Estudo Bíblico doutrinario. Tema: A prática da mordomia na humildade

ESTUDO MINISTRADO PELO PR JOSIAS MOURA NO CULTO DE DOUTRINA DA IGREJA BETEL GEISEL.

A PRÁTICA DA MORDOMIA NA HUMILDADE

Texto Básico: Filipenses 2:1-11

1.    INTRODUÇÃO

  • Agostinho disse: “Se me perguntassem qual é a primeira coisa na religião, responderia: A primeira, a segunda e a tercei­ra coisa – sim, tudo – é a humildade!” Quão diferente é o pensamento que ocupa a mente de muitas pessoas hoje. Dizem: “Renuncia a Deus e exalta-te a ti mesmo. Nada de humildade piegas. Es senhor de teu destino e capitão de tua alma”.
  • O pecado teve a sua origem quando o homem transferiu o centro de suas afeições de Deus para si mesmo – Egocentrismo. Felizmente, o homem pode voltar atrás, destituir-se do egocentrismo e colocar Deus no centro de sua vida -Teocentrismo. Seus pensamentos e ações passam a gravitar em torno de Deus e não do “eu”. Ele descobre a real razão de sua vida, que é: “servir a Deus e exaltá-lo”.  Jesus nos capacita a viver uma vida de humildade.

2.    A HUMILDADE

Definição. Humildade é  “ausência completa de orgulho”.

1. A pessoa orgulhosa. O orgulhoso é cheio de si mesmo. Os predicados de sua personalidade são: altivez, soberba, amor próprio, autopromoção etc. Jesus falou de um fariseu que é o tipo exato de uma pessoa orgulhosa. E ele era um homem religioso, pois subiu ao templo para orar. Mas sua oração era cheia de orgulho: “O fariseu, posto em pé, orava de si para si mesmo, desta forma: O Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros, nem ainda como este publicano; jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de tudo quanto ganho (Lc 18.11,12). Este homem perdeu sua bênção. “Por-que todo o que se exalta, será humilhado” (v.14).

2. A pessoa humilde. O humilde é destituído completamente de orgu­lho. É modesto,  não se ufana das coisas que faz, não se gloria de si mesmo. Reconhece a sua insuficiência. Na mesma ocasião, disse Jesus, um publicano subiu no templo para orar: “O publicano, estando em pé, longe, não ousava nem ainda levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: O Deus, sê propício a mim, pecador! Digo-vos que este desceu justificado para sua casa… porque… o que se humilha, será exaltado” (Lc 18.13,14).

3. A falsa humildade. Tem que haver sinceridade. Quando a pessoa é reconhecidamente notável e tenta diminuir sua notabilidade, ela estará ten­tando transmitir uma falsa humildade. Neste caso, é preferível assumir a notabilidade, seguindo o exemplo de João Batista: “Este foi o testemunho de João, quando os judeus lhe enviaram de Jerusalém sacerdotes e levitas para lhe perguntarem: Quem és tu? Ele confessou e não negou: Confessou: Eu não sou o Cristo. Então lhe perguntaram: Quem és, pois? Es tu Elias? Ele disse: Não. Disseram-lhe, pois: Declara-nos quem és, para que demos resposta àqueles que nos enviaram; que dizes a respeito de ti mesmo? Então ele respondeu: Eu sou voz do que clama no deserto: Endireitai o caminho do Senhor, como disse o profeta Isaías” (Jo 1.19-23).

3.    A NOSSA HUMILDADE

1. Não há lugar para vanglória. A humildade que deve existir em nós não admite lugar para a ufania:

a. Porque somos servos de Deus. Não temos glória própria. Paulo disse: “Aquele, porém, que se gloria, glorie-se no Senhor. Porque não é aprovado quem a si mesmo se louva, e, sim, aquele a quem o Senhor louva” (2Co 10.17,18).

b. Porque de Deus vêm todas as coisas boas: “Porque Deus é quem efe­tua em vós tanto o querer como o realizar, segundo a sua boa vontade” (Fp 2.13). O servo de Deus não tem de que se ufanar pelo que é ou pelo que faz.

