ESTUDO BÍBLICO DO CULTO DE DOUTRINA: A PARÁBOLA DO SERVO IMPIEDOSO

A PARÁBOLA DO SERVO IMPIEDOSO

Até quantas vezes eu devo perdoar uma pessoa que pecar contra mim? Essa foi a pergunta que Pedro fez a Jesus numa ocasião em que Ele ensinava como devemos lidar com as ofensas que recebemos das pessoas.

Todos nós já passamos por situações em que pessoas nos feriram, magoaram e entristeceram muitíssimo. O próprio inimigo das nossas almas, Satanás, patrocina tais situações que nos traumatizam porque ele sabe o quanto uma pessoa ferida fica infeliz e paralisada nas suas conquistas. Alguém já dissse que o trauma é como uma torneirinha pingando; enxugamos o local, mas depois está molhado. Muitas pessoas fazem uma confissão sincera e mesmo assim continuam pecando, porque na verdade são portadores de traumas, precisam ser curadas na raiz. Por isso, aprender a lidar com as feridas da alma é indispensável pra nossa saúde física e emocional.

O reino dos céus tem valores essencialmente diferentes dos apregoados nas instituições terrenas. Nesse reino, os humildes é que são exaltados, os servos é que são considerados maiores, as crianças devem ser imitadas e o perdão deve ser abundante e incondicional.

Vamos aprender com essa parábola como funciona o Reino dos céus na questão do perdão.

Ler o texto de Mateus 18:21-35

1. O reino dos céus é composto por pessoas perdoadas

Nós somos os servos da parábola que tinham uma dívida impagável para com o Rei. Essa dívida era constituída pelos nossos pecados. A Bíblia diz em Rm 3:23 que “ todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus” e em Rm 6:23 “ pois o salário do pecado é a morte….”

Pecado é qualquer atitude que fuja do alvo de Deus pra nós. Pecamos quando fazemos algo que Deus não queria que fizéssemos, mas também pecamos quando deixamos de fazer algo que Deus nos mandou fazer. Pecamos conscientemente, mas também pecamos por ignorância, por desconhecer os mandamentos, mas nem por isso, somos desculpáveis. Pecamos contra Deus, pecamos contra pessoas. Pecamos em atitudes, pecamos em pensamentos e intenções ruins, enfim, a nossa dívida de pecados era altíssima.

Mas, glórias a Deus , o reino  dos céus é constituído por pessoas que, entendendo o sacrifício de Jesus, clamaram por perdão, foram alvos da misericórdia do Rei e tiveram suas dívidas perdoadas.

Em I João 1:9, temos a promessa do perdão: “ Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda a injustiça.” Glória a Deus! A comunidade do Messias é uma comunidade de remidos!

2. É preciso implorar por perdão

Em nenhum momento, o servo duvidou da sua dívida. Ele até prometeu pagar, mas isso era humanamente impossível. Então, a sua única alternativa era humilhar-se e implorar o favor do Rei.

A soberba é o grande empecilho pra que muitas pessoas desfrutem do perdão de Deus. É preciso humilhar-se diante de Deus, reconhecendo a dívida de pecados e implorar o seu perdão. Isso acontece de uma maneira muito singular quando entregamos a nossa vida a Jesus, mas precisa continuar a acontecer todas as vezes que pecamos contra Deus.

Nenhum crente em Jesus pode perder a capacidade de se humilhar  e clamar por perdão. Isso é o que move o coração do Rei. “… um coração quebrantado e contrito, não desprezarás, oh Deus” ( Sl 51:17b ). “ Deus se opõe aos soberbos, mas concede graça aos humildes” ( Tg 4:6 )

3. Perdoa, e serás perdoado

Assim podemos resumir a moral dessa história. O servo impiedoso não quis perdoar o seu conservo e essa atitude impiedosa causou tanta indignação no rei que este cancelou o perdão que ele havia concedido. Jesus disse que é assim que o Seu reino funciona.

Não há escapatória, não há exceções: ou aprendemos a exercer o perdão incondicional, ou sofreremos as conseqüências disso, simbolizadas no texto por ser entregue para os torturadores. Recusar-se a perdoar é decidir viver debaixo de tortura.

Perdoar não significa negar a dívida. Quando perdoamos uma pessoa, de maneira alguma, estamos concordando com o que ela nos fez ou fazendo de conta que nada aconteceu. Muitas dívidas causaram marcas muito profundas nas nossas almas e não é fácil declarar perdão. Mas, guardar a mágoa é muito pior: é tomar veneno, esperando que o outro morra!

Aprender a perdoar é indispensável para os súditos do Rei Jesus. Ele mesmo nos deu o exemplo. Nem na cruz, diante de tanta injustiça e sofrimento, Jesus se deu o direito de ficar magoado com quem quer que fosse. Pelo contrário, ele orou ao Pai pedindo que perdoasse aqueles que o feriram. ( Lc 23:34 )

O mundo diz: nunca se esqueça do que lhe fizeram, risque tais pessoas da sua vida, planeje uma vingança… Jesus diz: Perdoe, se preciso for, 70 vezes 7.

È infinitamente melhor seguir o ensino de Jesus!

Perdão é sempre um assunto útil nas vidas dos discípulos. Sempre há aqueles com problemas nessa área: gente que não se sente perdoada por Deus e gente que não consegue perdoar. Ministre cura e restauração nas vidas dos irmãos, através dessa Palavra. É bom lembrar que “Se realmente conhecemos Cristo como nosso Salvador, os nossos corações são quebrantados, não podem ser duros, nem podemos negar o perdão.” (Dr Martin Lloyd-Jones)

Estudo ministrado pelo Pr Arimatéia e Pr Josias no culto de doutrina da quinta feira.

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s