Estudo Bíblico do culto de doutrina da Igreja Betel. Tema: Moises, uma Liderança eficiente.

Exodo 2: 1-10

INTRODUÇÃO

"E Moisés foi educado em toda a ciência dos egípcios e era poderoso em palavras e obras", Atos 7: 22.

Moisés tem sido considerado um dos maiores vultos do Antigo Testamento. Foi um grande historiador, legislador, estadista e poeta.

Mas, seu nome é lembrado pelas suas extraordinárias qualidades de liderança.

Homem de Deus, segundo a Bíblia, nunca mais se levantou em Israel profeta algum como ele, Dt 34: 1-12. Morreu aos 120 anos.

Estudar sua vida é aprender a melhor liderar em meio aos desafios, às pressões e oposições internas e externas. Os que estudam sua biografia dividem-na em três fases: 40 anos no Egito; 40 anos nas terras de Midiã e 40 anos no deserto, com o povo de Deus.

I – MOISÉS NASCEU PARA LIDERAR

Na lição anterior, estudamos a vida de José, que se tornou governador do Egito. Preocupado com a intensa fome, desejoso de ficar mais próximo de seus parentes, e sabendo que só no Egito havia cereal, José mandou que trouxessem seu pai Jacó e toda a sua família para as terras egípcias. Eram 70 pessoas, Gn 46: 27.

Os descendentes de Jacõ, morando no Egito por 430 anos, multiplicaram-se muito, Ex. 1:6 e 7. Ao final desse período, uma nova dinastia, que não conhecera a José, estava no poder, Ex 1: 8.

O novo Faraó, preocupado, disse: "Eis que o povo dos filhos de Israel é mais numeroso e mais forte do que nós", 1: 9. E, por essa razão, passou a afligir os hebreus, escravizando-os, colocando sobre eles feitores e exigindo muito trabalho forçado. Observamos que Deus fazia o seu povo crescer, e isto causado receio no reino Egípcio.

Diante dessa opressão e aflição, o povo clamou ao Senhor, Ex 3: 9. Nessa circunstância nasce Moisés para ser o libertador do povo de Deus.

a) A ordem do Faraó para matar os meninos hebreus, Ex 1: 16. Como o povo de Israel crescia muito, o soberano egípcio baixou uma lei que mandava matar todo menino hebreu recém-nascido. Mas as parteiras hebréias temeram a Deus e desobedeceram ao Faraó, Ex 1: 17. Um pouco mais tarde, um novo decreto determinava que os filhos dos hebreus fossem lançados ao rio Nilo, 1: 22.

b) Moisés recebe educação egípcia, Êx 2: 1-10. Nasce Moisés e sua mãe, para livrá-lo da morte, ocultou-o por três meses. Colocado num cesto de junco, foi deixado à beira do rio Nilo e, encontrado pela filha de Faraó, foi entregue à sua própria mãe para criá-lo, vv. 7-9. Sendo já grande, Moisés é trazido para o palácio e é adotado como filho da filha de Faraó, Hb. 11: 24. No palácio, recebe a educação como se fosse uma criança egípcia da família real, Atos 7: 22, mas nunca se esqueceu de sua origem.

c) Moisés aprende que agir antes da hora adequa­da não dá certo, Ex 2: 11-15. Quando adulto, tomou consciência da opressão política que seu povo sofria. Viu um egípcio espancando um hebreu e interferiu, matando o egípcio. Depois, viu dois hebreus brigando e também interferiu, mas foi recriminado. Ainda não era chegada a hora de Moisés exercer sua forte liderança sobre o povo. Deus iria capacitá-lo para a grande e árdua tarefa, e transformá-lo num notável líder.

II – CHAMADO PARA LIDERAR, cap. 3-5.

Perseguido por Faraó por matar um egípcio, Moisés fugiu para Midiã, 2: 15. Estava começando o segundo período de sua vida. Foi nessa região que ele teve profundas experiências com Deus e recebeu o chamado para libertar os israelitas da escravidão egípcia. Ainda que ele se julgasse incapaz, Deus o habilita e o envia para falar a Faraó.

Vejamos alguns aspectos importantes de seu chamado para liderar a saída do povo de Deus do Egito:

a) Deus escolhe pessoas ocupadas, 3: 1. Quando estava apascentando o rebanho de Jetro, seu sogro, Moisés vê uma sarça em chamas que não se consumia. Distante de tudo e de todos, Deus fala com ele, v. 4, e o comissiona para livrar o povo hebreu da escravidão de Faraó, v. 10.

b) A capacidade vem de Deus, 4:9-11. Chamado para apresentar-se diante de Faraó e pedir que deixasse o povo sair do Egito, Moisés julgou-se incapaz para tão grande missão. Desculpou-se e colocou vários empeci­lhos, alegando finalmente sua dificuldade para falar. Deus lhe concede poderes para fazer milagres na presença de Faraó e envia Arão para ajudá-lo, 4: 13-16.

c) Liderar é enfrentar e resolver os problemas, 5: 1. Tanto as situações favoráveis como as de grande oposição. Moisés venceu não só as oposições do Faraó, mas também os desafios e problemas que tentaram impedir a marcha do povo pelo deserto. Mas, a qualquer custo, Moisés defendia seus liderados e intercedia por eles, Ex 32: 32.

III – LIDERANÇA PARTICIPATIVA, cap. 18.

Durante a marcha pelo deserto, Moisés, sozinho, tinha de atender a todos os problemas. Foi aí que Jetro, seu sogro, sugeriu a distribuição de tarefas, Êx 18: 13-27. Moisés aceitou o conselho.

O líder tem de aprender a dividir tarefas. Não adianta querer fazer tudo sozinho. Moisés ficou com as responsabi­lidades mais pesadas, com o compromisso de resolver as causas maiores. E nomeou auxiliares para julgar as causas pequenas. Eram homens capazes, tementes a Deus, w. 19-26. Estas qualidades ainda são recomendadas àqueles que querem exercer uma liderança na igreja, I Tm 3: 1-13.

Moisés é o exemplo de uma liderança eficiente. O Deus que chama é o Deus que capacita. No cargo que Deus nos colocou, procuremos agir com dedicação e zelo, Cl. 3:23.

Na próxima semana estudaremos sobre JOSUÉ: SUCESSÃO, UMA QUESTÃO DIVINA.

Pr. Josias Moura

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s