Estudo Bíblico para culto de doutrina da Igreja Betel Brasileiro Geisel. Tema: A doutrina do Pecado.

image Estudo ministrado pelo Pr Josias Moura no culto de doutrina.

Que é pecado? Qual a sua origem? Será que herdamos de Adão uma natureza pecaminosa? Será que herdamos de Adão a culpa?

1. Introdução

A história da raça humana que se apresenta nas escrituras retrata o homem num estado de pecado e rebelião contra Deus e seu plano redentor para levar de volta o homem a Ele.

Podemos partir da seguinte definição: pecado é deixar de se conformar à lei moral de Deus, seja em ato, seja em atitude, seja em natureza.

O pecado é aqui definido em relação a Deus e sua lei moral. Inclui não só atos individuais, como roubar, mentir ou cometer homicídio, mas também atitudes contrárias àquilo que Deus exige de nós. Percebemos isso já nos Dez Mandamentos, que não só proíbem ações pecaminosas, mas também atitudes errôneas: “Não cobiçarás a casa do teu próximo. Não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem cousa alguma que pertença ao teu próximo” (Êx. 20.17). Aqui Deus especifica que o desejo de roubar ou cometer adultério é também pecado aos olhos dele.

O sermão do monte também proíbe atitudes pecaminosas como a ira Mt. 5:22, ou a luxuria (Mt. 5:28). Paulo arrola atitudes como ciúme, raiva e egoísmo (Gl. 5:20) entre obras da carne, opostas aos desejos do Espírito (Gl. 5:22). Antes que fossemos remidos por Cristo, não só cometíamos atos pecaminosos e tínhamos atitudes pecaminosas, mas também eramos pecadores por natureza. Por isso, diz Paulo: “Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores”. Rm. 5:8

2. A origem do pecado

De onde veio o pecado? Como ele penetrou no universo? Primeiro, precisamos afirmar claramente que Deus não pecou e não deve ser culpado pelo pecado. Foi o homem quem pecou, os anjos quem pecaram, e nos dois casos o fizeram por escolha intencional e voluntária.

Culpar a Deus pelo pecado seria blasfemar contra o caráter de Deus. “Suas obras são perfeitas, porque todos os seus caminhos são juízo; Deus é fidelidade, e não há nele injustiça; é justo e reto” (Dt 32.4). Abraão pergunta com verdade e força nas palavras: “Não fará justiça o Juiz de toda a terra?” (Gn 18.25). E Eliú diz com justiça: “Longe de Deus o praticar ele a perversidade, e do Todo-Poderoso o cometer injustiça” (Jó 34.10). De fato, para Deus é impossível sequer desejar a injustiça: “Deus não pode ser tentado pelo mal e ele mesmo a ninguém tenta” (Tg 1.13).

Muito antes da desobediência de Adão e Eva, o pecado se fez presente no mundo angélico com a queda de Satanás e dos demônios. Mas com respeito a raça humana, o primeiro pecado foi o de Adão e Eva no jardim do Edên (Gn. 3:1-19)

3. O pecado herdado

Como o pecado de Adão nos afeta? As Escrituras ensinam que herdamos o pecado de Adão de dois modos.

1.1 Culpa herdada:

Somos considerados culpados por causa do pecado de Adão. Paulo explica os efeitos do pecado de Adão da seguinte maneira: “Portanto […] por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim […] a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram” (Rm 5.12). O contexto mostra que Paulo não está falando dos pecados que as pessoas efetivamente cometem no dia-a-dia, pois todo o parágrafo (Rm 5.12-21) trata da comparação entre Adão e Cristo. E assim, Paulo diz: “ a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram”, está dizendo que por meio do pecado de Adão, “todos os homens pecaram”.

A idéia de que Deus nos considerava culpados por causa do pecado de Adão é afirmada novamente em Romanos 5:18-19: 18 Pois assim como, por uma só ofensa, veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também, por um só ato de justiça, veio a graça sobre todos os homens para a justificação que dá vida. 19 Porque, como, pela desobediência de um só homem, muitos se tornaram pecadores, assim também, por meio da obediência de um só, muitos se tornarão justos.”

1.2 Corrupção herdada:

Temos uma natureza pecaminosa por causa do pecado de Adão. Além da culpa legal que Deus nos imputa por causa do pecado de Adão, também herdamos uma natureza pecaminosa como conseqüência do pecado dele.

Cada parte do nosso ser está maculado pelo pecado — o intelecto, as emoções e desejos, o coração (o centro do desejos e dos processos decisórios), as metas e motivos e até o corpo físico. Diz Paulo: “Sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem nenhum” (Rm 7.18) e “para os impuros e descrentes, nada é puro. Porque tanto a mente como a consciência deles estão corrompidas” (Tt 1.15).

Paulo, falando aos seus leitores de Efésios esclarece que estavam “mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais andastes outrora” (Ef 2.1-2). Os descrentes estão num estado de servidão ou escravidão ao pecado, pois “todo o que comete pecado é escravo do pecado” (Jo 8.34).

Embora, do ponto de vista humano, as pessoas possam ser capazes de fazer o bem, Isaías afirma que “todas as nossas justiças, [são] como trapo da imundícia” (Is 64.6; cf. Rm 3.9-20). Os incrédulos nem sequer são capazes de compreender corretamente as coisas de Deus, pois “o homem natural não recebe os dons [lit. “coisas”] do Espírito de Deus, pois lhe são insensatez, e não consegue compreendê-los, pois só se pode discerni-los espiritualmente” (1Co 2.14 RSV mg.). Tampouco podemos nós nos aproximar de Deus por nossas próprias forças, pois diz Jesus: “Ninguém pode vir a mim se o Pai, que me enviou, não o trouxer” (Jo 6.44). Tudo isso é consequência da corrupção que herdamos do pecado ao nascer.

Diante de todas as consequências do pecado, Deus estabelece o caminho do arrependimento, e pela fé em Cristo podemos experimentar o novo nascimento. O novo nascimento é uma experiência que corresponde ao surgimento de uma nova natureza dentro de nós, que reage as influencias negativas da corrupção herdada. Só através do novo nascimento e da atuação santificadora do Espírito é que podemos vivenciar uma vida vitoriosa sobre o pecado.

Entendamos porem, que essa capacidade de se arrepender e desejar ter fé em Deus não é naturalmente nossa, mas vem pela atuação do Espírito. Atentemos para o que diz a palavra: “Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais o vosso coração” (Hb 3.15).

Na próxima semana prosseguiremos em nosso estudo. Não falte.

Pr Josias Moura

One thought on “Estudo Bíblico para culto de doutrina da Igreja Betel Brasileiro Geisel. Tema: A doutrina do Pecado.

  1. Louvo a Deus pela sua grande misericórdia em nos ter contemplado com sua divinal graça redentora; que possamos valorizar essa graça manifestada lá na cruz fugindo a todo momento do pecado que nos cerca a todo tempo. Recorramos sempre ao sangue de Jesus para estarmos justificados. “segui a paz com todos e a santificação sem a qual ninguém verá o Senhor”.

    Agradeço pelas mensagens me enviadas, que o Deus eterno vos prospere nesse ministério tão maravilho que é o de ensinar.
    A Paz do Senhor Jesus.

    Curtir

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s