Sermão: Santa Ceia- Momento Ágape

santa ceia Palavra Ministrada pelo Pr Josias Moura no culto de Santa Ceia da igreja do Betel Brasileiro Geisel

 

Texto: 1 Co 11:17-22

1) Introdução

Desde o início da Igreja, os cristãos costumavam comer juntos (At 2:42, 46). Era uma oportunidade de terem comunhão e de dividir os alimentos com os menos privilegiados. Quem dera, que hoje todos nós exercitássemos a comunhão como aqueles cristãos do primeiro século.

Sem dúvida, o ponto alto dessas refeições era a observância da Ceia do Senhor. Os cristãos primitivos chamavam essas ocasiões de "refeições de ágape", uma vez que a ênfase maior era sobre a demonstração de amor mútuo entre os irmãos e irmãs ao compartilhar os alimentos uns com os outros.

A "refeição de ágape" (do termo grego que significa "amor") fazia parte do culto em Corinto, mas sofria sérios abusos. Em decorrência disso, tais refeições estavam sendo mais prejudiciais do que benéficas para a igreja. Dentre outras coisas, havia uma porção de "panelinhas" na igreja, e cada um só comia com sua "turma", em vez de ter comunhão com toda a família da igreja. Apesar de Paulo condenar essa prática egoísta, encarou os resultados de maneira positiva: pelo menos Deus usaria isso para revelar os que eram verdadeiramente cristãos.

Outra falha era o egoísmo: as pessoas ricas traziam grandes quantidades de alimentos, enquanto as mais pobres passavam fome. A idéia original dessa refeição de comunhão era compartilhar, mas essa idéia havia se perdido. Alguns dos membros estavam até se embebedando. É bem provável que essa refeição semanal fosse a única ocasião em que alguns dos membros mais pobres se alimentavam dequadamente, e o desprezo dos mais ricos não afetava apenas o estômago desses membros menos privilegiados, mas também sua dignidade.

E evidente que as divisões durante a refeição eram apenas um sintoma de problemas mais sérios dentro da igreja. Os coríntios consideravam-se cristãos maduros, quando na realidade não passavam de criancinhas na fé.

Nesta passagem que lemos, Paulo não está sugerindo que as refeições de comunhão deviam ser suspensas, mas sim que era preciso restaurar seu significado. Paulo então, mostra para aqueles cristãos, que a "refeição de ágape" deveria ser uma oportunidade para a edificação, mas era usada como ocasião para causar embaraços.

Ilustração. Lembro-me em certa igreja, de um episódio ocorrido em um piquenique de nossa Escola Bíblica Dominical quando eu ainda era adolescente. A pessoa encarregada dos jogos preparou uma corrida em que várias pessoas deveriam jogar ovos umas para as outras, à medida que aumentavam a distância entre si. E claro que, quanto mais uma equipe se afastava da outra, mais força os participantes precisavam usar para jogar os ovos, e o resultado era cômico.

Enquanto assistíamos à competição observamos duas crianças da Escola Dominical olhando fixamente para os ovos. Vinham de uma família pobre e, provavelmente, não tinham dinheiro para comprar ovos com freqüência. A garotinha foi até a senhora que organizou os jogos e perguntou: "Se sobrar algum ovo depois da brincadeira, será que o meu irmão e eu podemos levar para casa?" Em uma decisão sábia, a senhora mais que depressa encerrou a brincadeira, deu um prêmio à equipe vencedora e entregou todos os ovos para as duas crianças. Aquela senhora sabia que era errado alguns membros da igreja se divertirem enquanto duas crianças sentiam fome e pensavam em sua família.

2) Como cristãos devemos evitar alguns erros.

As igrejas evangélicas reconhecem duas ordenanças estabelecidas por Jesus Cristo e que devem ser observadas por seu povo: o batismo e a Ceia do Senhor (a Ceia também é chamada de Comunhão em 1 Coríntios 10:16, e de Eucaristia, que significa "dar graças").

Jesus Cristo tomou o cálice e o pão – elementos comuns de uma refeição naquela época – e os transformou em uma experiência espiritual significativa para os cristãos. No entanto, o valor da experiência depende do estado em que se encontra o coração dos que dela participam, e esse era problema em Corinto.

Assim, Não devemos participar da ceia com o coração despreparado. Não devemos receber os elementos sagrados que simbolizam o corpo de Cristo de qualquer forma. Uma vez que os crentes da igreja de coríntios pecavam em sua observância da Ceia do Senhor, Deus teve de discipliná-los. "Eis a razão por que há entre vós muitos fracos e doentes e não poucos que dormem" (1 Co 11:30).

