Parte 02 do ESTUDO NO CULTO DE DOUTRINA: A PRÁTICA DA MORDOMIA DO TEMPO

Estudo ministrado pelo Pr Josias Moura no culto de doutrina da Igreja Betel Geisel

Texto Básico: Jó 14.1,2; Tg 4.13-17 Texto Áureo: Ef 5.15,16

INTRODUÇÃO

Vamos meditar um pouco sobre a questão do uso do tem­po. Cada minuto é uma riqueza de que dispomos uma vez apenas. Se o perdermos, jamais poderemos recuperá-lo. A Rádio Relógio do Rio de Janeiro (emissora evangélica), que fornece a hora de minuto em minuto, costuma apresentar, nos intervalos, este provérbio: “Cada minuto que passa é um mila­gre que não se repete”. Como servos do Senhor, devemos aprender a fazer o melhor uso do nosso precioso tempo.

O salmista nos escreve: “Bendirei o Senhor em todo o tem­po” (SI 34.1a). Cada atitude, cada palavra, deve ser bem pen­sada. Uma vez que pertencemos ao Senhor, devemos ter em nossa mente este ensino do salmista.

1. O QUE É O NOSSO TEMPO?

A duração do nosso tempo é breve. Disse Jacó a Faraó: “Os dias dos anos das minhas peregrinações são cento e trinta anos; poucos e maus foram os dias dos anos da minha vida, e não chegaram aos dias dos anos da vida de meus pais nos dias das suas peregrinações” (Gn 47.9). Davi, numa oração, disse: “…como a sombra são os nossos dias sobre a terra” (lCr 29.15; SI 39.6). Jó disse as mesmas palavras de Davi (Jó 8.9; 14.1,2). “Acabam-se os nossos anos como um breve pensamento” (SI 90.9b – Salmo de Moisés). Tiago (cuja carta se caracteriza por emitir provérbios) disse: “Que é a vossa vida? Sois apenas como neblina que aparece por instante e logo se dissipa” (Tg 4.14).
A extensão do nosso tempo é de alguns palmos. Também foi Davi, o grande rei-poeta, quem escreveu: “Deste aos meus dias o comprimento de alguns palmos; à tua presença o prazo da minha vida é nada” (SI 39.5). Aqui, o autor sagrado usa a figura da medida linear, para falar da vida breve que temos sobre a terra. O palmo mede apenas 22 centímetros.

Alguns dizem que tempo é dinheiro. Será isto verdade? O tem­po é mais precioso do que o dinheiro. Tempo é vida, tempo é crescimento. Os homens de empresa não querem saber de desperdiçar tempo. Eles que­rem granjear cada vez mais riquezas, porque nunca se contentam com o que têm. E a perda de tempo representa para eles mais do que perda de dinheiro. E a vida que se vai, sem se alcançar o objetivo. Precisamos ter a mesma “ambição” com respeito às coisas espirituais. Isto significa que deve­mos investir tudo naquilo que dura para sempre, segundo o ensino de Jesus em Mt 6.19-21. Cada minuto que temos é um tesouro muito precioso! So­mos mordomos desse tesouro.

II. QUE EXEMPLOS TEMOS DE BOM USO DO TEMPO?

Os 120 discípulos no cenáculo. Os 120 discípulos receberam a bên­ção no dia de Pentecoste, porque estavam fazendo o melhor proveito do seu tempo: “Estavam sempre no templo, louvando a Deus” (Lc 24.53). Viviam juntos, aguardando o cumprimento da promessa do Senhor: “Ao cumprir-se o dia de Pentecoste, estavam todos reunidos no mesmo lugar” (At 2.1).
Muitos discípulos perderam a bênção. Os discípulos de Jesus não eram apenas 120. No dia em que Ele subiu ao céu, havia cerca de 500 irmãos ali (ICo 15.6). Todos receberam a ordem de ficar em Jerusalém, até serem revestidos do poder do alto (Lc 24.49; At 1.4,5,8). Mas parece que os outros 380 tinham muitas coisas para fazer e não deram prioridade à ordem de Jesus. Possivelmente estavam envolvidos pela tirania do urgente (quando fazemos o urgente deixamos o importante). Como eles perderam por causa disso!
Os apóstolos não se deixaram levar por essa tirania. Os apósto­los escolheram o mais importante: a oração e a ministração da Palavra. Não abriram mão disso. Como eles ganharam com essa sábia decisão! A pressão da falta de tempo acentua ainda mais a necessidade que tem o servo do Senhor, de procurar estar a sós com Deus, para meditar na sua Palavra, em busca de uma revitalização espiritual. Isso nos ajuda a ver o tempo sob a ótica da eternidade. Filipe não soube aproveitar bem o tempo. Ele estava com o Mestre há três anos e ainda não o havia reconhecido (Jo 14.9).

