Sermão: Fazendo uma avaliação da nossa caminhada com Cristo

Palavra ministrada pelo Pr Josias Moura na santa ceia da Igreja do Betel Brasileiro

TEMA DO SERMÃO: Fazendo uma avalição profunda da caminhada com Cristo

Salmo 126

 

INTRODUÇÃO

O Salmo 126 descreve o passado, o presente e o futuro. O salmista olha para o passado com gratidão pelo livramento recebido (v. 1-3); olha para o presente com um profundo senso de carência da intervenção divina (v. 4) e olha para o futuro com ardente expectativa de abundantes colheitas (v. 5,6).

O Salmo 126 faz uma verdadeira diagnose da vida, um check-up da alma, uma avaliação profunda da caminhada.

1. O salmista nos ensina a fazer uma profunda avaliação…. Olhando para o passado com gratidão (v. 1-3)

Jerusalém havia sido cercada, invadida, saqueada e ferida pelos caldeus. Nabucodonosor impiedosamente feriu à espada homens, mulheres e crianças. Muitos, entrincheirados, morreram de fome e sede antes de serem esmagados pela truculência babilônica. O povo hebreu foi arrastado como um bando de animais para a Babilônia dos ídolos e da feitiçaria. Setenta anos se passaram e Deus abriu-lhes a porta da prisão, quebrou-lhes os grilhões de ferro, e eles voltaram para a sua terra, reconstruíram o templo, resgataram seus sonhos e continuaram servindo ao Deus vivo.

Vemos nos versos 1 ao 3 que a libertação milagrosa do povo hebreu do cativeiro babilônico foi resultado de uma intervenção poderosa de Deus além das expectativas do povo (v. 1), que produziu um testemunho entre as nações (v. 2) e um motivo de grandiosa e exultante alegria (v. 3).

No verso 1 o salmista diz que parecia estar sonhando ao contemplar Deus livrando o seu povo. O fato é que Deus transforma sonhos em realidade. E o salmista esta vendo isso acontecer diante de seus olhos.

De igual modo, quando olhamos para o passado, contemplamos também a obra libertadora de Deus em nossa vida. Ele nos libertou do império das trevas. Ele quebrou os grilhões do pecado que nos mantinha cativos. Ele decretou a nossa alforria e a nossa libertação. Hoje somos livres para servirmos ao Senhor.

Ao lembrar com gratidão dos livramentos passados sorrimos e cantamos de alegria. No verso 2, o salmista diz: “como rimos e cantamos de alegria”. Há pessoas aqui, que podem cantar e sorrir de alegria por causa dos livramentos de Senhor.

 

2. O salmista nos ensina a fazer uma profunda avaliação…. Olhando para o presente com clamor (v. 4)

No verso 04, o salmista faz um pedido: Ó Senhor, faze com que prosperemos de novo, assim como a chuva enche de novo o leito seco dos rios”.

O Salmista celebra o passado, mas roga a intervenção divina no presente. As vitórias de ontem não servem para nos conduzir em triunfo hoje. A vida do povo estava árida como o deserto do Neguebe. A sequidão havia tomado conta do mesmo povo que estava exultante no passado. E por causa disso o salmista deseja que a água da vida seja derramada nos leitos secos do coração e da alma.

O Salmista não se acomoda; ele clama por intervenção divina. Ele sabe que a crise não é final. Ele sabe que Deus ainda pode intervir. Ele sabe que só Deus pode reverter a situação. Ele sabe que Deus pode fazer o deserto florescer. Ele sabe que rios caudalosos podem rasgar as entranhas do deserto e onde a morte mostrava sua face, pode surgir um belo cenário de vida.

Por isso, ele ora e clama, dizendo: “Restaura Senhor, a nossa sorte, como as torrentes do Neguebe”.

Hoje ainda, Deus pode fazer o deserto florescer. A sequidão espiritual pode acabar. Rios de água viva podem fluir do seu interior. Sua vida pode reverdecer e frutificar para a glória de Deus. Um avivamento glorioso pode visitar sua alma e fazer de você um jardim engrinaldado de flores e um pomar de deliciosos frutos para Deus.

3. O salmista nos ensina a fazer uma profunda avaliação…. Olhando para o futuro com expectativa (v. 5,6),

O Salmista não pensa numa vida abundante apenas para si mesmo, ele quer agir como um semeador. Em tempos de luta e dificuldade temos que agir como o semeador.

Vemos que no verso 5 o salmista diz: “Que aqueles que semeiam chorando façam a colheita com alegria!

Dessa forma o salmista está disposto a sair, ainda que com lágrimas semeando a boa semente. Entenda meu irmão, que precisamos agir como o semeador para colhermos bênçãos futuras. Em 2 Coríntios 9:6, Paulo nos ensina isso ao dizer que “…..aquele que semeia pouco pouco também ceifará; e o que semeia com fartura com abundância também ceifará.”

 

CONCLUSÃO

A semeadura exige esforço e determinação. O semeador precisa sair e andar. Muitas vezes o semeador rega o solo com suas próprias lágrimas. Mas, não há semeadura sem colheita nem lágrimas sem júbilo nessa bendita empreitada. A semeadura é com lágrimas, mas a colheita é certa e com júbilo.

Ainda hoje é tempo de semear. Temos a boa semente, que é a palavra e o campo já está preparado para recebê-la. Você é um semeador. Lance essa semente nos corações e prepare-se para uma colheita abundante e jubilosa!

Pr Josias Moura

2 thoughts on “Sermão: Fazendo uma avaliação da nossa caminhada com Cristo

  1. Vejo nas mensagens do pastor Josias a inspiração do Espirito Santo, por tenho a certeza de que elas têem edificado muitas vidas pelo mundo à fóra.

    Curtir

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s