsai os demônios de graça recebestes, de graça daí. Não possuais ouro nem prata, nem cobre, em vossos cintos. Nem alforjes pelo caminho, nem duas túnicas, nem alparcas, nem bordão, porque digno é o operário de seu alimento.

E no livro de Lucas 10.1 a 3, a palavra relata que depois disto designou o Senhor ainda outros setenta, e mandou-os adiante da sua face, de dois em dois, a todas as cidades e lugares aonde Ele havia de ir. E dizia-lhes: Grande é em verdade, a seara, mas os obreiros são poucos; rogai pois ao Senhor da seara que envie obreiros para a sua seara. Ide, eis que vos mando como cordeiros ao meio de lobos.

Nas sábias palavras do Mestre, observamos que no princípio a missão foi confiada aos doze apóstolos por Ele escolhidos (Mateus 10.1), depois designou o Senhor outros setenta discípulos (Lucas 10.1), hoje somos milhares espalhados por todo o mundo.

Agora, uma vez que a pessoa entregou a vida para Jesus, ela tem que ser cuidada e integrada na vida da igreja local. Quantas e quantas pessoas no nosso querido Brasil têm feito uma decisão pública de entregar suas vidas a Jesus, mas nunca se firmaram? Uma igreja que prega a Palavra de Deus na unção do Espírito Santo sempre atrai muitas pessoas a fazerem uma decisão de seguirem ao Senhor Jesus; onde, porém, estão essas pessoas? O problema é que muitas pessoas fazem uma decisão inicial – querem seguir o Senhor Jesus – porém ainda não foram integradas na igreja local. Assim sendo, elas se sentem “um peixe fora d’água”. Talvez elas ainda venham para mais um ou dois cultos da igreja; mais por não estarem integradas na vida da igreja, elas são mais suscetíveis às mentiras do Maligno e logo desaparecem.

O grupo de crescimento serve de uma ponte de integração para dentro da igreja local. A pessoa não será mais um mero número na igreja, porque ela conhecerá intimamente as pessoas do grupo de crescimento. Assim, ela não se sentirá como “peixe fora d’água” e sim como uma parte integral da igreja.

Podemos resumir esta parte dizendo que:

  • Temos que compreender que o mais importante é integrar alguém na igreja local.
  • O segredo de integrar alguém na igreja local é cultivar um relacionamento de amizade profunda.
  • O segredo de cultivar esta amizade profunda é através de eventos sociais, oficiais e extra-oficiais realizados pelos irmãos do grupo de crescimento.

2. Comunhão

Uma das funções tão preciosas dos grupos de crescimento é a comunhão. A verdadeira comunhão Bíblica acontece em um contexto onde as pessoas estão buscando intimidade com Deus e relacionamentos sadios uns com os outros. Quando temos um compromisso de preservar a unidade do Espírito e colocarmos em prática a comunhão Bíblica, certamente o Senhor a de acrescentar-nos, dia a dia, os que vão sendo salvos (Atos 2. 47).

Podemos encontrar o princípio da comunhão ilustrado no pão repartido na ceia, que representa a comunhão que os cristãos possuem com Cristo. O cálice e o pão foram instituídos em memória de Cristo, porém, cada cristão é uma memória viva daquilo que Deus realizou. Cada cristão constitui o corpo de Cristo, ou melhor, o corpo de Cristo é constituído de pessoas que professam a Cristo segundo as Escrituras.

Quando Jesus partiu o pão, disse: “Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim" ( 1Co 11:24 ), ou seja, demonstrou por meio do pão que o seu corpo seria ‘partido’ entre os seus seguidores. Assim como cada discípulo estava com um pedaço do pão que fora partido, cada um deles em particular constituiria o corpo de Cristo.

O princípio da comunhão entre os participantes de um grupo de crescimento precisa ser sempre relembrado, pois o próprio Deus enfatiza seu desejo de ter comunhão conosco.

Assim a vontade de Deus é que vivamos numa família, onde tenhamos relacionamentos uns com os outros. No entanto as pessoas trazem para a igreja a visão distorcida dos relacionamentos destruídos em suas casas, e alguns até chegam a pensar que deve ser do mesmo modo na igreja.