III. COMO USAR CORRETAMENTE 0 TEMPO?

Há um tempo determinado para cada coisa. Este é o ensino de Ec 3.1-8. A não execução no devido tempo pode trazer conseqüências drás­ticas, como aconteceu aos egípcios (Ex 14.28); a Saul (ISm 15.24-26); a Israel (Jr 8.20-22); a Judas Iscariotes (Mt 27.3,4); a Esaú, que se arrepen­deu tarde demais (Hb 12.17); às virgens loucas (Mt 25.11,12).

O nosso tempo se chama HOJE. Hoje é tempo de buscar ao Se­nhor. Hoje é tempo de levar Deus a sério! (SI 32.6; 95.7,8a). Quantos têm deixado sempre para depois a sua decisão de servir a Cristo, de reconciliar-se, de buscar uma renovação para sua vida, de buscar uma vida de santida­de, de consagração ao Senhor, de compromisso, de dedicação maior a Deus de entrega total ao senhorio de Cristo! O tempo é hoje! “Exortai-vos mutu­amente cada dia, durante o tempo que se chama Hoje, a fim de que ne­nhum de vós seja endurecido pelo engano do pecado” (Hb 3.13). “Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos corações” (Hb 4.7b).
Usamos bem o tempo por meio de uma vida piedosa. Gastamos os melhores dias de nossa vida pensando que temos uma eternidade aqui na terra. Estaremos, sim, na eternidade, mas não aqui. Nesta vida, temos a oportunidade de conquistar, construir, realizar, usando a força da juventu­de. Porém, nem sempre estamos preparados para entender o que Salomão declarou: “tudo é vaidade” (Ec 12.8). E, quando abrimos os olhos, já se passaram os dias. Por isso, o aviso: “Lembra-te do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos nos quais dirás: Não tenho neles prazer” (Ec 12.1). Aproveite agora o seu tem­po e construa para Deus, edifique para eternidade! Faça o que disse alguém: “Pregue o evangelho. Se preciso, com palavras!”

CONCLUSÃO

Uma vez que não conhecemos o dia de amanhã (Tg 4.13-17) será erra­do fazer planos para o futuro? Obviamente não! Pelo fato de nossa vida passar rápido demais, é que precisamos de um planejamento em tudo que fazemos. Assim poderemos aproveitar ao máximo o nosso tempo, estabele­cendo prioridades, sendo objetivos em tudo que fazemos. O planejamento é algo salutar e que simplifica a nossa vida. Creio que o Senhor nos quer encontrar planejando e executando planos. Ele não nos quer ver somente na contemplação (Lc 9.28-36). É hora de estarmos no vale, em ação, e não no monte, em contemplação!

PERGUNTAS PARA ESTUDO

  1. Por que Paulo diz que devemos “remir o tempo”?
  2. Que significa o provérbio: “Cada minuto que passa é um milagre que não se repete”? Quem disse: “Poucos e maus foram os dias dos anos da minha vida”?
  3. De que modo podemos provar que os 120 do cenáculo souberam valorizar o tempo?
  4. Dê exemplos de coisas que têm de ser feitas no tempo certo, senão pode criar problemas.

O nosso próximo estudo será a Mordomia da fidelidade.  Até a próxima semana!

Pr. Josias Moura de Menezes

Deixe sua mensagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s