Sermão: De que precisamos para a realização da nossa missão?

Palavra ministrada pelo Pr Josias Moura no aniversário de 30 anos da igreja do Betel Brasileiro do Betel Altiplano, liderada pelo Pr. Alberto

De que precisamos para

a realização da nossa missão?

Efésios 4:1-16

1 Introdução.

John Wesley pregador avivalista costumava repetir esta frase: “O mundo é minha paróquia”. Nesta frase, Wesley define qual é a nossa grande missão.

Nossa missão é ganhar vidas para Cristo e anunciar o evangelho do reino. Willian Carey, quando perguntado, sobre a razão de sua obstinação pela obra missionária costumava responder simplesmente: "porque é a vontade do Senhor!"

 

2 Se nossa missão é uma expressão clara da vontade de Deus, de que ferramentas precisaremos? Efésios 4:1-16 nos mostra quais são algumas destas ferramentas.

2.1 Vivamos a vida cristã com dignidade. (“…vivam de maneira digna da vocação que receberam… v.1)

Vivemos numa época em que muitos cristãos parecem viver como verdadeiros agentes secretos de Deus, não sendo conhecidos pelo seu testemunho.

No entanto uma das grandes ferramentas que precisamos usar para cumprir a nossa missão é o nosso testemunho. Paulo aqui recomenda: “…vivam de maneira digna….”.

Quando Paulo inicia o verso 01 ele menciona novamente sua prisão. O apostolo vivia em circunstâncias difíceis. Para viver de modo digno, Paulo havia pagado um considerável preço pessoal por causa de sua obediência ao Senhor. Mas mesmo nestas circunstâncias, não abandonava seu dever.

Viver dignamente o cristianismo tem um preço. No Evangelho de Marcos 8.34, Jesus Cristo chamando a si a multidão, com os seus discípulos, disse-lhes: Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz, e siga-me.

Alguém já disse que a vida de alguns cristãos é como um livro aberto, mas daqueles que ninguém tem vontade folhear. Que tipo de livro tem sido a nossa vida? Um livro digno de ser aberto?

Lembremos que nossa missão tem um preço: testemunho, renuncia do eu, autonegação, etc…

 

2.2 Suportemos uns aos outros v.2

No verso 2 Paulo declara: “Sejam completamente humildes e dóceis, e sejam pacientes, suportando uns aos outros com amor.”

O amor é a ferramenta mais poderosa que temos para realizar nossa missão. Nos dias de hoje, encontramos por aí muitas pessoas excessivamente legalistas que não toleram falhas e fraquezas dos outros. Estas pessoas estão sempre preparadas para encontrar ciscos na vida de outros, mas muitas vezes são incapazes de reconhecer as traves que estão em si mesmas. O verdadeiro cristianismo leva o cristão a ser mais misericordioso e menos legalista.

Em Lucas 18. 9-14, Jesus nos conta uma parábola sobre um fariseu e um publicano. O primeiro orava sempre por si mesmo e se referia ao publicando destacando seus pecados e defeitos. O legalismo daquele fariseu o levava a ter uma falsa espiritualidade, impedindo-o de ver aquele pobre pecador arrependido como alguém que precisava ser amado e alcançado pela graça de Deus. O legalismo faz que pessoas se tornem intolerantes, e incapazes de amar ou ajudar os mais fracos em suas necessidades.

Precisamos entender que ninguém será perfeito aqui na terra, portanto devemos ser misericordiosos com os outros, apesar de suas faltas.

Será que existe alguma pessoa cujas falhas estão lhe aborrecendo? Em vez de ficar se detendo nas fraquezas ou destacando os erros de outros, ore por eles, procure ajuda-los a crescer na vida espiritual.

 

2.3 Conservemos a unidade v3-5

Construir a unidade é um dos papeis mais importantes do Espirito Santo, pois a unidade é a grande arma da Igreja para que as forças do inferno não lhe resistam. Jesus nos ensina que uma casa dividida não próspera.

Paulo nos lembra de alguns aspectos desta unidade: “4 Há um só corpo e um só Espírito, assim como a esperança para a qual vocês foram chamados é uma só; 5 há um só Senhor, uma só fé, um só batismo, 6 um só Deus e Pai de todos, que é sobre todos, por meio de todos e em todos.”

Nos versos 3-5, Paulo nos desafia:3 Façam todo o esforço para conservar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz”. Quando agimos em unidade, alcançamos um grande resultado: a paz entre os irmãos. Assim a unidade reduz conflitos entre irmãos fazendo com que todos caminhem num mesmo propósito. Não havendo unidade, muitos começam a trabalhar contra os propósitos de Deus para a sua igreja, se tornando obstáculos para a benção de Deus.

Não nos tornemos obstáculos ao que Deus quer realizar na vida da igreja. Sejamos fontes de bênçãos.