Ao ler o texto de João 12:24-25 fala-nos de duas coisas importantes:

  • ANDAR SOZINHO: é típico daquele que não morreu para si mesmo, que busca seu próprio interesse, é egoísta. Levanta barreiras para se defender das pessoas, não aceita ajuda para suas fraquezas, apresenta uma falsa imagem, não compartilha suas necessidades. Quer conquistar por si só e mostrar como tem valor. Não morreu para si mesmo e não consegue se relacionar com outros, e tampouco produzir frutos. Quantos hoje caem porque não têm com quem abrir o coração, em quem confiar e quem os levante (Ecl. 4:7-12).
  • O ANDAR COM OS IRMÃOS: Somos parte de um mesmo corpo (Rm 12:5). Os que não consideram suas vidas e alvos como o mais importante, porque estão preocupados em AMAR e SERVIR a outros, estes vão dar muito fruto e preservar suas vidas eternamente. Para haver frutos, deve haver renúncia.

Para andarmos uns com os outros, temos que:

1) COMPARTILHAR NECESSIDADES BÁSICAS e RECEBER PROTEÇÃO: Quando conhecemos as necessidades básicas uns dos outros encontramos proteção e cobertura, encontramos o caminho para o suprimento das mesmas, e nos sentimos úteis em poder ajudar a outros. Ganhamos o senso de pertencer a um grupo. Sentimo-nos valorizados porque somos amados ao receber ajuda, ou porque amamos oferecendo ajuda. Ao invés de sermos expostos e envergonhados, encontramos auxílio e proteção mútua pela oração, intercessão, aconselhamento, suprimento material. Não estamos mais sós, e o inimigo não pode nos surpreender, somos um exército lutando todos em favor de cada um no nome de Jesus.

2) TER DISCIPLINA: devemos satisfação uns aos outros em amor: Tudo o que fazemos agora se reflete também em nossos irmãos. Necessitamos praticar os mandamentos recíprocos (Rm 12 a 15). Não podemos andar desordenadamente. Paulo entregou um desordenado ao diabo para que houvesse uma chance de salvação (1Co 5:5). Somos membros uns dos outros, e importantes uns para os outros.

3) VALORIZAR E RESPEITAR NOSSO IRMÃO: entendemos que cada um tem valor, que somos todos filhos do mesmo Pai. Somos uma equipe, e precisamos do nosso irmão em campo conosco. Na hora do gol ele é quem vai fazer o "passe" para você. Precisamos uns dos outros. Não nos concentremos nas falhas, mas nas virtudes. Antes de comentar as falhas cite 3 virtudes de seu irmão. Entenda que cada um tem um limite. Respeitemos os limites. Pais, filhos, esposas, têm limites diferentes, em áreas diferentes. Jamais enterre o talento por achar que você é muito limitado e não consegue nada. Todos podemos ser produtivos no Senhor, e dar muito fruto. Nosso trabalho não é vão quando feito para o Senhor.

3. Conclusão

Fomos feitos para andar em comunhão, e produzir muito fruto. Isto envolve o aspecto prático de nos EDIFICARMOS (abençoarmos, ajudar, auxiliar) e nos MULTIPLICARMOS, alcançando outros que ainda não experimentaram o poder da vida do Corpo de Cristo. Isto começa em nossa família, com nossos relacionamentos mais próximos, e se estende aos demais. Vamos ESCOLHER e DECIDIR andar juntos com o objetivo de ganhar vidas para Cristo através dos grupos de crescimento.

Até a próxima semana.

Pr Josias Moura

One thought on “Estudo bíblico para o culto de doutrina da Igreja Betel Geisel. Tema: Parte 03: Objetivos Espirituais dos grupos de crescimento.

  1. boa tarde. gostei do tema de hoje tocou-me bastante realmente tem acontecido a falta de comunhao. ate maesmo comingo por vez tenho andado sozinho. teste lema vou levar para o estudo biblico de hoje. ajudem a superar esta situacao. boa tarde ate pra semana

    Curtir

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s