3) A Ceia do Senhor é uma oportunidade de crescimento espiritual e de bênçãos, se participarmos com a atitude correta. Então, o que devemos fazer, então, para a Ceia trazer bênçãos, não repreensão?

a. Em primeiro lugar, devemos olhar para trás (w. 23-26a), no sentido de que o pão repartido nos faz lembrar do corpo de Cristo dado por nós; o cálice representa seu sangue derramado.

É impressionante o desejo de Jesus de que seus seguidores se lembrem de sua morte. A maioria de nós procura esquecer os detalhes sobre a morte de nossos entes queridos, mas Jesus deseja que lembremos como ele morreu. Isso porque sua morte é o cerne de tudo o que temos como cristãos.

Devemos lembrar o fato de haver morrido, pois sua morte faz parte da mensagem do evangelho: "Cristo morreu […] foi sepultado" (1 Co 15:3, 4). Não é a vida de Cristo nem seus ensinamentos que salvam os pecadores, mas sua morte. Portanto, devemos nos lembrar do motivo de ter morrido: Cristo morreu por nossos pecados; foi nosso substituto (Is 53:6; 1 Pe 2:24), quitando uma dívida que jamais poderíamos pagar.

Também devemos lembrar como ele morreu: voluntária e mansamente, demonstrando seu amor por nós (Rm 5:8). Entregou o corpo nas mãos de homens perversos e levou sobre si os pecados do mundo.

No entanto, essa "memória" não é apenas uma lembrança dos fatos históricos. Também é uma participação de realidades espirituais. Quando celebramos a Ceia do Senhor, não caminhamos ao redor de um monumento e o admiramos a distância. Temos comunhão com o Salvador vivo, do qual nos aproximamos pela fé.

b. Em segundo lugar, devemos olhar para a frente (v. 26b) no sentido que observamos a Ceia do Senhor "até que ele venha".

A volta de Jesus Cristo é a esperança da Igreja e de cada cristão. Jesus Cristo não apenas morreu por nós, mas também ressuscitou e subiu ao céu e, um dia, voltará para nos levar para junto dele. Não somos hoje tudo o que devemos ser; mas quando o vermos, "seremos semelhantes a ele" (1 Jo 3:2).

c. Em terceiro lugar, devemos olhar para dentro (w. 27, 28, 37, 32), no sentido de nos autoexaminarmos

Paulo não diz que devemos ser dignos de participar da Ceia, afinal, nenhum de nós é digno por sermos todos pecadores, mas Paulo nos ensina que devemos participar da santa ceia de maneira digna.

Ilustração. Em um culto de Ceia na Escócia, o pastor reparou que uma mulher da congregação não aceitou o cálice e o pão oferecidos pelo presbítero, mas apenas ficou sentada em seu lugar, chorando. O pastor dirigiu-se até ela e disse: -Pode tomar, minha cara, a Ceia é para os pecadores!

De fato, a ceia é para pecadores, mas os pecadores salvos pela graça de Deus não devem tratar a Ceia de maneira pecaminosa.

Então, a fim de participar dignamente, é preciso examinar o coração, discernir os pecados e confessá-los ao Senhor. Tomar a Ceia com pecados não confessados no coração é se tornar réu do corpo e do sangue de Cristo, pois foi o pecado que o pregou à cruz. Se não discernirmos nossas transgressões, Deus nos julgará e disciplinará até que confessemos e deixemos esses pecados.

Os coríntios não examinavam a si mesmos, mas eram especialistas em examinar a vida de todo mundo. Quando a igreja se reúne, devemos ter o cuidado de não nos tornarmos "detetives religiosos" que se dedicam a vigiar os outros, incapazes de reconhecer os próprios pecados. Se comemos e bebemos indignamente, comemos e bebemos julgamento (disciplina) para nós mesmos.

Entenda porem meu amado, que a disciplina do Senhor, é a maneira carinhosa de Deus tratar com seus filhos e filhas e de encorajá-los a amadurecer (Hb 12:1-11). Não é como a sentença de um juiz condenando um criminoso, mas como a repreensão de um Pai amoroso, que castiga os filhos desobedientes (e, possivelmente, obstinados). A disciplina é uma prova do amor de Deus por nós e, se cooperarmos, pode aperfeiçoar a vida de Deus em nós.

d. Por fim, devemos olhar a nosso redor (vv. 33, 34).

Não se deve fazer isso com o objetivo de criticar outros cristãos, mas sim de discernir o corpo do Senhor (1 Co 11:29).

Discernir o corpo do Senhor significa reconhecer seu corpo simbolicamente representado no pão e também na igreja ao nosso redor – pois a igreja é o corpo de Cristo.