2.4 Compreendamos qual o nosso desígnio no corpo de Cristo

Vejamos o que Paulo diz aqui: 11 E ele designou alguns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas, e outros para pastores e mestres, 12 com o fim de preparar os santos para a obra do ministério, para que o corpo de Cristo seja edificado, 13 até que todos alcancemos a unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, e cheguemos à maturidade, atingindo a medida da plenitude de Cristo.”

Algo maravilhoso no corpo de Cristo é que nossa unidade não destrói a nossa individualidade. O Espírito Santo concede dons especiais a cada cristão para que sejamos uteis no reino de Deus produzindo frutos.

Tenho sempre dito que nunca vi ninguém atirar pedras em árvores mortas. Pessoas procuram árvores frutíferas para atirar pedras com a finalidade de derrubar seus frutos. Assim meu irmão, se você tem produzido frutos, haverá certamente retaliação, pessoas se levantarão para tentar frustra-lo, mas em nome de Jesus prossiga. Melhor é ser uma árvore viva frutífera que enfrenta as pedradas da vida, do que uma árvore morta que só ocupa espaço inútil.

Um cristão que produz frutos deve sempre usar os seus dons. Não pode parar de usa-los. Procure oportunidades na igreja. Tenha a iniciativa de procurar o seu pastor e pergunte: Pastor onde posso ser útil em realizar a minha missão? Em seguida procure reconhecer qual é o seu lugar no corpo e use tudo o que Deus lhe dará para ajudar sua igreja a realizar o desígnio que lhe foi confiado por Deus.

2.5 Não vivamos mais como meninos inconstantes, sigamos a verdade crescendo no conhecimento de Cristo.

Vejamos o que Paulo nos diz aqui nos versos seguintes: “14 O propósito é que não sejamos mais como crianças, levados de um lado para outro pelas ondas, nem jogados para cá e para lá por todo vento de doutrina e pela astúcia e esperteza de homens que induzem ao erro. 15 Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo. 16 Dele todo o corpo, ajustado e unido pelo auxílio de todas as juntas, cresce e edifica-se a si mesmo em amor, na medida em que cada parte realiza a sua função.”

Nos versos que acabamos de ler Paulo nos dá alguns conselhos extremamente importantes para que possamos ser bem sucedidos em realizar a nossa missão:

· Não nos comportemos como meninos inconstantes. Quem começa algo, precisa terminar. Quem lança a mão no arado, não pode mais olhar para trás. Quem esta servindo a Deus, não pode permanecer agindo como um crente imaturo, que as vezes está animado, em outros momentos está chateado com alguém, em outros instantes magoado com o pastor ou com a igreja, em outros, pensando em desistir.

  • Sigamos a verdade em amor. Quem deseja realizar sua missão precisa ter como prioridade ter o hábito de ler e meditar diariamente na palavra de Deus. Na realização de nossa missão precisamos seguir a verdade revelada, movidos por um sentimento de profundo amor.
  • Procure sempre crescer em tudo. Nas dificuldades não desanime, aprenda a enxergar oportunidades de crescimento. Nas crises não recue, peça a Deus forças para supera-las e tornar-se mais resistente. Nas grandes escolhas procure ter a direção de Deus, e você crescerá em sua capacidade de ouvir melhor a voz de Deus. Avance, avance sempre, recuar nunca!

3 Conclusão

Ilustração. Conta-se que certa vez um menino ouvira uma mensagem sobre o trabalho missionário entre os pagãos. Pelas necessidades daqueles povos que vivem nas trevas, o menino procurou a esposa do pastor e entregou-lhe uma moeda de pouco valor. Aquela senhora estava fazendo um embrulho com roupas, remédios e alimentos para enviar ao oriente. Ela comprou um folheto com aquela pequena moeda e colocou-o dentro do pacote. O folheto caiu nas mãos de um dos chefes da Birmânia, que por meio de sua leitura converteu-se ao evangelho. Mais tarde esse chefe, depois de haver experimentado as alegrias da salvação, falou da sua regeneração a seus amigos. Ao ouvirem seu testemunho, muitos deles também se converteram. Depois, foi organizada uma igreja que por sua vez, solicitou um missionário. Como fruto desse trabalho, quinze mil pessoas, direta ou indiretamente, foram atingidas pelo evangelho. E tudo isso devido a uma pequena moeda!

Há um importante princípio nesta história: Pequenos gestos podem produzir grandes realizações.

Do mesmo modo lembremos também que uma grande árvore frutífera, foi um dia apenas uma pequena semente a qual muitos não dariam nada por ela. Quem é fiel nas pequenas coisas, será colocado sobre os grandes projetos e sonhos de Deus.

Portanto, empreenda sua missão com fidelidade, e execute com obediência as coisas pequenas que lhe são designadas. Mais tarde Deus o usará em grandes realizações.

Pr Josias Moura

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s