2. Mansidão. “Bem-aventurados os mansos, porque herdarão a terra” (Mi 5.5). A mansidão expressa a qualidade de uma pessoa humilde. Quais são essas qualidades?

a. Pacificidade. Ele promove a paz. Jesus disse: “Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus” (Mt 5.9).

b. Submissão. Acata ordens superiores. “Sujeitai-vos pois a toda a orde­nação humana por amor do Senhor; quer ao rei, como superior; quer aos governadores, como por ele enviados para castigo dos malfeitores e para louvor dos que fazem o bem” (IPe 2.13,14). Leia também IPe 5.5,6.

c. Resignação. Paciente no sofrimento. Não se desespera. Jó é o nosso exemplo maior de resignação. Diante do terrível sofrimento, “sua mulher lhe disse: Ainda conservas a tua integridade? Amaldiçoa a Deus, e morre. Mas ele lhe respondeu: Falas como qualquer doida; temos recebido o bem de Deus, e não receberíamos também o mal? Em tudo isto não pecou Jó com os seus lábios” (Jó 2.9,10).

d. Simplicidade. Vejamos algumas qualidades de uma pessoa simples:

(1) Natureza pura: “Bem-aventurados os puros de coração, porque ve­rão a Deus” (Mt 5.8);

(2) Disposição fácil e acessível: “Bem-aventurados os humildes de espíri­to, porque deles é o reino dos céus” (Mt 5.3);

(3) Moderação no falar. “A palavra branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira” (Pv 15.1). Paulo disse a Timóteo: “Ora, é necessário que o servo do Senhor não viva a contender, e, sim, deve ser brando para com todos, apto para instruir, paciente” (2Tm 2.24).

4.    CONCLUSÃO

Muitos cristãos estão sendo desafiados a viver uma vida cristã vitoriosa. No bojo dessa “vida vitoriosa”, raramente se abre espaço para a humildade, com um estilo bíblico de vida cristã. Por isso, alguns levantam a cabeça e pisam os outros. Porque não aprenderam as lições da humildade. “A humil­dade precede a honra”, diz Provérbios 15.33b. “Deus resiste aos soberbos, contudo aos humildes concede a sua graça” (I Pe 5.5b).

O maior símbolo de humildade é o próprio Senhor Jesus, que, “subsis­tindo em forma de Deus não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte, e morte de cruz. Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu um nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Se­nhor, para glória de Deus Pai” (Fp 2.6-8).

5.    PERGUNTAS DA LIÇÃO

1. Qual foi a origem do pecado? 2. Cite algumas características de uma pessoa orgulhosa. 3. O que é uma pessoa humilde? 4. Quais são os três destaques desta lição sobre a simplicidade? 5. Quem é o nosso maior exemplo de humildade?

One thought on “Estudo Bíblico doutrinario. Tema: A prática da mordomia na humildade

  1. DEUS ABENÇOE EM CRISTO JESUS O IRMÃO QUE ESTE ESTUDO COLOCOU AQUI NA IRTENET A DISPOSIÇÃO DOS IRMAÕS QUE TEEM COMPROMISSO COM A PALAVRA DE DEUS!!!!
    CONTINUE ASSIM HUMILDE A DEUS E A TODOS AQUELES QUE ESTÃO A SUA VOLTA PARA QUE VEJAM O QUE DEUS FAZ AQUELE QUE O TEME E É HUMILDE!!!!!!! POIS ASSIM FASENDO O NOME DO SENHOR SERA EXALTADO PORQUE AQUELES QUE USAM O ENTENDIMENTO O SENHOR LHE ABRIRA OS OLHOS SE ASSIM SE FISEREM DIANTE DO SENHOR(HUMILDE)
    JESUS DISSE: PAI GRAÇAS TE DOU QUE AOS SABIOS E ENTENDIDOS OCULTASTE….MAS AOS PEQUENINOS REVELASTE!!!!!!
    A PAZ DO SENHOR!!!!!!!!!!!!!!

    Curtir

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s