Lembremos aqui o que diz o apostolo: "Porque nós, embora muitos, somos unicamente um pão, um só corpo" (1 Co 10:1 7).

A Ceia deve ser uma demonstração de união na igreja -, mas a igreja de Corinto não era muito unida. Na verdade, sua celebração da Ceia do Senhor era apenas uma demonstração de sua desunião.

A Ceia do Senhor é uma refeição em família, e o Senhor da família deseja que seus filhos amem uns aos outros e cuidem uns dos outros. E impossível um cristão verdadeiro aproximar-se do Senhor e, ao mesmo tempo, se manter separado de seus irmãos e irmãs em Cristo. De que maneira podemos lembrar a morte de Jesus Cristo se não amamos uns aos outros? "Amados, se Deus de tal maneira nos amou, devemos nós também amar uns aos outros" (1 Jo 4:11).

4) conclusão

Nenhuma pessoa que não é verdadeiramente convertida deve tomar a Ceia. Também um cristão não deve tomar a Ceia se seu coração não estiver em ordem com Deus e com seus irmãos e irmãs em Cristo.

É por isso que em muitas igrejas, há um tempo antes da ceia, para oração e confissão individual de pecados, a fim de que nenhum dos participantes traga disciplina sobre si mesmo.

Apesar da confissão ser um elemento importante, a Ceia não deve ser uma ocasião de "autópsia espiritual" e tristeza. Deve ser um tempo de ação de graças e expectativa jubilosa de ver o Senhor! Jesus sabia que, em breve, passaria por grande sofrimento e morreria, mas ainda assim deu graças. Façamos o mesmo.

Então meu amado, celebremos porque breve veremos a Cristo. E Ele se revelará a nós como Senhor vitorioso sobre a morte, e todos os obstáculos colocados por Satanás.

Pr Josias Moura de Menezes

7 thoughts on “Sermão: Santa Ceia- Momento Ágape

  1. apaz do senhor eu sei que guando jesus estava ministrando a santa seia ele ja sabia que judas ia trair e mesmo a sim jesus deicho ele seia e jesus dise judas se for faser fasa logo e fico olhando as pessoas na igreja fica inpedindo opovo de Deus de seia com ele se a pessoa e inpedida de partisipar do corpo de Cristo tanbei e proibida de disimar etc ou não so que Deus esta vendo tudo o que voces esta fasendo com as ovelhas ne

    Curtir

  2. QUERIDA IRMÃ, O FATO DE VOCÊ NÃO SER CASADA E VIVENDO COM UM COMPANHEIRO A CINCO, SE TORNA ERRADO PERANTE AOS ENSINAMENTOS CRISTÃO. o FATO É QUE, AGORA VOCÊ SE CONVERTEU E DEVE TESTEMUNHAR A CRISTO. PENSO QUE VOCÊ DEVE SIM PROCURAR ACERTAR SUA VIDA COM DEUS, OU SEJA, CASAR, AI SIM, PARTICIPAR DA CEIA DO SENHOR, QUE É ALGO MUITO ESPECIAL NA VIDA DO CRISTÃO. NÃO SÓ PARA QUE VOCÊ POSSA PARTICIPAR DA CEIA, MAS, PARA QUE ESTEJA DE ACORDO COM AS LEIS DE DEUS. ORE E BUSQUE ORIENTAÇÃO NA PALAVRA DO SENHOR E DEIXE O ESPÍRITO SANTO AGIR EM TUA VIDA, AI SABERÁ O QUE É CERTO OU ERRADO. FIQUE SEMPRE NA PAZ DO SENHOR.

    Curtir

  3. A paz de Jesus,pastor gostaria de saber se uma pessoa que não seje casada pode tomar a santa ceia e se batizar,pois sou cristã e gostaria de tirar essa duvida porque uma irmã de outra igreja que não seja a minha falou que estou em pecado tomando a santa ceia aguardo retorno obrigada.

    Curtir

  4. A Paz!!! Frequento uma igreja em Células e gostaria de saber se é certo tomar a santa ceia se n sou casada perante as leis de Deus e perante as leis do homen.Me juntei há 5 anos atráz antes de conhecer o senhor Jesus.Está certo isso?Pois sou evangélica há um ano,mas desde criança fui católica e lá aprendi difernte.Para participarmos da eucaristia devemos nos confessar se tivermos um companheiro temos que ser casados e se n tivermos temos q ser batizados.Aguardo a resposta.

    Curtir

    • DEVEMOS SER CASADOS EM CARTORIO SIM PARA, CONFESSARMOS NOSSOS PECADOS AO SENHOR , ARREPENDERMOS DO PECADO AI SIM VAMOS PARTICIPAR DA CEIA DO SENHOR

      Curtir

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s