Estudo Bíblico para o culto de doutrina da Igreja Betel Brasileiro Geisel. Tema: Últimos dias, tempos difíceis".

Últimos dias: tempos difíceis

I Timóteo 4: 1-5

"Ora, o Espirito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios" I Timóteo 4: 1

INTRODUÇÃO

A Palavra de Deus revela que os últimos dias serão tempos difíceis, l Tm. 4: 1. Estes sinais dos tempos apon­tam para o fim da história, que se consumará com a volta de Cristo. Eles não revelam o tempo exato quando Cristo re­tornará e quando sucederão os eventos que acompanham seu retorno, mas efetivamente asseguram que estas coisas certamente ocorrerão e serão evidentes ao povo de Deus.

Por mais de uma vez Jesus usou expressões tais como "e en­tão virá o fim", após ter revelado quais seriam alguns dos sinais, Mt 24: 14, 29, 30. Estudaremos mais alguns destes sinais nos próximos cultos de doutrina.

Mas, ao falar do “Fim dos tempos”, Paulo deixou claro aos tessalonicenses que "aquele dia não virá, sem que primeiro venha a apostasia, e seja revela­do o homem da iniqüidade", 2Ts 2: 3. Este homem da Iniquidade é uma expressão que se refere ao Anticristo. Este será um homem que agirá segundo a eficácia de Satanás.

No estudo desta semana iremos explorar três evidências do fim dos tempos.

I – APOSTASIA, 2Ts 2: 3

a) Apostasia significa renúncia a uma crença. É o abandono definitivo da fé, de maneira pública ou parti­cular. A palavra é usada na Bíblia para denotar rebelião contra Deus, mas também pode referir-se à apostasia de muitos dentro da igreja, lTm 4: 1; 2Tm 3: 1-9; Jd 17-19, a uma rebelião de alcance mundial contra Deus.

b) A vinda do Senhor se dará com a manifesta­ção da apostasia, seguida pela manifestação do "ho­mem da iniqüidade". A negação da fé será algo comum nos últimos dias. Muitos esfriarão e negarão uma vida de compromisso com a palavra de Deus.

c) Renúncia às doutrinas da fé. A apostasia será manifestada com relação às doutrinas centrais da fé cristã. Os apóstatas negarão a doutrina da Trindade, da humani­dade e divindade de Jesus, do pecado original, etc. além de manifestação pública de cultos a demônios e defesa de suas doutrinas por falsos mestres, tentando enganar, divi­dir e trazer confusão ao povo de Deus, levando-o a aban­donar a sã doutrina exposta nas Escrituras, 2Tm. 4: 3-5.

Será um tempo difícil para o povo de Deus, que deve permanecer firme e inabalável nos fundamentos bíblicos, diante de tantas manifestações contrárias à fé, aos costu­mes e valores genuinamente cristãos.

II – IMORALIDADE, Mt 24: 38-39

a) A advertência de Jesus. No sermão escatológico de Mateus 24, Jesus faz menção à corrupção moral que assolou os dias de Noé e que também assolará os últimos dias. O ser humano afastou-se do Criador. Quanto mais afastado de Deus permanece, mais desumano se torna.

b) Origem da imoralidade. A imoralidade é uma das conseqüências da queda, que distorceu a imagem de Deus no ser humano, tornando-o escravo do pecado. A imoralidade é vivenciada com a prática de maus costu­mes, especialmente contra a família, trazendo depravação, libertinagem, degradação, devassidão e dissolução.

c) Como deve andar o cristão? Discernir os sinais dos tempos tem implicações importantes para nossa con­duta cristã diária. Embora seja necessário tudo isso acon­tecer para o cumprimento das Escrituras, como cristãos precisamos valorizar a mo­ral e os bons costumes, e isto significa "andar como filhos da luz", Ef 5: 1-8.

Em Romanos 13, Paulo apela para seus leitores para que se comportem como se a vinda de Cristo fosse imediata. Vejamos os vs. 11-13. O corpo de Cristo deve ser a luz desta sociedade imoral e em trevas, aguardando o retorno do Redentor.

III – IMPIEDADE, 2 Tm. 3: 1-5

a) Aparência de piedade. O texto bíblico nos ofe­rece uma descrição detalhada das características das pessoas destes tempos trabalhosos. Se considerarmos essa lista de características atingindo um clímax, partindo do verso 1 ao 5, o último versículo diz que ter a aparência de piedade é a atitude mais popular nestes dias maus. As pessoas parecem, mas não são genuinamente piedosas.

b) A conduta ímpia. A falta de respeito, de amor a Deus, ao próximo, a si mesmo ou ao que é sagrado serão os valores comumente admitidos e praticados pela socieda­de. A ausência de compaixão dará lugar à crueldade. Todas estas impiedades relatadas em 2Tm 3: 1-5 se multiplicarão até a volta de Cristo. Como Igreja militante, devemos zelar pela vida piedosa que imite o caráter de Cristo. Nas cartas paulinas este é um tema constantemente citado, ICo 4: 16; ICo 11: 1; Ef 5: 1; Fp 3: 17; lTs 1: 6; lTs 2: 14.

CONCLUSÃO

Quanto mais se aproxima a vinda do Senhor, maior será a tendência da comunidade cristã de dobrar-se diante da apostasia, imoralidade e impiedade. Como cristãos la­vados e redimidos pelo sangue do cordeiro, recebemos grande salvação. Devemos, portanto, usar nossas armas espirituais, Ef. 6: 10-18, para militar no fim dos tempos com autoridade divina.

Na próxima semana estudaremos o tema: A morte e o estado intermediário: “Onde estão aqueles que já morreram?” Não perca.

Pr Josias Moura

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s